Agiota: o que é, é confiável e por que evitar?

Um agiota é quem empresta dinheiro de maneira ilegal. Esta prática é considerada um crime contra a economia popular no Brasil. Saiba mais!

18 de outubro de 2023 - por Sidemar Castro


Um agiota é uma pessoa que empresta dinheiro de forma ilegal, muitas vezes a partir de recursos obtidos de forma ilícita, para quem precisa. Eles oferecem empréstimos com taxas de juros extremamente altas e sem ter autorização do Banco Central para fazer isso.

Em outras palavras, o agiota é um criminoso. Isso porque emprestar dinheiro sem autorização do Banco Central é crime contra o Sistema Financeiro Nacional e contra a economia popular. A agiotagem é uma prática criminosa e bastante perigosa, pois os agiotas costumam usar métodos de cobrança abusivos, ameaçando e até mesmo agredindo e extorquindo os devedores.

Os alvos dos agiotas são, sobretudo, cidadãos que já estão fragilizados e desesperados, que não conseguem outras opções de crédito no mercado. Portanto, é importante evitar pegar dinheiro com agiotas e buscar meios legais e confiáveis para conseguir crédito.

Quer saber mais? Leia a matéria e aprenda.

O que é um agiota?

Um agiota é uma pessoa que empresta dinheiro a outras pessoas com juros excessivos e superiores ao permitido por lei, sem possuir uma empresa financeira registrada. A agiotagem é considerada crime contra a economia popular, extorsão, enriquecimento ilícito, entre outros.

Os alvos dos agiotas são cidadãos que já estão fragilizados e desesperados, que não conseguem outras opções de crédito no mercado. Eles oferecem dinheiro muito fácil e rápido, sem pedir comprovação de renda do indivíduo, e muitas vezes o contrato é feito de forma verbal. Isso pode ser uma facilidade no começo, mas se torna uma dor de cabeça porque o agiota não tem meios legais para cobrar a devolução do dinheiro e tende a manipular a vítima devedora por meio de ameaças

Para evitar aderir a essa prática criminosa, é importante buscar meios legais e confiáveis para conseguir dinheiro. Alguns exemplos são:

  • Instituições financeiras: Bancos, cooperativas de crédito e financeiras são opções seguras e regulamentadas para conseguir empréstimos.
  • Empréstimo consignado: É uma modalidade de empréstimo em que as parcelas são descontadas diretamente do salário ou benefício do INSS.
  • Empréstimo com garantia: É uma modalidade de empréstimo em que o solicitante oferece um bem como garantia, como um imóvel ou um veículo.
  • Saque do FGTS: Quem tem saldo em contas ativas ou inativas do FGTS pode antecipar o saque de parte do dinheiro.

Em resumo, é importante evitar agiotas porque a prática é ilegal, pode trazer prejuízos financeiros e psicológicos e não há meios legais para cobrar a devolução do dinheiro. É fundamental buscar meios legais e confiáveis para conseguir dinheiro, como empréstimos em instituições financeiras, empréstimo consignado, empréstimo com garantia e saque do FGTS.

Pegar empréstimo com agiota é confiável?

Pegar empréstimo com agiotas geralmente não é uma boa ideia por várias razões:

Crime

Em muitos países, a agiotagem é ilegal. Portanto, um crime. Agiotas operam fora do sistema financeiro regulamentado, o que significa que eles não estão sujeitos às leis e regulamentos que protegem os consumidores. Isso pode levar a práticas injustas e potencialmente criminosas.

Juros Abusivos

Agiotas são conhecidos por cobrar taxas de juros extremamente altas. Essas taxas podem ser muitas vezes superiores às permitidas por lei para instituições financeiras regulamentadas. O que pode resultar em uma dívida que cresce rapidamente e pode ser difícil de pagar.

Cobrança

Agiotas podem usar táticas de cobrança agressivas ou até mesmo ameaçadoras. Isso pode incluir ameaças de violência ou intimidação para garantir o pagamento da dívida.

Em vez disso, é aconselhável procurar opções de empréstimo seguras e regulamentadas, como bancos ou cooperativas de crédito. Se você estiver com dificuldades financeiras, também pode ser útil procurar aconselhamento de um conselheiro financeiro ou de uma organização sem fins lucrativos que ofereça serviços de aconselhamento sobre dívidas.

Quais são as alternativas mais indicadas?

Empréstimo Consignado

O empréstimo consignado é uma modalidade de crédito especial para aposentados, pensionistas do INSS, funcionários de empresas e órgãos públicos conveniados, além de beneficiários de alguns programas sociais. É um crédito que não necessita de avalista e tem taxas de juros mais baixas que as do empréstimo pessoal.

O valor das parcelas é descontado diretamente da folha de pagamento (servidores públicos) ou do benefício (no caso de aposentados e pensionistas do INSS).

Por exemplo, no Banco Bradesco, você tem até 120 dias para pagar a 1ª parcela e até 8 anos para pagar o empréstimo¹. No Banco do Brasil, o pagamento pode ser feito em até 120 meses.

Empréstimo com Garantia

O empréstimo com garantia é uma modalidade de crédito em que os clientes oferecem bens ou recursos financeiros como garantia de pagamento. Dessa forma, a instituição financeira se sente mais segura para liberar o dinheiro solicitado e, consequentemente, oferece taxas mais baixas, maior prazo para pagamento e outras vantagens atrativas.

Existem diferentes tipos de empréstimos com garantia, dependendo do bem oferecido como garantia:

  • Empréstimo com Garantia de Imóvel: Nesta modalidade, você usa seu imóvel quitado como garantia e obtém benefícios como menor taxa de juros, altos valores de crédito e maiores prazos para pagar. Por exemplo, no Itaú, você pode usar o crédito como desejar.
  • Empréstimo com Garantia de Veículo: Nesta modalidade, você usa seu veículo como garantia. No Banco BMG, por exemplo, você pode obter crédito com taxas atrativas usando seu veículo como garantia.
  • Empréstimo Pessoal com Garantia: Para quem tem aplicação financeira e deseja contratar um empréstimo. A aplicação é dada em garantia da operação.

Lembre-se sempre de pesquisar e comparar as condições oferecidas por diferentes instituições antes de tomar uma decisão.

Fontes: Creditas, Supersim, Bangi, Banco Pan

Microeconomia: o que é, como funciona e quais são os elementos?

George Stigler: vida e carreira do Nobel de economia

Margaret Thatcher: quem foi e quais foram as contribuições dela?

Economia comportamental: o que é e como funciona?