Bitcoin, entenda de uma vez por todas


Você já ouvir falar sobre o Bitcoin? A moeda digital vem ganhando cada vez mais adeptos e promete continuar sua escalada ao longo dos anos. Entender sobre a cripto moeda com maior parcela de mercado é algo bem complexo. Contudo nós do Investidor Sardinha preparamos um resumo simples e prático sobre o Bitcoin.

Então, vamos lá?!

O que é o Bitcoin?

Por não se tratar de um ativo físico você já deve ter encontrado algumas dificuldades para definir, ou até mesmo entender sobre o Bitcoin. Saiba que você não é o único. Definir a cripto moeda é simples. O complicado é entender como ela funciona e como foi criada.

Gráfico dos valores do Bitcoin

De maneira sintética o Bitcoin é uma moeda digital, e para que isso faça sentido é preciso ter claro a idéia por trás de uma moeda.

Uma moeda nada mais é do que um meio de troca de bens e serviços, um canal por onde se estabelece uma transação. A cripto moeda é apenas uma moeda, só que digital, que possui sua identidade e materialidade ligada a um código definido.

O próprio criador do bitcoin, o usuário Satoshi Nakamoto, define a moeda como sendo “um sistema de dinheiro eletrônico de ponta a ponta” em tradução livre. Ou seja, um sistema monetário de um ponto a outro. Sem intermediários.

Um sistema de ponta a ponta

Apesar da definição do próprio criador sem bem enxuta ela carrega consigo um conceito um pouco abstrato.

Funciona da seguinte maneira: ao fazer um pagamento em espécie você só precisa de duas partes e de dinheiro. Note que neste cenário não há nenhum intermediário. As partes não precisam necessariamente se identificarem.

Ao ir em uma loja de cosméticos por exemplo. Você não sabe o CNPJ da empresa, e por outro lado, a empresa não sabe o seu CPF ou RG. A transação em dinheiro portanto é uma operação de ponta a ponta. Essa é a ideia principal da cripto moeda.

Bitcoin, entenda de uma vez por todas

Em um sistema de pagamento de ponta a ponta você entrega o “dinheiro” e recebe algo em troca, seja um bem ou um serviço, ou ate mesmo outra moeda. Uma vez realizada a transação ela se torna irreversível, e por outro lado, não há nenhum intermediário.

Agora como fazer isto no meio digital, sem um intermediário? Este é o problema central que o Bitcoin resolve.

Ao transferir dinheiro para outra pessoa, de maneira eletrônica, você vai precisar de um intermediário: O BANCO. Portanto não há um transação de ponta a ponta.

A situação fica mais complicada ainda se estivermos falando de uma transação entre diferentes moedas, de diferentes países, em diferentes lugares do mundo. E é aqui que mora a “sacada“.

A ideia por trás do Bitcoin

Resumidamente a ideia por trás da maior cripto moeda é justamente fornecer as mesmas características do dinheiro em espécie. As características são: Ser um ativo ao portador, sem intermediários, que forneça privacidade e seja irreversível.

Bitcoin, pagando com a moeda

O Bitcoin funciona da mesma forma como um dinheiro físico. São realizadas transações de uma ponta para a outra, de maneira direta através do sistema chamado Blockchain. Ou corrente de blocos se você quiser traduzir.

Por meio deste sistema são realizadas transações anônimas, sem intermediários e sem o lastro. O lastro neste contexto significa sem algo real que garanta a sua validade. A única coisa que define o valor da moeda são os próprios usuários.

Além de ser uma moeda digital por si só o Bitcoin, através do seu sistema operacional, se tornou um ambiente de pagamentos. Ou seja, através do próprio sistema de posse das moedas você consegue realizar transações, tornando-o assim um ambiente de pagamentos onde trocas podem ser realizadas. O sistema de pagamentos do Bitcoin fornece uma rede global, descentralizada que não depende de governos, instituições ou qualquer outro intermediário.

O que é a Blockchain do Bitcoin?

