10 dicas para pegar empréstimo sem se afundar em dívidas

Dicas para pegar empréstimo sem se afundar em dívidas, envolvem pesquisa, educação e planejamento financeiro, por exemplo. Conheça 10 dicas.

17 de junho de 2024 - por Sidemar Castro


Hoje você vai conhecer algumas dicas para pegar empréstimo sem se afundar em dívidas. Para começar, antes de solicitar um empréstimo, você pode fazer uma simulação para entender melhor as parcelas e taxas que você precisará pagar. Isso ajudará a evitar surpresas financeiras negativas.

Outra dica é selecionar a modalidade de empréstimo que melhor se adapte às suas necessidades financeiras. Pesquise, também, a reputação da instituição financeira antes de solicitar o empréstimo, através de sites como o Reclame Aqui e Procon para avaliar o posicionamento da instituição no mercado.

Seguindo algumas das dicas que mostraremos nessa matéria, você pode pegar um empréstimo sem se afundar em dívidas e começar a construir um futuro financeiro mais estável. Leia!

10 dicas para pegar empréstimo sem se afundar em dívidas

1) Prefira o Crédito Consignado, Mas Pesquise Antes de Contratar

O crédito consignado é uma modalidade de empréstimo que desconta as parcelas diretamente do salário ou benefício do INSS, tornando o risco para a instituição financeira baixo.

Além disso, as taxas de juros do crédito consignado são geralmente mais baixas do que outras opções de empréstimo. No entanto, é fundamental pesquisar antes de contratar para garantir as melhores condições.

2) Busque Refinanciar Suas Dívidas

Se não puder contratar o crédito consignado, uma boa opção é o empréstimo pessoal. Isso porque as taxas cobradas são menores do que as do cheque especial ou da compra com juros.

Busque empréstimos diferentes com taxas menores e, se necessário, pergunte ao seu gerente se existe a possibilidade de recalcular seu saldo devedor. O refinanciamento de empréstimo permite alterar as condições do contrato, como prazos e valores, tornando-o mais vantajoso. Isso pode ser uma boa solução para diminuir o endividamento.

3) Tome Cuidado com Golpes em Empréstimos Online

Fique atento a sites e aplicativos de empréstimo online que prometem taxas mais baixas do que os bancos tradicionais. Desconfie de empresas que pedem adiantamento em dinheiro para cobrir supostas taxas ou impostos, pois essa prática não é comum no mercado.

Cheque se a empresa realmente existe e tem um CNPJ registrado na Receita Federal e verifique a reputação da empresa através de sites como Reclame Aqui e redes sociais.

Mas principalmente, não tenha pressa. Não feche negócio com a primeira empresa que consultar. Desconfie de contatos suspeitos feitos por e-mail ou aplicativos de mensagens. Verifique se o site é seguro, com o símbolo de um cadeado e “https://” no endereço.

Outra dica é não utilizar computadores públicos para transações financeiras, pois não há garantia de segurança. Além disso, desconfie de ofertas com taxas muito baixas ou condições de pagamento muito boas para serem verdadeiras.

4) Compare o Custo Efetivo Total

Além da taxa de juros, compare o Custo Efetivo Total (CET) do empréstimo. Ele ajudará a entender melhor as parcelas e taxas que você precisará pagar.

A taxa média de juros do empréstimo pessoal não consignado em junho foi de 7% ao mês, mas entre os bancos e financeiras, essa taxa variou entre 1,42% ao mês e 22,19% na última semana de julho.

5) Organize o Orçamento e Priorize os Gastos

Para evitar novas dívidas, é fundamental organizar o orçamento e priorizar os gastos. Esse procedimento ajudará a controlar as despesas e garantir que as parcelas do empréstimo sejam pagas regularmente.

Use aplicativos ou planilhas para controlar as despesas e manter o controle financeiro.

Liste todas as suas despesas e receitas para entender melhor como você está usando o seu dinheiro. Essa ação ajudará a identificar áreas onde você pode cortar gastos e liberar recursos para pagar as dívidas.

Classifique as despesas em categorias, como necessárias (alimentação, moradia, etc.) e não necessárias (entretenimento, viagens, etc.). Priorize as despesas necessárias para garantir que você tenha dinheiro suficiente para pagar as contas básicas.

6) Negocie Descontos

Se tiver dívidas com juros altos, tente negociar com os credores para reduzir as taxas ou prazos de pagamento. Dessa maneira, isso pode ajudar a diminuir o valor total das dívidas e tornar mais fácil de pagar.

Se possível, tente quitar as dívidas à vista para conquistar descontos significativos. Pode ser uma ótima oportunidade para reduzir o valor total das dívidas.

Quando se antecipa o pagamento total do empréstimo, os descontos são dados sobre os juros incidentes proporcionais ao tempo de adiantamento. O que pode ajudar a economizar dinheiro e reduzir o valor total das dívidas.

7) Leia o Contrato

Antes de assinar o contrato do empréstimo, leia-o cuidadosamente e questione sobre qualquer dúvida. Parece uma atitude óbvia, mas ela é elementar, e muitas pessoas pagam caro por não ficarem atentos o sufuciente sobre o que está acordado.

Dessa maneira, você poderá antecipar muitos problemas e evitar dívidas futuras, assim como garanti que esteja fazendo um bom negócio.

8) Tenha uma Reserva de Emergência

É fundamental ter uma reserva de emergência para pegar um empréstimo sem se afundar em dívidas. A reserva de emergência é um recurso que protege o orçamento de novas dívidas causadas por situações inesperadas, como perda do emprego, redução de renda, problemas de saúde, etc.

Tendo uma reserva de emergência, você pode evitar que o empréstimo se torne uma bola de neve de dívidas. Ela é recomendada para cobrir despesas emergenciais por um período de três a doze meses, dependendo do padrão de vida e do orçamento.

9) Crie Estratégias de Pagamento

Divida as metas em passos menores e crie estratégias para pagar as contas mais altas ainda no primeiro semestre. Isso ajudará a manter o controle financeiro e garantir que as dívidas sejam pagas.

Dívidas com taxas altas de juros podem se tornar mais caras. Por isso, é importante priorizar o pagamento das contas que têm uma taxa de juros maior e que, por isso, são mais urgentes.

Para ter esse tipo de pensamento estratégico, a educação financeira é fundamental. Estudando, você evitará novas dívidas e manterá o controle sobre as contas.

10) Procure Ajuda Especializada

Se você estiver com dificuldades para gerenciar suas dívidas, procure ajuda especializada. Serviços como o Serasa Crédito podem ajudar a encontrar opções de empréstimo e cartão de crédito gratuitamente e 100% online.

Seguindo essas dicas, você pode pegar um empréstimo sem se afundar em dívidas e começar a construir um futuro financeiro mais estável.

Fontes: Inteligência Financeira, CNN Brasil, Exame, Serasa

8 dicas do que fazer com a restituição do IR

Como comprar euro mais barato

As dívidas mais comuns entre os brasileiros e como evitá-las

Programa de fidelidade: o que é, como funciona e exemplos