IGB Eletrônica

Avaliação dos usuários
Empresa Ainda não foram feitas avaliações
Gestão Ainda não foram feitas avaliações
Ticker IGBR3
Fundador Eugênio Staub
Presidente da empresa Ricardo Emilie Staub
Alavancada? Sim
Registra lucro? Não
Histórico de distribuição de dividendos

A empresa distribuiu dividendos nos anos de 1996, 1997, 2001 e 2002. Acesse para conferir o histórico de pagamento de dividendos.

Participação do Estado 0%
Ano de fundação 1930
Ano do IPO 1974
Setor de atuação Financeiro
Recuperação judicial? Sim
Tamanho da empresa Small Cap
Links úteis
  1. RI da empresa
  2. Fundamentos da IGB Eletrônica
Principais produtos

A IGB Eletrônica conhecida pela maioria como Gradiente, é uma empresa de utensílios eletrônicos. Os principais produtos da empresa são:

  • Alto falantes
  • Speakers
  • Eletrodomésticos gerais
  • Equipamentos infantis

O que a empresa faz?

A IGB Eletrônica é uma empresa brasileira de eletroeletrônicos, que também atua no setor de galpões industriais. Conhecida anteriormente pela marca Gradiente, a empresa possui um portfólio focado em equipamentos de som e, a partir de 2019, passou a produzir inversores de energia solar. 

A companhia teve, em 2018, um pedido de recuperação judicial aceito, onde o plano de recuperação judicial foi homologado em 2010. Durante a década de 1970, a empresa teve um forte crescimento por conta da limitação da importação de equipamentos eletrônicos. 

IGB Eletrônica - IGBR3

O crescimento e reconhecimento da empresa também foram impulsionados pelo crescimento econômico brasileiro, na época conhecido como milagre econômico. Além disso, a IGB Eletrônica cresceu devido à implantação de um polo manufatureiro na Zona Franca de Manaus

Atualmente, a empresa se dedica a realizar contratos de parceria e royalties com o intuito de liberar licenças de uso da marca, para que seja utilizada em produtos, meios de comunicação, embalagens e peças e formas publicitárias em geral. Os principais produtos da empresa são:

  • Alto falantes;
  • Speakers;
  • Eletrodomésticos gerais;
  • Equipamentos infantis.

Além disso, também fazem parte do portfólio da empresa a locação de galpões industriais, administração de imóveis e energia solar, como foco na produção de inversores para conversão de energia. 


Breve história da empresa

A história da IGB Eletrônica teve início em 1964, quando a empresa foi fundada no bairro de Pinheiro, em São Paulo, ainda com o nome de Gradiente. Um ano após a fundação da empresa, a Gradiente lançou um dos primeiros amplificadores do Brasil. 

IGB Eletrônica - IGBR3

Em 1970, a Gradiente já se constituía como uma pequena loja e fabricante de eletrônicos e, por conta disso, foi comprada pelo empresário Émile Staub. Algum tempo depois, quem assumiu o comando da empresa foi seu filho, Eugênio Staub, que mais tarde passou a atuar junto aos co-fundadores originais da empresa, Nelson Bastos e Alberto Salvatore. 

Ainda em 1970, a companhia enfrentou a política de protecionismo e proibição de importação de eletrônicos vindos de outros países para o Brasil. Na época, a política ficou conhecida como lei de reserva de mercado, sendo imposto pela ditadura militar em produtos de informática. 

Naquela época, o Brasil parou de receber produtos importados e, consequentemente, a política de protecionismo atrasou o setor tecnológico brasileiro. Por outro lado, os produtos fabricados no Brasil se tornaram mais atraentes, tornando as marcas brasileiras gigantes do mercado, como a Gradiente. 

Ao mesmo tempo, a Gradiente mudou a sede da empresa para Zona Franca de Manaus, onde as empresas brasileiras possuíam incentivo fiscal. A mudança fez com o que os serviços da Gradiente crescessem e, em 1975, a companhia abriu uma subsidiária no México. 

Aquisições da empresa

Em 1979, a Gradiente adquiriu a Garrad – empresa especializada em toca-discos e aparelhos de som. Porém, a aquisição não ocorreu da forma esperada e a empresa acabou vendendo a marca para a Loricraft, empresa também inglesa, em 1997.  

