Quem são os bilionários brasileiros do setor da saúde?


Os bilionários brasileiros do setor da saúde viram a sua fortuna subir durante a pandemia. Em 1ª colocado, temos Jorge Neval Moll Filho da Rede D’Or, com uma fortuna de R$ 13,60 bilhões.

Já em 2º lugar temos Candido Pinheiro Koren de Lima, fundador da Hapvida, cujo patrimônio está avaliado em R$ 10,10 bilhões.

O 3º lugar é ocupado por Dulce Pugliese de Godoy Bueno, co-fundadora da Dasa, com uma fortuna estimada em R$ 7,65 bilhões.

Uma curiosidade é que a lista de bilionários brasileiros da Forbes de 2022, no setor de saúde, acumula um patrimônio agregado de R$ 76,78 bilhões.

Uma das vantagens do setor de saúde é que este é um setor muito necessário. Por exemplo, se certo alimento subir de preço, você reduz o consumo ou para de consumi-lo.

Mas o mesmo não acontece com o setor de saúde. Mesmo com o aumento dos serviços, as pessoas que precisam consumir medicamentos ou ir ao médico, vão continuar indo.

Os 10 bilionários brasileiros do setor de saúde

Os bilionários brasileiros da área de saúde são:

1- Jorge Neval Moll Filho

Origem do patrimônio: Rede D’or

Fortuna: R$ 13,60 bilhões

Idade: 77 anos

Posição na lista geral da Forbes: 27ª

2- Candido Pinheiro Koren de Lima

Origem do patrimônio: Hapvida

Fortuna: R$ 10,10 bilhões

Idade: 76 anos

Posição na lista: 22ª

3- Bilionários brasileiros: Dulce Pugliese de Godoy Bueno

Origem do patrimônio: Dasa/ Amil

Fortuna: R$ 7,65 bilhões

Idade: 74 anos

Posição na lista: 42ª

4- Camilla e Pedro de Godoy Bueno

Origem do patrimônio: Dasa

Fortuna: R$ 5,30 bilhões/ cada

Idade: 43 e 31 anos

Posição na lista: 73ª

5- Candido e Jorge Fontoura Pinheiro Koren

Origem do patrimônio: Hapvida

Fortuna: R$ 5,28 bilhões/ cada

Idade: 51 e 49 anos

Posição na lista: 75ª

6- Bilionários brasileiros: Henrique Moraes Salvador Silva

Origem do patrimônio: Mater Dei

Fortuna: R$ 3,60 bilhões

Idade: 64 anos

Posição na lista: 99ª

7- Alice Junqueira Moll e filhos (André Francisco, Jorge Neval, Paulo Junqueira, Pedro Junqueira e Renata Junqueira)

Origem do patrimônio: Rede D’Or

Fortuna: R$ 2,28 bilhões/ cada

Idade: desconhecida

Posição na lista: 153ª

8- Victor Cavalcanti Pardini

Origem do patrimônio: Hermes Pardini

Fortuna: R$ 1,89 bilhão

Idade: 67 anos

Posição na lista: 183ª

9- Bilionários brasileiros: José Seripieri Filho

Origem do patrimônio: Qualicorp

Fortuna: R$ 1,80 bilhão

Idade: 55 anos

Posição na lista: 187ª

10- André Junqueira dos Santos Pessoa

Origem do patrimônio: Grupo São Francisco

Fortuna: R$ 1,70 bilhão

Idade: desconhecida

Posição na lista: 195ª

Lucros da área de saúde privada em tempos de pandemia

Os lucros das empresas da área de saúde subiram durante a pandemia.

No entanto, essas empresas ficaram mais ricas não apenas por causa da pandemia, mas também por causa da abertura de capital e a chegada de capital estrangeiro.

Isso porque, de acordo com Rodrigo Marcatti, CEO da Veedha Investimentos, o setor de saúde brasileiro ganhou impulso a partir de 2015.

Em resumo, foi nessa época que a participação de capital estrangeiro em empresas da área passou a ser permitida.

Sendo assim, Marcatti explica que “O setor de saúde no Brasil sempre foi muito fragmentado. De 2015 para cá passou a haver uma consolidação. Um exemplo foi a Rede D’Or, que se expandiu junto com capital estrangeiro.”

Portanto, com a chance de atrair investimentos fez com que empresas pequenas, fundadas a partir de grupos de médicos, ganhassem escala, com foco no negócio.

Além disso, existe a questão da necessidade dos gastos com saúde. Dessa forma, o professor de Economia da Saúde da UFRGS, Giácomo Balbinotto Neto explica que “Os gastos com saúde são inelásticos [mudam pouco na crise].

Por exemplo, se o preço da carne aumentou, o consumidor vai parar de comprar. Na parte de saúde, a demanda cai muito pouco mesmo com aumento do preço. Você não deixa de tomar aquele remédio ou ir ao médico”.

Desse modo, essa característica das empresas da área de saúde faz com que elas fiquem mais bem posicionadas. Igor Cavaca, gestor de investimentos da Warren, salienta que essa “é uma estrutura muito rara em qualquer outro setor.

De um lado, o consumidor não mede esforços [para adquirir serviços de saúde], pois entende que aquilo é uma questão de sobrevivência. De outro, as empresas trabalham com um investimento inicial bastante alto, mas com um alto potencial de lucratividade posterior”.

LEIA MAIS

Gautam Adani: indiano que virou a 3ª pessoa mais rica do mundo

As dez mulheres mais ricas do mundo em 2022

Homens mais ricos do mundo e do Brasil – Quem são e valor das fortunas

Aprenda com 11 dos maiores investidores do mundo

Quem é o homem mais rico do mundo em 2022? Saiba como Elon Musk ficou rico

Maiores empresas do mundo – Critérios isolados e em conjunto

Fontes: Forbes e Uol.

Bibliografia

  • Fontes, Giulia. Em ano de pandemia, brasileiros bilionários da saúde ficam mais ricos. Uol. Acesso em 20 de setembro de 2022.
Conte-nos a sua opinião...