O sistema de Blockchain nada mais é do que uma espécie de histórico de transações. De maneira literal você pode traçar a rota das transações até o marco zero. Obviamente isso é extremamente difícil, mas não deixa de ser possível. A cada operação realizada é adicionado um novo bloco, na corrente de blocos que compõem a cadeia do blockchain.

iamgem da Blockchain do Bitcoin

Contudo além de um “livro contábil” a blockchain é uma carteira digital onde os bitcoins são armazenados. Suas moedas estão no blockchain, da mesma forma que a sua carteira guarda o seu dinheiro físico. Da mesma forma com que ocorre em corretoras de investimentos, as moedas são suas porém estão em uma plataforma.

Para realizar uma transação com o Bitcoin existem computadores, aliás, uma rede de computadores descentralizada responsável por resolver problemas matemáticos extremamente complexos.

Este é o sistema de validação de uma operação realizada por meio de Bitcoin, e também o meio pelo qual surgem novas unidades. Para validar estas operações esta rede demanda muito processamento e uma capacidade computacional absurda, e é justamente por isso que o número de moedas no mercado é controlado.

Para validar operações e resolver um sistema matemático complexo é necessário um investimento muito alto, o que portanto limita a capacidade de minerar Bitcoins. O processo é chamado de mineração pois imita a mineração tradicional, por ser extremamente complexo.

sistema de validação do Bitcoin

Além da dificuldade de minerar um Bitcoin ser um caráter inibidor de processos inflacionários existe outra barreira que limita a quantidade de moedas existentes. O criador do código que gerou o Bitcoin limitou a quantidade de moedas existentes em 21 milhões.

Assim como ocorre nos sistemas econômicos mundiais a quantidade de moedas precisa ser controlada. Para inibir processos inflacionários só podem existir 21 milhões de unidades. Isto não é um problema pois as unidades de bitcoin podem ser fracionadas em até oito casas decimais atualmente.

Como surgiu o Bitcoin?

Bitcoin, entenda de uma vez por todas

Traçar um caminho direto entre a moeda digital mais comercializada e a sua origem é algo complicado. Mas nada nos impede de tentar.

O começo, ou seja, a origem inicial é motivo de discussões e interpretações. A moeda surgiu primeiramente como uma idéia em um blog onde se discutiam criptomoedas. Após isto foram realizados pequenos passos que podem ser considerados como a origem do Bitcoin.

De maneira genérica a origem mais aceita foi o que ocorreu no dia 31 de outubro de 2008. Este é considerado como um momento decisivo na história monetária da moeda. Foi nesse dia em que o plano de criação e desenvolvimento do Bitcoin foi publicado pela primeira vez. A publicação foi feita em uma lista de e-mail com discussões sobre criptografia e após isso ocorreu a divulgação em um blog deste gênero.

Até este momento a moeda era nada mais do que uma ideia. Porém existem uma série cronológica que pode ser considerada como a origem do Bitcoin.

O início do Bitcoin em imagem

A discussão é complexa mas de maneira genérica, esta cadeia cronológica é composta pelos seguintes acontecimentos:

O criador do Bitcoin, que não possui um identidade, Satoshi Nakamoto minerou o primeiro bloco no dia 3 de janeiro de 2009. Após isto ocorreu a primeira transação entre o criador e Hal Finney. Deste momento em diante, no decorrer do ano a conversa migrou de uma lista de e-mail , onde havia começado, para a plataforma Sourceforge, onde o primeiro fórum Bitcoin foi criado.

Após isto  no dia 22 de novembro de 2009, o usuário criador Satoshi, deus sua primeira saudação aos usuários, através de um fórum chamado bitcointalk.org.

Neste cenário cabe interpretação para definir a real origem da moeda. Seria no mundo das idéias ou na primeira transação? Na criação de uma comunidade ou através de um blog com domínio próprio?

Quem foi Satoshi Nakamoto?

O nome Satoshi Nakamoto é apenas um nome de usuário de um portal de discussão a respeito de criptografia em moedas.

Não é certo o fato de o nome de usuário se tratar de uma pessoa ou de um grupo de pessoas. Existem atualmente diversas teorias a respeito da identidade de quem poderia estar por trás da verdadeira origem do Bitcoin. Contudo por enquanto todas se tratam apenas de especulações.

imagens do possível criador do Bitcoin

Em 2009 o Bitcoin foi apresentado por este usuário em um grupo de discussões chamado The Cryptography Mailing. Em um perfil Satoshi alegou ser um homem de 37 anos, e que vive na Ásia, em específico no Japão. No entanto algumas pessoas especulam que esta alegação é infundada por seu inglês ser impecável, similar a de um nativo. Além do mais o código fonte do Bitcoin não foi realmente criado, ou até mesmo documentado na região do Japão.