IGB Eletrônica - IGBR3

Mais tarde, a companhia realizou mais uma aquisição, a marca Polyvox – na época concorrente direta da Gradiente. Assim, passou a produzir sistemas 3 em 1 e rádio gravadores, além do Atari 2600, um lendário videogame.

Quando os produtos foram lançados, o mercado de games no Brasil ainda era muito jovem. O Atari 2600 foi, para a empresa, uma aposta grandiosa de crescimento. Em 1989 a empresa voltou a investir em videogames por meio do Phantom System. 

Como parte dos produtos fabricados na época, estavam o Game Boy, o Super Nintendo e o Nintendo 64. Em 1996, a empresa comprou parte da Playtronic – empresa que pertencia à Estrela – e, com isso, a companhia passou a ser reconhecida pela marca Gradiente Entertainment. 

Pioneirismo tecnológico

A Gradiente ficou conhecida por lançar no mercado produtos eletrônicos muito marcantes. A companhia lançou, em 1979, o primeiro telefone de padrão brasileiro, além de ter comercializado systems, ou seja, aparelhos receiver, toca-fita, toca-discos, além de produtos inovadores com duas caixas acústicas em um só produto. 

IGB Eletrônica - IGBR3

Em 1985, a Gradiente lançou o Expert e entrou para o mercado de computadores. Três anos depois, adquiriu a filial brasileira da Telefunken, empresa alemã, e passou a fabricar uma linha de TVs no Brasil. Em 1900, a empresa lançou a primeira TV de tela grande no país. 

Além disso, nos anos seguintes, lançou produtos importantes no Brasil, como o CD Player, em 84, DVD Player, em 98; o MP3 Player, em 99; o DVDokê, em 2001 e a primeira HDTV, em 2006.

Entre 2007 e 2008, a Gradiente enfrentou problemas financeiros, onde foi necessário elaborar uma estruturação extrajudicial, na qual foi aprovada em 2010. Em 2012, a empresa voltou ao mercado com a nova linha de produtos Meu Primeiro Gradiente (MPG) e o SafePhone, um aparelho com rastreador GPS para idoso. 

IGB Eletrônica - IGBR3

Ainda em 2012, a empresa alterou a razão social para IGB Eletrônica, e a Gradiente voltou ao mercado como uma marca da Companhia Brasileira de Tecnologia Digital (CBTD). Já em 2018, a IGB anunciou o pedido de Recuperação Judicial, ao mesmo tempo que fez o licenciamento da marca, a locação e administração de imóveis e a implementação da Gradiente Energia Solar. 

No mesmo ano, em 2018, a empresa retornou ao mercado de eletrônicos, após cinco anos, depois que voltou a operar na Zona Franca de Manaus. Com isso, passou a ofertar novos produtos, como a energia solar, além de lâmpadas de LED e equipamentos de monitoramento para áreas de segurança. 


Diretoria

Ricardo Emilie Staub (Presidente)

Moris Arditti (Vice-Presidente)


Conselho administrativo

Eugenio Emilio Staub

Celina Miranda Staub

Elizabeth Margaret Staub Priester


Principais concorrentes

Whirlpool (WHRL4)

Via Varejo (VVAR3)

Magazine Luiza (MGLU3)


Perspectiva para o futuro

Como visto, a IGB Eletrônica é uma empresa que fez parte da história dos eletrônicos no Brasil. Lançou produtos importantes no mercado, como como o CD Player, em 84, DVD Player, em 98; o MP3 Player, em 99; o DVDokê, em 2001 e a primeira HDTV, em 2006, que até hoje fazem sucesso, mesmo após a reinvenção dos produtos. 

IGB Eletrônica - IGBR3

Mesmo com a recuperação judicial, a empresa vem se reinventando no mercado, principalmente com as ações focadas em produzir equipamentos para geração de energia solar na Zona Franca de Manaus. Portanto, a IGB pretende retornar a operação no Polo Industrial de Manaus com a produção de inversores solares. 

Basicamente, a aposta da empresa é utilizar os inversores como forma de converter energia elétrica gerada nos painéis de corrente contínua para corrente alternada. Dessa forma, sua perspectiva para o futuro deve incluir investimentos em novas ações e produtos, bem como em equipamentos que tenham a função de garantir a segurança do sistema e medir a energia que será produzida pelos painéis solares. 


Composição acionária

IGBR3 Acionista Percentual
1 HAG Participações S/A 51,00%
2 Moris Arditti 0,01%
3 Outros 48,99%

Qual sua opinião sobre a empresa?