Quais os efeitos do coronavírus na Bolsa de Valores?


Ao menos que você tenha passado os últimos meses em uma bolha certamente você já ouviu falar do vírus mais preocupante da atualidade, que já conta com mais de 100 mil casos. O coronavírus!

Principalmente se for investidor você com certeza sabe dos efeitos catastróficos dele nas economias globais. Índices como o IBOVESPA, S&P 500 entre outros já acumulam quedas de grandes volumes o que vem provavelmente tirando o sono de muitos.

Mas você realmente sabe o motivo pelo qual o covid-19 afeta tanto as economias ao redor do globo?

O que é o coronavírus?

Quais os efeitos do coronavírus na Bolsa de Valores?

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

De maneira bem resumida o covid-19 nada mais é do que um membro da família viral dos coronavírus (CoV). Essa família já é conhecida desde a década de 60 e ao longo da sua vida você já experimentou vários deles. Ao ser infectado o vírus causa sintomas semelhantes ao de uma gripe comum.

Os tipos mais comuns do vírus são o Alpha coronavírus e Beta coronavírus. Segundo a Agência Brasil “o novo coronavírus (SARS-Cov-2) causa a doença denominada Covid-19, que teve início na China, em dezembro de 2019.”

O que torna o vírus atual tão grave não é uma mutação específica nem menos um problema incurável, mas sim o seu crescimento e disseminação assintomática, de maneira exponencial.

Um vírus assintomático é aquele na qual a transmissão pode ser obtida por um vetor que não apresenta sintomas. Portanto não adianta evitar pessoas que apresentam sintomas pois na maioria dos casos a transmissão é feita por quem não apresenta indícios de estar contaminado.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Inegavelmente o crescimento dos casos, de maneira genérica, se deve ao seu crescimento exponencial. Ou seja onde 1 se transforma em 2 e dois se transforma em 4, que se transforma em 8 e assim por diante. Em apenas 20 duplicações o número de contaminados é de um milhão. Com base neste cenário temos o motivo da alegação de que “a dengue é muito pior” ser a maior besteira que alguém pode falar.

Qual o grande problema do corona vírus no Brasil?

Contudo o problema no Brasil é ainda pior, pelo seguinte motivo: Em um crescimento exponencial o covid-19 pode causar um colapso no sistema de saúde brasileiro.

Se ignorarmos medidas de contenção do vírus o sistema de saúde irá ter que lidar com vários casos ao mesmo tempo. E o problema está no fato de todos necessitarem de cuidados de uma vez só.

Quais os efeitos do covid-19 na Bolsa de Valores?

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A população brasileira é composta por 210 milhões de brasileiros. Em um cenário onde apenas 10% da população seja contaminada temos um número de 21 milhões de infectados. Porém dos casos de infectados apenas 13,8% precisam de ir ao hospital.

Dos casos que precisam de um tratamento, apenas uma pequena parcela necessita de tratamento intensivo em centros como UTI’s. Contudo o sistema de saúde brasileiro já opera no limite. Segundo pesquisas temos 2 centros de UTI para cada 10 mil pessoas, o que da aproximadamente pouco mais de 50.000 leitos de UTI. Ademais contando centros de tratamentos normais e intensivos temos pouco mais de 500 mil leitos.

Quais os efeitos do coronavírus na Bolsa de Valores?

Se todos precisarem de atendimento o sistema de saúde pode enfrentar uma crise muito mais severa do que o imaginável. A problemática do covid-2019 no Brasil é justamente esta: a curva exponencial de aumento de casos aliada a um sistema que já trabalha em seu limite operacional.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Por que o coronavírus afeta tanto a economia mundial?

Certamente você tem buscado entender o motivo pelo qual uma pequena epidemia, em uma cidade central da china, se transformou no colapso econômico e na histeria mundial. Acarretando quedas proporcionais a crise de 2008 nas principais bolsas de valores do mundo.

