Criptomoeda, o que é? Definição, como investir e conceito de mineração


As criptomoedas são, em resumo, moedas digitais. Isso significa que o uso, compra e venda é feito somente pela internet, sem dinheiro impresso. Dessa forma, a moeda não é regulamentada pelo Banco Central e não é necessário o intermédio de bancos para a sua aplicação.

Sendo assim, é perfeitamente possível investir em criptomoedas, contudo, elas são consideradas investimentos de alto risco, pois têm alta volatilidade. O que significa que, para esse tipo de investimento, é preciso ter nervos de aço e encarrar como uma coisa normal os constantes aumentos e baixas nos preços.

Portanto, antes de investir em criptomoedas, defina seus objetivos e metas a serem alcançadas. Como poucos estabelecimentos aceitam esse tipo de pagamento, é interessante, também, pensar em utilizar as criptomoedas como uma forma de reserva.

Criptomoeda: o que é, como investir e o que é mineração

Medium

O que são criptomoedas

As criptomoedas são um tipo de código virtual, onde é possível converter os códigos em valores reais. Em outras palavras, criptomoedas são moedas digitais. Como não são emitidas por nenhum governo, as moedas também tem um controle diferente em comparação às notas físicas, como, por exemplo, através da mineração.

Existem diversos tipos de moedas digitais, entretanto, a Bitcoin, sem dúvidas, é a mais conhecida. Todo o processo das moedas digitais, desde a mineração até as negociações, é feito pela internet. Ou seja, não necessitam de intermediário, no caso, um banco.

Criptomoeda: o que é, como investir e o que é mineração

Futurecom

De forma geral, uma das dúvidas mais pertinentes é em relação à segurança. As criptomoedas são consideradas seguras, pois são protegidas por meio da criptografia.

Contudo, ainda sim existem caminhos que deixam as moedas digitais inseguras. Ou seja, as carteiras digitais de investimentos podem ser roubadas por hackers. Ou ainda, pode ocorrer a perda da assinatura virtual e erros do servidor, onde todos os investimentos podem ser perdidos. 

Para que servem

As criptomedas são dinheiro virtual, portanto, sua funcionalidade é a mesma de um dinheiro impresso. Ou seja, elas servem para realizar transações de venda e compra de bens e serviços. 

Algumas das vantagens das criptomoedas é o baixo custo em algumas operações, como processamento de vendas e transferências de valores que são feitos de forma instantânea. Outro diferencial é que não é preciso fornecer informações pessoais ao realizar as transações.

Criptomoeda: o que é, como investir e o que é mineração

Bitcoin Trade

Contudo, uma desvantagem é em relação a sua aceitabilidade. Isso porque, poucos estabelecimentos aceitam o pagamento com moeda digital,  pois essa é uma modalidade ainda pouco conhecida e usada. 

O que é mineração

Todas as moedas digitais são protegidas por criptografia. Portanto, elas têm um código complexo que não se altera. Como as moedas digitais não são controladas por nenhuma autoridade central, elas devem ser registradas e validadas individualmente por um conjunto de pessoas, através de seus computadores, que as gravam no blockchain.

O blockchain, por sua vez, é um gigantesco registro de transações, onde estão os históricos das operações que foram realizadas anteriormente em cada unidade de moedas digitais. Para garantir que a mesma moeda não seja usada mais de uma vez, e por mais de uma pessoa, cada nova transação que envolva a moeda é verificada no blockchain.

Veja

Todos esses registros são feitos pelos chamados mineradores. Esses mineradores recebem, como pagamento por utilizarem seus computadores para os processamentos, novas unidades de moedas digitais.

As moedas digitais são criadas pelos computadores que conseguem solucionar problemas matemáticos complexos, além de averiguar a validade das transações adicionadas no blockchain.

Conforme o número de mineradores aumenta, os problemas matemáticos ficam mais complexos. Isso serve como forma de limitar a quantidade de mineração.

Em resumo, no blockchain estão registradas todas as transações, sendo totalmente compartilhado e público. Nesse sentido, esse é o controle e regulamentação que existe sobre as criptomoedas. 

Como investir em criptomoedas

Investir em criptomoedas é possível através de uma corretora especializada, ou através da compra de cotas de fundos de criptomoedas, também negociadas em corretoras. As corretoras especializadas são chamadas de exchanges.

