Parcelamento ou pagamento mínimo do cartão de crédito?

Qual a melhor opção: parcelamento ou pagamento mínimo no cartão de crédito? Vamos estudar as opções nesta matéria. Leia a matéria!

20 de fevereiro de 2024 - por Sidemar Castro


Qual a melhor opção, parcelamento ou pagamento mínimo do cartão de crédito? Essa decisão depende de vários fatores, como o orçamento pessoal, o interesse financeiro e os objetivos de financiamento.

É fundamental analisar o custo-benefício de cada opção e escolher o cartão de crédito que melhor se encaixa nos objetivos e necessidades individuais.

Quer saber mais sobre parcelamento ou pagamento mínimo? Continue a ler a matéria.

Qual é a diferença entre o parcelamento e o pagamento mínimo?

O pagamento mínimo e o parcelamento são duas opções que você tem quando recebe a fatura do seu cartão de crédito e não pode pagar o valor total. No entanto, eles funcionam de maneiras diferentes:

  • Pagamento Mínimo: Quando você opta por pagar o valor mínimo da fatura, você está entrando no chamado crédito rotativo. Isso significa que você paga uma parte da fatura e o restante é transferido para o próximo mês, mas com a adição de juros. Esses juros são geralmente altos e calculados sobre o valor que ficou em aberto. Além disso, o pagamento mínimo compromete o limite do seu cartão, que só é liberado na medida em que você paga as parcelas da fatura.
  • Parcelamento: Se você optar pelo parcelamento da fatura, o saldo devedor do seu cartão é dividido em várias parcelas, como se fosse um empréstimo. A taxa de juros do parcelamento é geralmente menor do que a do crédito rotativo. Assim como no pagamento mínimo, o parcelamento também compromete o limite do seu cartão, que só é liberado conforme você paga as parcelas.

É importante lembrar que ambas as opções implicam o pagamento de juros e podem levar ao endividamento se não forem gerenciadas com cuidado. A melhor opção é sempre tentar pagar o valor total da fatura sempre que possível.

Fazer o parcelamento ou o pagamento mínimo?

Quando é melhor parcelar?

O parcelamento da dívida no cartão de crédito pode ser uma opção interessante em algumas situações, como quando o cliente não tem condições financeiras de pagar o valor total da fatura. Ou, ainda, quando os juros do parcelamento são menores do que os juros do crédito rotativo.

No entanto, é importante avaliar cuidadosamente as condições oferecidas pelo banco ou instituição financeira, como o número e o valor das parcelas, e os juros envolvidos.

Antes de optar pelo parcelamento, é recomendável que o cliente faça um planejamento financeiro para avaliar se terá condições de arcar com as parcelas sem comprometer seu orçamento. Além disso, é importante lembrar que o parcelamento pode gerar um aumento no valor total da dívida devido aos juros envolvidos.

Quando é melhor fazer o pagamento mínimo?

O pagamento mínimo do cartão de crédito é uma opção oferecida pelas instituições financeiras para que o cliente possa quitar ao menos uma parte da fatura e evitar a inadimplência, o bloqueio do cartão e a inclusão do nome em órgãos de proteção ao crédito. No entanto, essa opção gera o crédito rotativo, no qual são aplicados juros altos sobre o valor restante da fatura, o que pode levar a um endividamento significativo.

Portanto, o pagamento mínimo do cartão de crédito é recomendado apenas em situações emergenciais, quando o cliente tem a certeza de que poderá quitar o restante da fatura no mês seguinte. Caso contrário, é preferível buscar alternativas, como o parcelamento da fatura com juros menores ou a negociação direta com o banco para evitar o acúmulo de dívidas e juros elevados.

É importante lembrar que o parcelamento pode gerar um aumento no valor total da dívida devido aos juros envolvidos. Assim, é fundamental avaliar cuidadosamente as condições oferecidas pelo banco ou instituição financeira para garantir que as parcelas possam ser pagas sem comprometer o orçamento.

Em resumo, tanto o parcelamento quanto o pagamento mínimo têm suas vantagens e desvantagens. A melhor opção depende da sua situação financeira específica e da sua capacidade de gerenciar os pagamentos futuros. É sempre recomendável pagar o valor total da fatura sempre que possível para evitar o acúmulo de juros.

Por que e como evitar dívidas no cartão de crédito?

Evitar dívidas no cartão de crédito é importante por várias razões:

  • Juros Altos: Os juros do cartão de crédito são geralmente muito altos. Se você não paga a fatura integralmente, os juros são cobrados sobre o saldo restante.
  • Crédito Reduzido: Se você tem uma dívida no cartão de crédito, seu limite de crédito é reduzido. Isso pode limitar sua capacidade de fazer compras futuras.
  • Score de Crédito: Dívidas no cartão de crédito podem afetar negativamente seu score de crédito, o que pode dificultar a obtenção de empréstimos ou crédito no futuro.
  • Endividamento: Dívidas no cartão de crédito podem levar ao endividamento, o que pode causar estresse financeiro e emocional.

Aqui estão algumas dicas para evitar dívidas no cartão de crédito:

  • Controle seus gastos: Anote e entenda para onde o seu dinheiro vai todos os meses, a fim de descobrir quais são os gastos essenciais e quais podem ser cortados para reduzir as despesas.
  • Faça listas de compras: Planeje suas compras com antecedência para evitar compras impulsivas.
  • Estabeleça um valor máximo de gastos: Defina um limite para quanto você pode gastar com seu cartão de crédito a cada mês.
  • Pague integralmente: Sempre que possível, pague a fatura do cartão de crédito integralmente para evitar juros.
  • Evite novas dívidas: Evite fazer novas compras com o cartão de crédito enquanto você está tentando quitar a dívida existente.
  • Monitore sua pontuação de crédito: Acompanhe regularmente sua pontuação de crédito para garantir que o pagamento da dívida esteja refletindo positivamente em seu histórico.

Leia mais: agora que você sabe as diferenças entre parcelamento ou e pagamento mínimo, conheça 10 benefícios de usar cartão de crédito

George Stigler: vida e carreira do Nobel de economia

Margaret Thatcher: quem foi e quais foram as contribuições dela?

Economia comportamental: o que é e como funciona?

Daniel Kahneman: biografia e carreira do Nobel de economia