Entender os motivos pelos quais a pandemia do coronavírus provocou tal retração nas economias globais é basicamente simples. A parte mais complexa é entender as consequências por trás das retrações econômicas pois a verdade é: ainda não sabemos.

Acima de tudo para compreender o real motivo das quedas que índices como o IBOVESPA vem experimentando é necessário ter claro que a bolsa de valores é um mercado de fofoca e de especulação. O temor por trás da incerteza é o motor gerador do cenário que está posto para nós.

Os motivos principais são basicamente os seguintes:

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

1 – Produção e consumo

Quais os efeitos do coronavírus na Bolsa de Valores?

A princípio razão causadora do chamado crash-coronavírus (como vem sendo chamado o cenário atual) é o simples fato da epidemia ter começado na segunda maior economia global.

A China sozinha é o maior mercado consumidor do mundo. Apenas a economia chinesa consome proporcionalmente mais do que vários países em termos de bens de consumo e matérias-primas, e neste momento é que o cena começa a ficar mais nebulosa.

Além de ser o maior mercado consumidor, o mercado chinês é um dos principais pontos de partida de produtos e insumos, e para comprovar isso é só pegar qualquer produto em sua casa e ler o “made in china“.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O cenário industrial do país conta com um mercado que consome e produz diariamente a maioria dos produtos que circulam no mercado ao redor do mundo todo. O Brasil possui mais de 20% de suas exportações para o mercado chinês, e com a paralisação da produção de maneira abrupta os preços tendem a oscilar.

Ao paralisar ou diminuir a sua produção, como o que aconteceu no início da crise, a china causa um efeito dominó que afeta os mercados que mesmo em pequena escala “dependem” dela.

Além disso na área da demanda os mercados chineses consomem grandes montantes, o que gerou comunicados como os feitos pela Apple. As grandes empresas, com base nas paralisações do mercado chinês comunicaram resultados preocupantes com relação ao primeiro trimestre de 2020, o que aumentou ainda mais o pânico em massa.

2- Risco

Quais os efeitos do coronavírus na Bolsa de Valores?

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Em momentos de crise o principal fator a ser considerado é o risco. A incerteza leva os investidores a migrarem para ativos com menos risco envolvido, criando um movimento pesado de venda. Ao migrarem para ativos mais seguros os investidores aumentam a quantidade de papéis, ou seja, de liquidez no mercado causando um aumento na oferta diminuindo o preço consequentemente.

Contudo em momentos de volatilidade os países emergentes como o Brasil, são caracterizados como uma zona de risco para os investimentos externos. Por se tratar de uma economia em desenvolvimento o risco fatalmente aumenta, o que leva os investidores a buscarem por segurança. Daí um dos motivos da volatilidade no câmbio.

Ao saírem do mercado brasileiro os investidores levam grandes volumes de moedas americanas, diminuindo o número total de dólar no nosso mercado criando assim um aumento na distância entre o Real e o Dólar.

3- Histeria

Quais os efeitos do coronavírus na Bolsa de Valores?

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A bolsa de valores, antes de tudo, é um mercado de especulação. Assim sendo as notícias pesam de maneira diferente no cenário econômico. Como resultado da combinação entre o risco e a paralisação dos mercados a histeria se estabelece causando um cenário caótico de migração e liquidez, o que causa os resultados que todos estamos acompanhando.

Nos casos mais graves a histeria leva os investidores a tomarem medidas precipitadas, sem considerar fatores importantes que levaram a escolha de um ativo. Ao investir em empresas você se torna sócio dela, o que está oscilando é o preço e não o valor.

Warren Buffett certa vez disse que preço é o que você paga, valor é o que você leva. Em momentos de crise nada melhor do que reafirmar os motivos pelos quais cada um de nós começamos no mundo dos investimentos.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Então é isso sardinhas. Não se abalem pela histeria e reflitam no longo prazo com base nos motivos que levaram você a investir em determinada empresa.

Abraços e bons investimentos. 🙂


Conte-nos a sua opinião...