Cheque especial: o que é, como funciona e taxa de juros

O cheque especial é uma tipo de empréstimo automático, disponível desde o momento da abertura da conta corrente. Saiba mais sobre ele.

3 de agosto de 2021 - por Sidemar Castro


O cheque especial é uma modalidade de empréstimo automático, disponibilizado para os clientes, desde o momento da abertura da conta corrente.

A grande vantagem do cheque especial é que ele fica disponível automaticamente quando o saldo da conta acaba. Ou seja, o acesso é facilitado e não precisa de análise de crédito.

Em contrapartida, ele é extremamente maléfico para as finanças pessoais. Isso porque, ele possui juros altíssimos, já que as instituições liberam o limite sem realizar uma análise de crédito do cliente.

O que é cheque especial?

O cheque especial é um limite de crédito pré-aprovado que está disponível na sua conta a qualquer momento, sem precisar de solicitação. Ele é uma espécie de empréstimo de emergência, justamente por não depender de análises de crédito para ser aprovado.

Quando você realiza uma transação com um valor maior do que tem em conta, o especial é acionado automaticamente. Por exemplo, se você tiver um saldo de R$200 em sua conta e fizer uma compra de R$600 no débito, usará R$400 do cheque especial.

É importante ressaltar que o uso do cheque especial tem um custo alto. Muitos bancos oferecem um período no qual aquele limite disponível pode ser utilizado sem a aplicação de juros. Por exemplo, 10 dias. Ainda assim, existe a cobrança de IOF, o Imposto sobre Operações Financeiras.

Em fevereiro de 2023, segundo levantamento do Procon-SP, o juro médio do cheque especial praticado pelos grandes bancos no Brasil foi de 7,96% ao mês, o equivalente a 150,56% ao ano.

Como funciona o cheque especial?

Ele funciona como um tipo de crédito pré-aprovado que o banco oferece diretamente na sua conta corrente. Quando você realiza uma transação que excede o saldo disponível em sua conta, o crédito é acionado automaticamente.

Por exemplo, se você tiver um saldo de R$200 em sua conta e fizer uma compra de R$600 no débito, usará R$400 do cheque especial. Nesse momento, o extrato bancário mostrará saldo de –R$400 e você ainda terá à disposição o restante do seu limite do especial.

É importante lembrar que o valor utilizado por ele sofre a cobrança de juros diários, que podem variar de acordo com a instituição. Muitos bancos oferecem um período no qual aquele limite disponível pode ser utilizado sem a aplicação de juros. Por exemplo, 10 dias. Ainda assim, existe a cobrança de IOF, o Imposto sobre Operações Financeiras.

É recomendável devolver ao banco esse dinheiro utilizado o mais rápido possível, especialmente se você tiver direito de usar o cheque especial sem juros por alguns dias. Isso pode ajudar a evitar a cobrança de juros elevados. Em fevereiro de 2023, o juro médio do cheque especial praticado pelos grandes bancos no Brasil foi de 7,96% ao mês, o equivalente a 150,56% ao ano.

Regras de funcionamento

Desde 2018 foram implementadas algumas novas regras de funcionamento para o cheque especial. A intenção é evitar que os clientes fiquem confusos sobre o uso do limite pré-aprovado e que as pessoas passem a usar esse crédito de forma mais consciente. Enfim, as principais mudanças foram:

  1. Notificação: O banco deve evitar uma notificação para o cliente avisando que ele começou a usar o limite do cheque especial. O objetivo do aviso é que o cliente tenha conhecimento de que está utilizando uma linha de crédito com juros altos.
  2. Extrato: No extrato deve constar qual o cheque especial e qual o valor disponível na conta. A intenção é evitar que os clientes façam confusão sobre os valores.
  3. Negociação: Os clientes podem entrar em contato com o banco e negociar melhores condições de pagamento.
  4. Juros mais baixos: Se o cliente tiver uma dívida no cheque especial superior a 15% do seu limite de crédito por mais de 30 dias, o banco deve oferecer uma linha com juros mais baixos.
  5. Tarifa: O banco pode cobrar uma tarifa de pré-aprovação do especial. Dessa maneira, se você tiver um limite aprovado acima de R$ 500,00 ele pode cobrar tarifas de até 0,25% ao mês sobre o excedente, mesmo que você não use o limite.

