3 Anotações para você juntar os seus primeiros R$100.000


Preciso reforçar que juntar os seus primeiros R$100.000 é a tarefa mais difícil de todas para o investidor.

Uma vez que chegar neste valor através de uma consistência nos aportes, um hábito é criado e daí para o milhão vai ser uma estrada bem mais curta.

A diferença entre Juntar e Investir R$100.000.

Veja a diferença absurda:

Para juntar R$100.000, acumulando R$500 todos os meses durante 10 anos consegue-se um patrimônio de R$60.530.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

No entanto, investindo a uma taxa de 12% (abaixo da taxa selic) ela chega em R$112.517.

Selic em 13,25% – hora do “burro” ganhar dinheiro

Essa diferença é ainda maior quanto mais tempo se passa: 20 anos o capital total seria de R$460.428, 30 anos? R$1.540.986.

No começo parece que os juros não estão tendo diferença, mas num longo prazo os juros sobre os juros já gerados criam uma bola de neve.

3 Anotações para você juntar os seus primeiros R$100.000

1. Organizar a sua vida financeira

É nossa primeira lição ao qual precisamos ficar atentos.

“mas Raul, não consigo fazer planilha”, então você não precisa… só precisa saber quanto você ganha por mês.

Nem que seja uma média com base no cálculo de ganhos anuais.

Independente do seu salário, precisa-se tirar os custos fixos para identificar o dinheiro que “sobra”.

Após identificar quanto sobrou, considerando a preferência por investir 25% do seu salário, é necessário já realizar seu investimento.

Esse foco em não investir o que sobra, mas sim de investir antes de gastar a “sobra” é o que vai garantir sua eventual disciplina em aportar corretamente e chegar na bola de neve o quanto antes.

Falando em organizar sua vida financeira, veja 10 Passos para equilibrar as finanças pessoais.

2. Não saque o investimento

Quando você está começando a investir, considera seus investimentos como uma grana guardada mas disponível a qualquer hora com um saque quase que imediato.

Amizades, namoros ou desejos por prazeres eventuais que gastem muito além de o que você pode adquirir podem te fazer realizar esses eventuais saques.

Uma ótima alternativa para evitar isso de acontecer é de travar seu investimento num tesouro IPCA+ com vencimento de daqui vários anos, assista ao vídeo abaixo para mais detalhes em como fazer isso pela corretora IsaEx.

3. Parar de abrir a corretora para olhar seu saldo investido

Não se deve conferir o saldo da corretora diariamente.

Crie o hábito de abrir a corretora pouquíssimas vezes, se não, uma única para fazer os aportes mensais.

Pois é perigoso você acabar desenvolvendo uma ansiedade ao verificar seu saldo em decadência ou até mesmo em crescente, o que pode te atrapalhar em gerar renda para aportes eventuais.

Vislumbrar oportunidades no dia a dia de usar aquele saldo também é um dos perigos de se abrir a corretora diariamente. Exemplo: “ah, tenho R$20.000 na corretora para poder fazer uma viagem”.

Aliás, falando em corretoras… você sabe quanto de taxa esta pagando na sua corretora?

Lembre-se pessoal, vai demorar? Vai.

Mas, novamente, depois do R$100.000 não tem como voltar mais, se adquiriu a disciplina de continuar a bola de neve, agora flui com tranquilidade.

Gostou do conteúdo? Então, não deixe de assistir ao vídeo acima (do canal Investidor Sardinha) em que detalho mais sobre finanças pessoais.

Aproveite e faça parte da nossa comunidade no Instagram (@oraulsena) pra ficar sempre por dentro dos investimentos e da Bolsa de Valores.

E não deixe de conferir, também: Tipos de Juros: conheça os sete principais e como impactam suas finanças.


Conte-nos a sua opinião...