Desemprego Conjuntural: o que é, causas e consequências


O desemprego conjuntural está diretamente ligado a períodos de crise e recessão econômica. Dessa forma, podemos definir o desemprego como a condição dos indivíduos que se encontram em idade de trabalhar e também estão buscando trabalho, mas não conseguem encontrar.

Consequentemente, também não possuem fonte de renda. As causas desse desemprego podem ser variadas, como automatização de processos produtivos até crises econômicas cíclicas ou temporárias.

Em relação às consequências do desemprego conjuntural são várias, como o empobrecimento, o aumento do subemprego e da informalidade e adoecimento da população, acometida principalmente por problemas psicológicos.

Além disso, tudo está ligado com a baixa taxa de emprego, principalmente em situações de dificuldades econômicas. Por exemplo, mais recentemente, a pandemia de covid-19, que foi um determinante da condição de desemprego.

O que é desemprego?

Desemprego Conjuntural: definição e as causas desse evento cíclico

Diário de Goiás

Primeiramente é preciso entender o que é desemprego para partirmos para o desemprego conjuntural. Segundo a OIT, a Organização Internacional do Trabalho, o desemprego pode ser definido como uma condição de pessoas que se encontram atualmente sem emprego formal. Porém, essas mesmas precisam estar em busca de trabalho ou dispostas a aceitar um trabalho se houver oportunidade.

Já conforme o IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a definição é semelhante, mas ressalta um ponto importante, que não ter emprego não equivale a não ter um trabalho ou ocupação. Dessa forma, não é considerado no cálculo do desemprego, por exemplo, estudantes, empreendedores e donas de casa.

Dessa forma, indivíduos que fazem parte das duas definições e integram a estatística de desemprego nacional e mundial, são aqueles que estão em idade de trabalhar, mas essa taxa pode variar conforme o país. No Brasil, por exemplo, a PEA, População Economicamente Ativa, está atualmente no intervalo entre 15 até os 64 anos de idade. Será essa faixa de idade que vai determinar também o desemprego cíclico ou conjuntural.

Desemprego conjuntural

FUP

Seguindo essa lógica, o desemprego conjuntural pode ser definido como a baixa na taxa de emprego em uma economia motivada por recessões e crises econômicas.

Portanto, se as crises econômicas são cíclicas, isso de acordo com diversos modelos econômicos, esse tipo de desemprego também pode ser considerado como desemprego cíclico.

Dessa forma, pode-se afirmar que esse desemprego é involuntário, seguindo a ideia de que as pessoas estão demandando empregos e a oferta disponível é menor.

Causas do desemprego conjuntural

FDR

Os fatores determinantes do desemprego podem ser estruturais e conjunturais, podendo ainda estar ligado a motivações de caráter pessoal.

Em relação ao desemprego conjuntural, as causas são as mesmas que aquelas que direcionam o país para uma crise econômica. Dessa forma, as crises econômicas são uma condição necessária para justificar essa categoria de desemprego.

Isso acontece porque em recessões, são reduzidos o consumo e investimento. Dessa forma, os empresários vão obter resultados inferiores e precisam reduzir custos para tentar manter as finanças. Da mesma forma que um período de crise é cíclico, esse tipo de desemprego também. Logo, quando a economia se recuperar a oferta de empregos fica maior.

Mais especificamente no Brasil, as causas para o desemprego são:

  • Transformação na base produtiva do país. Afinal, a partir da segunda metade do século XX o processo de modernização técnica aumentou cada vez mais.
  • Baixa qualificação dos trabalhadores. Ou seja, com a maior demanda de modernização técnica começou a ter mais demanda do que se podia preencher. Em outras palavras, seria basicamente a falta de pessoas qualificadas tecnicamente para operar tais funções.
  • Crises econômicas, principalmente as da década de 1980 e 1990. Nesse sentido, elas foram responsáveis por profundas transformações na economia brasileira. Isso fez com que os índices de desemprego aumentassem e a desigualdade aumentasse.
  • Migração do campo para a cidade, isso faz com que muitos indivíduos precisem recorrer à informalidade ou a subempregos, seja por falta de qualificação ou oportunidade;
  • Baixa escolaridade, pelos mais diversos motivos, seja pela falta de acesso ou por precisar trabalhar ainda muito jovem, entre outros.
  • Crises políticas, naturalmente quando o país está instável e em crise isso reflete diretamente na economia e consequentemente na oferta de empregos.

Consequências

Desemprego Conjuntural: definição e as causas desse evento cíclico

Agência Sindical

Quando o desemprego aumenta, consequentemente há diminuição de renda das famílias e assim a redução do consumo também. Outras principais consequências decorrentes da falta de emprego são:

  • pobreza, principalmente em grandes centros urbanos;
  • a violência domiciliar e urbana aumenta;
  • consequentemente os índices de criminalidade;
  • a própria redução do consumo por conta da falta de renda;
  • aumento do trabalho informal e subempregos;
  • problemas psicológicos agravados, como depressão e ansiedade, entre outros, desenvolvida pela falta de ocupação e renda;
  • também a maior incidência de doenças físicas.

Nesse sentido, o melhor a se fazer para contornar situações de crises e voltar a ter bons resultados econômicos, é combater o desemprego conjuntural. Para isso ser feito, pode-se, por exemplo, construir-se parceria público-privada para ajudar tanto na capacitação de profissionais como regras mais flexíveis para serem contratados novos colaboradores.

Agora, leia mais sobre Entrevista de emprego – Como se sair bem, perguntas comuns e respostas

Fontes: Suno; Tribuna de Minas e Prepara Enem.

Imagens: Correio Braziliense; Diário de Goiás; FUP; FDR e Agência Sindical.

Conte-nos a sua opinião...