O que é a Web 3.0 e como ela vai permitir o usuário fazer dinheiro?


A Web 3.0 é a próxima fase da evolução da web/internet. Ela pode ser muito inovadora e representar uma grande mudança de paradigma. Enfim, nesse texto você vai aprender:

  1. Como funciona a Web 3.0
  2. Características da Web 3.0
  3. Diferenças entre os tipos de Web
  4. Desafios da Web 3.0

Como funciona a Web 3.0

A Web 3.0 funciona por meio de 3 bases:

1- Descentralização

A descentralização é a base principal da Web 3.0. Em síntese, a Web 2.0 os computadores usam HTTP na forma de endereços exclusivos.

Sendo que o seu armazenamento ocorre em um local fixo, normalmente, em um único servidor.

Em contrapartida, na Web 3.0 as informações seriam encontradas com base no conteúdo e elas poderiam ser armazenadas em vários locais de forma simultânea, sendo assim, elas seriam descentralizadas.

No fim das contas, isso iria quebrar os grandes bancos de dados que são mantidos atualmente por gigantes da internet.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

2- Confiança direta

A Web 3.0 é baseada ainda na confiança direta. Em outras palavras, a rede permitirá que os usuários interajam diretamente sem a necessidade de um intermediário.

Desse modo, os aplicativos da Web 3.0 serão executados em blockchains, em redes peer-to-peer ou em uma combinação de ambas.

3- Inteligência artificial e machine learning

Por fim, os computadores serão capazes de entender as informações de forma parecida com os seres humanos. Isso por meio de tecnologias tendo como base conceitos de web semântica.

Características da Web 3.0

As principais características da Web 3.0 são:

1- Web semântica

A interpretação de dados pelas máquinas de forma quase natural é uma das revoluções mais esperadas.

Isso deve possibilitar uma interação mais profunda com os computadores, que poderão entender o que os usuários querem, sem que eles precisem escrever.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Sendo assim, os algoritmos devem evoluir até um ponto onde eles serão capazes de antecipar as demandas e resolver os problemas que surgirem.

Além disso, os conteúdos online serão colocados de forma personalizada para cada usuário, sites e aplicações inteligentes. Dessa forma, a publicidade vai se basear ainda mais no comportamento online. 

2- Blockchain e criptomoedas

Na Web 3.0 a blockchain tem um papel fundamental. Em resumo, a blockchain é uma tecnologia que funciona como um banco de dados.

Contudo, ela não precisa de intermediários, sendo totalmente descentralizada. Além disso, trata-se de uma tecnologia totalmente segura e anônima.

O conceito de blockchain ainda é muito associado às criptomoedas, já que as criptos usam a blockchain. No entanto, o papel da blockchain vai muito além das criptos e tem um papel essencial na web futurística.

3- Metaverso e ambientes digitalizados

Os metaversos podem surgir com força na Web 3.0. Sendo que os mundos cibernéticos devem ter um grande impacto na economia mundial.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Por exemplo, empresas físicas de moda devem comercializar ativos digitais, já que os avatares vão precisar de roupas.

Isso pode ter efeitos também nas relações de trabalho, pois os profissionais poderão dividir salas virtuais de qualquer parte do mundo.

4- Conscientização sobre dados pessoais

Antigamente, a maior parte das pessoas não se importavam com empresas de tecnologia bisbilhotando a sua vida pessoal.

No entanto, isso começou a mudar e hoje as pessoas estão se tornando mais conscientes da importância de preservar a sua privacidade.

Caso você não saiba, a maior parte dos dados coletados por essas empresas são vendidas para anunciantes roubados por criminosos ou usados pelas Big Techs para fazer propaganda direcionada e com isso ganhar dinheiro

5- Assistentes de voz intuitivos

No começo, os desenvolvedores tinham que alimentar os assistentes virtuais com comandos predefinidos. Desse modo, o que não estivesse no “script” era incompreendido.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Por outro lado, com a Web 3.0 a intenção é que os assistentes executem tarefas rotineiras de forma bem mais consistente.

