Reflexo da paridade entre dólar e euro na economia brasileira e a crise imobiliária na China


Ouça as notícias pelo nosso podcast

Bom dia, Investidor Sardinha. Este é o Soco Matinal, as principais notícias do dia no mercado financeiro, tudo em 5 minutos, para você já começar o dia zonzo.

Primeiramente, no pregão de sexta-feira, (22/7/2022) o IBOVESPA (índice da nossa bolsa de valores) caiu 0,11%, fechando em 98.924 pontos, mesmo com essa queda, o nosso índice acabou fechando com +2,46% na semana. Sem nenhum evento grande, a gente acabou seguindo o movimento do exterior.

De antemão, do lado das maiores altas tivemos empresas como:

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
  • BRF: +4.62%
  • SUZANO: +2.78%
  • RAIA DROGASIL: +2.51%

Por outro lado, dentro do índice as maiores quedas foram registradas pelas empresas:

  • IRB BRASIL: −8.26%
  • AMERICANAS: −5.91%
  • AZUL: −4.38%

Por fim, saindo um pouco do mercado nacional, vamos falar sobre as bolsas mundiais e os índices de mercado internacional.

Morning call de Índices Internacionais

Expansion

Atualmente no cenário internacional as bolsas mundiais fecharam sem direções única. Ao mesmo tempo, o dólar fechou com leve alta de 0,05%, em R$ 5,49.

Nos Estados Unidos as bolsas tiveram perfomance no seguinte patamar:

  • Dow Jones: -0,43%
  • S&P 500: -0,93%
  • Nasdaq: -1,87%

Já nas bolsas europeias os resultados foram os seguintes:

  • DAX (Alemanha): +0,35%
  • FTSE 100 (Inglaterra): +0,23%
  • CAC 40 (França): +0,41%
  • FTSE MIB (Itália): +0,58%

Por fim, nas bolsas asiáticas:

  • Nikkei (Japão): -0,77%
  • Shangai (China): -0,60%
  • KOSPI (Coreia do Sul): +0,44%

Enquanto isso, as criptomoedas nas últimas 24h:

  • Bitcoin: -2,86%
  • Ethereum: -4%
  • Tether: +0,01%
  • USD Coin: 0
  • BNB: -2,81

Ainda, nas commodities:

  • Ouro: -0,28% (US$ 1.722,55/Onça Troy)
  • Petróleo Brent (Futuros): -4,88% (US$ 98,65/Barril)
  • Gás Natural: +0,64% (US$ 8,35/m³)
  • Minério de Ferro (Futuros): +0,11% (US$ 105,39/Tonelada)

Desde já, vamos ao calendário econômico desta semana para acompanhar os eventos importantes da economia no mundo todo:

AGENDA ECONÔMICA DA SEMANA

Hoje saíram dados sobre o Índice de Clima de Negócios da Alemanha (determina a situação atual de negócios e as condições na zona do euro) que veio em 88,6, abaixo da expectativa de 90,2.

Por outro lado, amanhã saem os resultados sobre Confiança do Consumidor nos EUA e venda de casas novas. Na Austrália, Índice de Preços ao Consumidor. Ao passo que, na quarta-feira tem: Estoque de Petróleo Bruto e Declaração do FOMC nos EUA, na Austrália tem vendas do Varejo.

Logo após, na quinta-feita: Dados de Pedidos Iniciais de Desemprego nos EUA e PIB trimestral. Por fim, na sexta-feira tem Variação de Desemprego na Alemanha e PIB trimestral, IPC da Zona do Euro, PIB mensal do Canadá do mês de junho.

Em conclusão, na sexta tem PMI industrial da China.

Agora vamos falar de ações e stocks (ações no exterior).

Morning call de ações

Mercado e Consumo

ALIANSCE SONAE VENDE PARTICIPAÇÃO EM SHOPPING NO VALOR DE R$ 195 MILHÕES

A empresa já havia anunciado sobre esta manobra que tinha como taxa de capitalização 8,2% referente à base na receita operacional líquida do shopping na estimativa deste ano.

Esse movimento foi necessário em razão das exigências do CADE (Conselho Brasileiro de Defesa da Concorrência) para que seja aprovada a fusão em andamento com a empresa brMalls.

Desta forma, a Credit Suisse acredita que este negócio aproxima a empresa do sucesso de sua fusão, enquanto os analistas de Itaú Boa afirmam que a venda é quase metade do cap rate (taxa de capitalização) implícito que era de 15,8%.

AÇÕES DA SNAP, DONA DA SNAPCHAT, DESABA 39% APÓS RESULTADOS

Os investidores não reagiram bem aos resultados divulgados pela empresa quando ela informou que teve um prejuízo líquido de US$ 0,26 por ação e receita líquida de US$ 1,11 bilhão. A expectativa era de prejuízo de US$ 0,20 e receita de US$ 1,15 bilhão.

Com a queda, a empresa teve uma perda em valor de mercado no patamar de US$ 50 bilhões ao ano. Considerando a queda desde sua máxima em setembro, é como se ela tivesse perdido mais do que uma Petrobras inteira, pois o valor desta é avaliada em US$ 72 bilhões.

Como vocês já sabem: juros mais altos, menor crescimento para empresas de tecnologia, por conta dos empréstimos que ficam mais caros. No entanto, a empresa informou que os problemas enfrentados por ela para este resultado são: concorrência, políticas internas em mudança e cenário macroeconômico.