Como calcular os juros?

Para calcular os juros do cheque especial, você precisa saber a taxa de juros cobrada pelo banco, o saldo negativo (valor utilizado do limite) e o número de dias em que o valor foi utilizado. A fórmula básica para calcular os juros é a seguinte:

Juros = (Saldo negativo) x (Taxa de juros diária) x (Número de dias)

A taxa de juros diária pode ser calculada dividindo a taxa de juros mensal pelo número de dias do mês. Por exemplo, se a taxa de juros mensal for de 8%, a taxa diária será de 0,27% (8 dividido por 30).

Vamos considerar um exemplo: se você utilizou R$ 500 do cheque especial por 15 dias e seu banco aplicar uma taxa de juros no valor de 8% ao mês, em um mês de 20 dias úteis, você pagará:

Juros = R$ 500,00 x 15 x 0,40 = R$ 30,00 de juros

É importante lembrar que os juros são cobrados diariamente e podem variar de acordo com a instituição. Portanto, é recomendável devolver o mais rápido possível ao banco esse dinheiro, especialmente se você tiver direito de usar o cheque especial sem juros por alguns dias. Afinal, isso pode ajudar a evitar a cobrança de juros elevados.

Por que os juros do cheque especial são altos?

Os juros dele são altos por várias razões:

  • Facilidade de acesso: O cheque especial é um crédito pré-aprovado que fica disponível para a maior parte dos correntistas do banco a todo momento. Como a aquisição dessa modalidade de crédito não depende de uma avaliação minuciosa ou garantias por parte do tomador do crédito, os bancos aplicam uma taxa mais elevada.
  • Risco de inadimplência: Os juros são elevados justamente porque a instituição financeira não tem nenhuma garantia de que você irá pagar a dívida. Afinal, o limite do cheque especial está sempre disponível e a instituição não sabe quando entrará dinheiro na sua conta novamente.
  • Custo de captação e spread bancário: As taxas são altas devido ao custo de captação do banco e do spread bancário. O spread bancário é a diferença entre o que o banco paga para obter dinheiro (por exemplo, através de depósitos à vista ou fundos de renda fixa) e o que cobra ao emprestá-lo para seus clientes. Como essa diferença é alta, os bancos tendem a cobrar taxas de juros mais altas de seus clientes.

Portanto, é importante ter um bom planejamento financeiro para evitar o uso do crédito e, consequentemente, a cobrança desses juros altos.

Quando usar o cheque especial?

Ele deve ser usado com cautela, pois os juros cobrados são geralmente muito altos.

Em algumas situações, entretanto, em que o uso do cheque especial pode ser considerado. Por exemplo, ele pode ser útil em situações de emergência, quando você precisa de dinheiro imediatamente e não tem outras opções disponíveis.

Alguns bancos oferecem um período no qual o limite do cheque especial pode ser utilizado sem a aplicação de juros. Se você puder devolver o valor utilizado dentro desse prazo, poderá evitar a cobrança de juros.

Se você tem clareza sobre o impacto na sua realidade financeira e sabe como utilizá-lo minimizando os possíveis riscos. No entanto, é importante lembrar que o cheque especial não deve ser visto como uma extensão do seu salário ou como uma fonte regular de financiamento.

Como usar o cheque especial com sabedoria?

De uma maneira bem sucinta, aqui estão algumas dicas de como você pode usá-lo:

1. Use apenas em caso de extrema urgência

O cheque especial deve ser usado somente em situações de emergência, quando você precisa de dinheiro imediatamente e não tem outras opções disponíveis.

Fazer uma reserva de emergência pode ser uma boa ideia, enquanto não surge uma necessidade, daquelas que você nunca espera e, aí sim, você se vê obrigado a usar o cheque especial.

2. Cubra o valor utilizado rapidamente

É fundamental devolver ao banco o dinheiro utilizado, rapidamente, enquanto você ainda pode. Ainda mais se você tiver direito de usar o cheque especial sem juros por alguns dias.

Essa possibilidade vai ajudar muito que você possa evitar a cobrança dos juros elevados de que ele têm.

3. Tenha consciência de que o cheque especial é um crédito contratado

Ele não deve ser visto como uma extensão do seu salário ou como uma fonte regular de financiamento. Esse é o pior conceito que você pode fazer do que representa o cheque especial.

