O fim dos EUA? O MUNDO MODERNO ACABOU?

Descubra como a economia da China pode decretar o fim dos EUA como conhecemos e porque a China está crescendo tanto. Confira!

18 de junho de 2024 - por Raul Sena (Investidor Sardinha)


Recentemente eu recebi uma mensagem intrigante de um seguidor, dizendo o fim dos EUA está chegando. Com PIB decadente, índice econômico subindo menos que o da China, só faltava a admissão de que o país já era.

Então pensando nisso, resolvi escrever este artigo para analisar esse questionamento e alguns outros fatores que apontam um forte concorrente para os EUA atualmente.

PIB China vs EUA

Antes de mais nada, para entender toda essa situação, precisamos viajar um pouco de volta no tempo e entender como a superpotência dos EUA pode estar chegando ao fim.

1960

Em 1960, o PIB chinês era de US$ 59,72 bilhões, enquanto o dos EUA era de US$ 543,3 bilhões. Para um melhor contexto, é importante levar em consideração a população de cada um dos países na época. Os EUA, da Segunda Guerra em diante, se tornaram uma potência mundial.

Enquanto isso, a China sempre esteve no topo tecnológico do mundo, sendo o berço de grandes inovações. Afinal, são mais de 4 mil anos de história. Contudo, os anos 60 não foi seu melhor momento.

Portanto, alguns historiadores vão concordar em afirmar que a China só está recuperando seu lugar natural. Enquanto isso, outras pessoas dirão que de fato é uma retomada incrível.

1970

Em 1970, o PIB da China subiu para US$ 92,6 bilhões, enquanto o dos EUA bateu na casa de US$ 1,03 trilhões. Os dois países praticamente dobraram de PIB no decorrer de uma década. A partir de 1971 o dólar deixa de ser lastreado em ouro e os EUA se estabelece como uma referência para o mundo, “vendendo” o famoso American Dream.

1980

Quando chegamos nos anos de 1980, a China tem um salto expressivo em sua economia, com o PIB alcançando US$ 306,2 bilhões, e os EUA têm um crescimento acelerado, de US$ 2,85 trilhões. Até esse momento a China, apesar de crescer continuamente, faz isso de forma moderada.

1990

Mas é a partir dos anos 1990 que o país começa a mostrar a que veio, com um PIB de US$ 394,6 bilhões. Nesse ponto, o PIB americano é de US$ 5,963 trilhões. É um período em que praticamente todo mundo usa a moeda americana.

2000

Nos anos 2000, a China bate US$ 1,2 trilhão e os EUA US$ 10,25 trilhões, e isso demonstra que algo está acontecendo ali. Algumas pessoas com ideologia de esquerda, nesse momento, começam a acreditar que o regime chinês deu certo e que o país se tornou maravilhoso. Já o lado do liberalismo passa a enxergar que esse salto aconteceu porque os EUA faz abertura econômica com a China, criando esse novo monstro.

A China começou fazendo capitalismo de estado lá atrás e finalmente começa a colher os frutos. Um país agrário que se torna a maior classe média do mundo. Nesse momento, pessoas mais inclinadas ao comunismo defendem que o socialismo aparentemente está funcionando, já que a URSS também saiu de um país agrário graças ao regime socialista.

Por que a economia da China cresceu tanto?

2010

Em 2010, a China alcança um PIB de 6,08 trilhões, um valor absurdo. No mesmo período, os EUA estão com US$ 15,05 trilhões. A diferença entre as economias dos dois países cai de dez vezes para pouco mais do que duas.

É um momento interessante na história da China, pois o país começa a importar conhecimento e tecnologias e replicar em seus próprios produtos.

Vai caindo em desuso a utilização da expressão “produto chinês” como sinônimo de má qualidade, para começarmos a ver iPhones serem produzidos pela China.

A mão de obra barata vai se tornando o meio produtivo de diversas empresas internacionais, transformando o país no novo polo industrial do mundo.

De tanto criar para terceiros e imitar com réplicas baratas, a China aprende a fazer novas tecnologias e passa a fazer seus próprios produtos. Assim, surgem empresas como a Xiaomi, e é a vez do ocidente começar a copiar as tecnologias chinesas. Nesse ponto, a China produz absolutamente de tudo, dos smartphones até baterias de carros como o Tesla.