Agora vamos às notícias do mercado interno e mundial:

Resumo de notícias do Brasil e exterior

Gorila

EURO, DÓLAR E OS EFEITOS PARA A ECONOMIA BRASILEIRA

O Euro virou a moeda de circulação comum na União Europeia em 2002, agora, 20 anos depois ele alcançou paridade com o dólar e ao contrário das pessoas que estão felizes em poder viajar para a Europa com uma moeda um pouco mais barata, o que temos aqui é um gama de sinais que indicam problemas globais.

Se podemos resumir tudo que vem pela frente: desaceleração econômica e dólar mais valorizado. Desta forma, quando falamos em Brasil, podemos ver com isto um cenário de maior inflação, o que gera aumento da taxa de juros para contornar a inflação e assim mantém por mais tempo a taxa de juros elevada.

Quanto mais os EUA aumentam suas taxas, mais o dinheiro dos investidores vai para lá e com isso mais o Euro pode se desvalorizar. A gente vê outras moedas desvalorizadas frente ao dólar, o Iene, por exemplo, moeda japonesa, que assim como outras moedas vê dificuldade em se valorizar frente à moeda dos EUA.

Nós que somos país emergente ainda temos preocupações como a fuga de capital estrangeiro, por que quem é que vai querer investir aqui com tanto risco quando em países de economia mais segura o prêmio começa a compensar? Além disso, como sempre falamos: temos risco fiscal, incertezas políticas e outros aspectos que ofuscam o brilho brasileiro no exterior.

Por fim, o dólar se valorizando cada vez mais, temos parte dos alimentos importados que subirão de preço, além de outros produtos, cortando qualquer alívio que o teto do ICMS tenha nos dado.

CHINA COM CRESCIMENTO ZERO NA PERSPECTIVA DO GOLDMAN SACHS

Quando falamos sobre China a gente quase não lembra mais da crise da Evergrande que falamos tanto alguns meses atrás, mas a coisa ainda está fervendo por lá com calote coletivo de fornecedores da construtora, processo de liquidação em Hong Kong, entre outros aspectos.

Atualmente o mercado imobiliário da China está sob pressão acentuada porque os compradores estão interrompendo o pagamento de hipotecas, isso adveio de uma demora na construção dos imóveis comprados, como acontece por vezes aqui quando o pessoal compra imóvel na planta.

Só para se ter uma ideia: o setor imobiliário e indústrias relacionadas a ele representam mais de 25% do PIB chinês. Com isso, a importância deste setor na economia está em evidência, pois o investimento em imóveis caiu 5,4% quando comparado ao ano anterior, assim como problemas de absorção das ofertas no setor imobiliário estão cada vez maiores.

Com isto, o Goldman Sachs reduziu suas perspectivas de ganhos para o índice para crescimento zero do ano, muito abaixo do que havia sido projetado anteriormente: os 4%. A meta do MSCI China (índice com mais de 700 ações de empresas chinesas listadas globalmente) também foi rebaixada, considerando que somente no mês de julho o índice já caiu mais de 6% com as preocupações no mercado imobiliário.

Agora, as notícias sobre Fundos Imobiliários:

Morning Call de Fundos Imobiliários

Wikipedia

Inicialmente, no pregão da sexta-feira (22/07) o nosso IFIX fechou em 2.793 pontos com valorização de 0,08%. No‌‌‌ ‌‌‌acumulado‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌mês‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ julho a variação‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌índice‌‌‌ ‌‌‌é‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ -0,08 ‌‌‌e‌‌‌ ‌‌‌do‌‌‌ ‌‌‌ano‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌ ‌‌‌2022‌‌ ‌‌‌é‌‌‌ ‌‌‌de‌‌‌‌‌ -0,40%.‌

O fundo HCTR11 informou que teve um problema com o CRI Carvalho Hosken III que, conforme dados da securitizadora, a Carvalho Hosken pagaria apenas os juros do mês de junho, causando pendência. O CRI representa 0,4% do PL do HCTR11, portanto, a gestora tranquilizou os cotistas em relação a este problema com esse CRI.

Agora, vamos ao mundo cripto:

Morning call de Criptoativos

Stephen Ajulu

 CONFERÊNCIA DA ETHEREUM EM PARIS

Quando falamos em Ethereum a gente sabe que a posição desta moeda é o segundo lugar no mercado, mas a sua popularidade tem sido cada vez mais perceptível. Com um evento que reuniu diversas personalidades do ecossistema da ethereum e uma quantidade de pessoas que tornou o evento comparável ao evento do Bitcoin em Miami em abril deste ano.

De toda forma, além desse engajamento aos projetos da criptomoeda, o destaque do evento foi sobre a mudança do modelo de Proof-of-Work (prova por trabalho) para Proof-of-Stake (validação sem gasto duplo, com prova de participação).

No mundo dos investimento de uma forma geral, essa mudança pode fazer com que a SEC (a “CVM” dos EUA) considere a ETH como valor mobiliário, pois com a mudança os seus blocos deixam de ser minerados e passam a ser construídos a partir das moedas que os usuários possuem para transacionar.

Além disso, Vitalik informou que a Ethereum está 40% completa, sendo que com as mudanças depois de aprovadas ela terá um avanço de apenas 15% do projeto que o fundador da Ethereum afirmou ter em mente em atingir 10 mil transações por segundo.

Assim termina nosso morning call. Bons investimentos e bom final de semana.


Conte-nos a sua opinião...