Você deve consciência de que ele é um tipo de crédito pré-aprovado que o banco oferece diretamente na sua conta corrente.

4. Planeje suas finanças

Ter um bom planejamento financeiro, saber como fazer uso do dinheiro em seu dia a dia, pode ajudar a evitar o uso do cheque especial.

E, dessa maneira, você possa evitar o pior do cheque especial, que é a cobrança desses juros altos que serão um peso no seu orçamento pessoal.

5. Conheça as taxas de juros

Antes de usar o cheque especial, é importante conhecer as taxas de juros cobradas pelo seu banco. Se você saber exatamente quais as condições, as taxas e como as evitar, você terá um futuro livre de surpresas desagradáveis.

Quais são as vantagens do cheque especial?

Aqui estão algumas vantagens do cheque especial:

1. Crédito pré-aprovado

O cheque especial é um crédito pré-aprovado que fica disponível na sua conta corrente até que você precise dele.

Ou seja, isso significa que você não precisa passar por um processo de aprovação toda vez que precisar do dinheiro.

2. Facilidade de acesso

O cheque especial pode ser acessado a qualquer momento, o que pode ser útil em situações de emergenciais.

Se você não dispor de uma reserva de emergência, ele está sempre disponível, independentemente do horário ou do dia da semana.

3. Sem burocracia

Diferentemente de outros tipos de empréstimos, o cheque especial não requer nenhum tipo de burocracia para ser utilizado.

Não há necessidade de preencher formulários ou fornecer garantias à instituição financeira. Ele está lá, disponível, e você poderá usá-lo quando precisar.

4. Flexibilidade

O cheque especial oferece flexibilidade para cobrir despesas inesperadas, de qualquer tipo.

Se você tiver uma despesa inesperada e não tiver dinheiro suficiente em sua conta, o cheque especial, automaticamente, irá cobrir essa conta e a despesa será resolvida.

5. Ausência de encargos em caso de não utilização

Geralmente, se você não utilizar o cheque especial, não haverá encargos. Ou seja, isso significa que você só paga juros se realmente usar o dinheiro.

No entanto, se você for precavido, saberá usar o cheque especial com cautela, devido às altas taxas de juros associadas.

Se você puder se dar ao luxo, é melhor buscar outras opções de crédito mais econômicas. Mas é bom saber que o cheque especial estará lá, disponível para qualquer situação inesperada, o que pode deixá-lo mais tranquilo quanto ao seu futuro.

E as desvantagens?

Aqui estão algumas desvantagens do cheque especial:

1. Juros altos

O cheque especial é conhecido por ter uma das taxas de juros mais altas do mercado. Em outras palavras, significa que, se você usar o cheque especial, pode acabar pagando muito mais do que o valor que realmente usou.

2. Cobrança diária de juros

Os juros do cheque especial são cobrados diariamente.

Quanto mais tempo você demorar para pagar o valor utilizado, mais juros você terá que pagar, dia após dia. 

Essa perspectiva tira o sono de qualquer um.

3. Risco de endividamento

Devido às altas taxas de juros e à facilidade de acesso, é muito fácil para qualquer um perder o controle sobre a dívida do cheque especial.

Quando você menos espera, isso pode levar a um ciclo de endividamento, onde você está constantemente pegando mais dinheiro para pagar o saldo negativo.

4. Custo Efetivo Total Elevado

Por ser concedido sem garantias, o cheque especial costuma ter um Custo Efetivo Total (CET) bastante elevado.

O CET é a soma de todas as despesas e encargos que incidem sobre a operação de crédito, e você terá de arcar com elas.

5. Influência negativa no score de crédito

Tente evitar o uso frequente do cheque especial. Esse hábito pode influenciar negativamente o seu score de crédito.

Você terá um score de crédito negativo, o que pode dificultar a obtenção de outros tipos de crédito no futuro.

Fontes: Creditas, Serasa, Infomoney, Meu Bolso em Dia, Remessa online

10 livros essenciais para entender sobre economia comportamental

10 dicas de como melhorar a sua relação com o dinheiro

Mitos e verdades sobre empreendedorismo que devemos conhecer

8 dicas do que fazer com a restituição do IR