6- Fake news na Web 3.0

Por fim, outra característica da Web 3.0 são as notícias falsas e a desinformação. Antes o monopólio da palavra era da grande imprensa, mas com a Web 3.0 isso não existe mais.

Com isso, as pessoas têm autonomia para produzir conteúdos e compartilhar notícias. Contudo, nem todos os conteúdos são verdadeiros.

Diferenças entre os tipos de Web

Com a evolução da tecnologia, nós já passamos pela Web 1.0 e Web 2.0. No momento, estamos nos encaminhando para a Web 3.0.

1- Web 1.0

A Web 1.0 teve início na década de 80. Ela foi a época dos grandes portais e instituições. Sendo que esses sites produziam conteúdos e os usuários consumiam.

Ou seja, os usuários tinham uma experiência estática. Podemos comparar este papel passivo dos usuários com a experiência de escutar rádio e assistir TV.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Isso porque existia uma barreira de entrada bem grande para a criação de sites e produção de conteúdos, como os portais faziam. Enfim, as características da Web 1.0 são:

  1. Os usuários consumiam os conteúdos de forma passiva.
  2. Existia uma grande barreira para a produção de conteúdos.
  3. Por causa das limitações tecnológicas, os websites quase não tinham imagens.

2- Web 2.0

A Web 2.0 teve início em meados dos anos 2000. No começo, a Web 2.0 foi marcada pelos primeiros aplicativos de bate-papo como, por exemplo, o MSN e também pelas primeiras redes sociais, como o Orkut. 

A grande diferença entre a Web 1.0 e a Web 2.0 é a possibilidade dos usuários também produzirem conteúdo por meio das redes sociais.

No entanto, essa não foi a única mudança. Houve a quebra da grande barreira de criar algo na internet em vários setores. Portanto, na Web 2.0 os usuários produziam e consumiam conteúdos.

Mas somente as empresas monetizavam esses conteúdos, mesmo que produzidos por seus usuários. Em resumo, as características da Web 2.0 são:

  1. Primeiros aplicativos de bate-papo e redes sociais.
  2. Os usuários deixam de ser passivos e podem produzir conteúdos.
  3. Descentralização dos serviços.
  4. Apenas as empresas monetizam os conteúdos.

3- Web 3.0

Por fim, não existe um conceito único de Web 3.0. Isso porque ela está em plena evolução. Isso significa que ela é a próxima fase da evolução da internet.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Em síntese, a proposta dessa nova internet é que os usuários tenham o controle das informações online. Além disso, a intenção é que exista uma web semântica, onde os computadores e os seres humanos trabalham em cooperação.

Um detalhe importante na Web 3.0 é que os usuários produzem, consomem e ganham dinheiro por produzir ou por consumir esses conteúdos.

Enfim, as características da Web 3.0 são:

  1. Os usuários podem ganhar dinheiro por produzir e por consumir conteúdos.
  2. Descentralização.
  3. Questionamento sobre a autoridade de páginas de internet e veículos da imprensa.
  4. As redes sociais passam a ter um protagonismo maior.
  5. Posse de bens digitais como, por exemplo, os NFTs.

Desafios da Web 3.0

A Web 3.0 tem o potencial de oferecer mais utilidade e autonomia aos usuários. Certos recursos como a Web semântica, tem o potencial de aumentar a aplicação em novas áreas e melhorar a interação do usuário.

Além disso, os recursos de descentralização darão ao usuário um controle muito maior dos seus dados pessoais. Contudo, a Web 3.0 também tem alguns desafios.

Um exemplo disso, são os riscos legais e regulatórios. Por exemplo, os crimes cibernéticos, desinformação e discurso de ódio já são difíceis de controlar agora, com a Web 3.0 serão ainda mais difíceis.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Afinal de contas, uma rede descentralizada vai dificultar a regulação e a fiscalização.

Enfim, gostou de aprender sobre a Web 3.0? Como você já sabe a blockchain tem um papel central da Web 3.o. Você já sabe em detalhes como a blockchain funciona?

Se não sabe, aproveite para aprender agora o que é a blockchain e quais são as aplicações dessa tecnologia.

Fontes: Mais retorno, Canal tech e Tecnoblog


Conte-nos a sua opinião...