E essa não é a primeira vez que um país começa imitando os outros até se tornar melhor em qualidade de produção.

Outro país que passou por isso na história foi a Suíça, que inclusive recebeu acusações de plágio e quebrou inúmeras patentes de produtos químicos. O país também começou com produções de má qualidade, até desenvolver a expertise para criar suas próprias versões, que se tornaram referências em alta qualidade.

2020

Quando chegamos em 2020, a situação fica bem estranha. O PIB chinês está em US$ 14,69 trilhões e o dos EUA em 21,08 trilhões. Em apenas 2 anos, a China chega a 17,96 trilhões, e os EUA em 25,44 trilhões.

Segundo alguns estudos, se as produções chinesas tivessem fim nos EUA, haveria um declínio na economia de ambos os países, mas os norte-americanos sairiam perdendo.

A China vai se tornar a maior potência mundial?

A ideia de “se” a China vai passar os EUA muda para “quando” isso vai acontecer. A estimativa prevê que, em menos de 9 anos, o PIB chinês vai ultrapassar o dos norte-americanos. Logo atrás virá a Índia, em 2075.

É nesse momento que você pode se perguntar se vale a pena investir na China.

Afinal de contas, o país está crescendo economicamente mais do que qualquer outro, todos os produtos, salvo raras exceções, são produzidos por lá. Então, nesse caso, o que impediria as pessoas de trocarem o investimento nos EUA pela China?

E a resposta é que, a forma que os EUA funcionam é muito diferente da China. A economia norte-americana é um pouco mais descentralizada, com certo respeito a mais pelas liberdades individuais do que a chinesa.

Enquanto na China, a economia é centralizada no Estado, ele interfere na iniciativa privada, detém o poder sobre propriedades fabris e meios de produção.

Na tentativa de mudar sua imagem internacional, a China se esforça para atrair investimentos estrangeiros. Por meio de comitivas realizadas pelo Xi Jinping com CEOs ao redor do mundo, a ideia é passar uma imagem menos controladora da economia pelo Estado.

Com todos esses esforços da China, o país também estava atravessando uma crise terrível no setor imobiliário, já que a gigante imobiliária Evergrande teve a falência decretada.

Não só essa empresa, como a maioria das construtoras no país começaram também a ter problemas, já que o governo as usa para aquecer a economia, erguendo construções para destruir depois sem necessidade.

Dá uma olhada neste meu vídeo para conhecer uma das formas de se investir na China por meio da Bolsa de Valores:

Faz sentido investir em empresas chinesas?

Apesar da crise, a China tem um crescimento anual de 5%, o que atrai muita atenção de investidores externos nas empresas do país. O mercado está tão aquecido que os investidores estrangeiros estão saindo da bolsa brasileira para especular a chinesa, graças à sua projeção contínua.

No entanto, é preciso se atentar antes de investir por lá. Isso porque tudo depende da sua disposição em correr riscos e de compreender bem a interferência do governo nas empresas.

Ou seja, mesmo com as promessas de não-interferência do governo chinês, existe a desconfiança de alguns investidores em apostarem nesse mercado. Isso ocorre mesmo com o país exibindo números tão bons e criando produtos que impactam o mundo inteiro. Mas será que uma mudança desse cenário significaria mesmo o fim dos EUA?

Se você tem interesse em aprender a investir no Brasil, na China e em outros países do mundo, acesse a AUVP e faça a sua análise de perfil.

Também acompanhe as principais informações do mundo das finanças pelos nossos canais @investidorsardinha no Youtube e @oraulsena no Instagram e descubra se os EUA estão perto do fim.

Não deixe de conferir Crise na China: Como isso pode te afetar?

O que acontece se não declarar o Imposto de Renda? Testei na PRÁTICA!

Fazer faculdade no Brasil vale a pena? A realidade é difícil de engolir

Ibovespa caindo! – Onde estou investindo para proteger o meu dinheiro?

A enorme BOMBA que pode enterrar de vez o Brasil