Acima de tudo alguns usuários conversaram com o próprio Satoshi. Segundo eles o código era muito avançado e seria impossível que apenas um indivíduo tenha criado. O inglês perfeito do criador, também possui indícios pelo uso de expressões unicamente britânicas, no código de programação e em conversas com usuários.

A ortografia do criador possuía palavras usuais tidas como exclusivas do inglês britânico como por exemplo “bloody hard” utilizada em alguns códigos e linhas de programação.

Além disso alguns estudos sugerem, com base nas postagens e atividades de Satoshi, que ele estaria localizado nas Américas. Estas análises foram feitas por um suíço, membro ativo da comunidade. Segundo ele, em gráficos, é possível sugerir que a atividade do usuário é menor em alguns períodos, o que da uma dica da sua localização.

Vantagens do Bitcoin

O Bitcoin revolucionou tanto a ideia de moeda, quanto o cenário de pagamentos.

Com base nisto nós do Investidor Sardinha compilamos algumas vantagens do Bitcoin e resumimos a dois grupos que englobam a maioria das vantagens.

Bitcoin, entenda de uma vez por todas

1- Rapidez

Inegavelmente transacionar com Bitcoin é algo extremamente ridículo de tão fácil. O único quesito necessário, basicamente é a Internet. As transações realizadas no ambiente da Blockchain são instantâneas o que garante grande agilidade, acessibilidade e destreza nas transações. Principalmente em níveis globais o sistema de pagamentos e operações com Bitcoin são um exemplo de agilidade o que garante grande segurança.

2- Transações diretas de Bitcoin

Por se tratar de uma moeda as transações digitais realizadas por meio do Bitcoin são da mesma forma com que você entrega dinheiro pra alguém. Sem intermediários as operações são realizadas de maneira simples rápida e segura. Em níveis globais fazer uma transferência para outros países, dependendo da instituição financeira, pode levar horas ou até mesmo dias. Já na Blockchain os pagamentos são feitos de maneira rápida, simples e direta.

Perigos do Bitcoin

Apesar de ser uma moeda que garante extrema liberdade para os investidores ou até mesmo para as pessoas comuns, o Bitcoin é alvo de grandes críticas por conta da sua natureza de ponta a ponta. Em um ambiente como o das cripto moedas as “leis” que regem este cenário funcionam de maneira distinta o que pode assustar e comprometer a confiança das pessoas para com a moeda.

Bitcoin, entenda de uma vez por todas

1- Anonimato

Como já falamos anteriormente em uma troca realizada através do Bitcoin as partes não precisam ser identificadas. O que pode gerar benefícios também pode ser um motor gerador de transações ilícitas nas aquisições de bens e serviços ilegais. Uma vez que as partes são anônimas, traçar uma linha direta entre o destinatário e o remetente é uma tarefa extremamente complexa. As informações de uma transação realizada por meio da moeda digital passam por diversos computadores em uma rede enorme, o que inegavelmente contribui para um ambiente onde limites são mais tênues.

2- Instabilidade

Por não possuir um lastro, ou seja, um garantidor, o valor do Bitcoin oscila de maneira inenarrável. A cotação pode variar dezenas casas decimais em intervalos de tempo extremamente curtos.

Apesar de ser um ativo confiável, o valor de cada moeda é definida por normas diferentes das que precificam e controlam moedas de países. A instabilidade aqui é com relação ao preço do ativo (como no IBOVESPA) e não de servidor ou algo do tipo.

É isso aí sardinhas. Esse foi o nosso artigo sobre Bitcoin, não deixem de pesquisar a fundo um ativo como ele antes de  começar a operar no mundo das cripto moedas. Leve sempre em consideração o seu perfil de investidor e respeite ele sempre.

Abraços e bons investimentos. 🙂

Conte-nos a sua opinião...