Dessa forma, para investir através de uma exchange, basta abrir a conta na corretora. Posteriormente, é preciso transferir para a conta da corretora o valor a ser investido e começar a investir.

As corretoras, normalmente, cobram alguma taxa para realizar o investimento. Assim, é importante conferir esses valores antes de comprar qualquer ação. 

Inscreva-se na Pior Newsletter Possível!

Receba os melhores conteúdos (ou não) gratuitamente!

Usamos a Sendinblue como nossa plataforma de marketing. Ao clicar abaixo para enviar este formulário, você reconhece que as informações fornecidas por você serão transferidas para a Sendinblue para processamento, de acordo com o termos de uso deles

Criptomoeda: o que é, como investir e o que é mineração

IPOG

Por outro lado, comprar parte dos fundos é possível através de corretoras ou plataformas de investimentos. É possível, ainda, receber moedas digitais como pagamento de alguma transação. 

O mercado brasileiro de criptomoedas é chamado de ecoins, e toda a operação de compra e venda é simples e realizada pela internet. O perfil do investidor de criptomoedas, geralmente, é mais liberal ou agressivo. Isso porque, as variações de preço podem assustar outros perfis de investidores.

Além disso, o preço das moedas varia conforme o número de oferta e demanda. Seguindo essa lógica, quando as moedas são muito procuradas, o preço de suas ações sobem.

A alta volatilidade ocorre, também, porque a quantidade de moedas mineradas é limitada. Portanto, investir em criptomoedas é um investimento de alto risco. Desse modo, o ideal é investir, no máximo, 5% nesse tipo de investimento. Por fim, outra opção é você mesmo minerar as criptomoedas.  

As 10 criptomoedas mais famosas

1- Bitcoin: É a mais famosa entre as moedas digitais. Ela foi o primeiro sistema global de pagamentos completamente descentralizado. Surgiu em meio à crise de 2008 como uma forma de substituir o dinheiro físico e, ainda, acabar com a necessidade dos bancos de intermediar nas operações financeiras. 

2- Bitcoin Cash: O Bitcoin Cash foi criado em 2017 e é uma versão mais nova do Bitcoin original. Ela foi criada com o intuito de ser uma Bitcoin atualizada, aperfeiçoada e funciona de forma similar a sua versão antiga. Contudo, as transações com Bitcoin Cash são mais rápidas.  

3- Monero: Esse tipo de moeda é parecido com o Bitcoin, contudo, ela cria um endereço único para cada transação. Além disso, adota outros mecanismos de segurança e anonimato. 

Criptomoeda: o que é, como investir e o que é mineração

Gizmodo

4- Ethereum: Essa moeda tinha o nome de Ether em sua primeira versão, contudo, após o roubo de um hacker, foi feito uma nova rede e passou a se chamar Ethereum. Essa nova moeda é mais segura do que a sua predecessora, além de valer mais.

5- Tether: A Thether na verdade não é uma moeda totalmente digital, isso porque, ela também é impressa, seguindo algumas regras. A regra principal é que a cada Tether que for emitido é necessário que haja a equivalência de um dólar em caixa.

Outras 5 criptomoedas famosas:

6- Dash: A principal característica da Dash é o anonimato e privacidade das transações e dos usuários. 

7- Ripple Ripple: É um protocolo de pagamento. O objetivo do Ripple é ser um sistema seguro de pagamentos instantâneos. Dentro do seu sistema outros tipos de moeda podem ser negociados. Nesse sistema não existe o processo de mineração.

Deputado

8- Siacon: Essa é a moeda que exige menos do processador para ser minerada. O sistema de mineração funciona basicamente como as outras, porém a Siacon exige menos. 

9- Litecoin: Criado em 2011 o Litecoin parece com o Bitcoin, contudo o processo de mineração da moeda é consideravelmente mais rápido. 

10- EOS: Foi lançada em 2018 e usa seu próprio sistema de blockhain. Além das moedas ele domina também uma plataforma de desenvolvimento de aplicativos. 

Agora que você sabe como investir em criptomoeda e conhece os riscos, veja os motivos para investir em moedas digitais

E aí, gostou de conhecer sobre criptomoeda? veja também Livros sobre investimentos obrigatórios para investidores iniciantes

Fontes: Infomoney, Financeone, Nubank e Valor investe

Imagens: Diário do nordeste, IPOG, Medium, Deputado, Futurecom, Gizmodo, Bitcoin Trade e Veja

Conte-nos a sua opinião...