O que é dólar paralelo: o que é, como funciona e riscos

O dólar paralelo é relacionado com negociações que acontecem no chamado mercado informal, negociações que acontecem no Brasil fora das normas.

6 de outubro de 2021 - por Pedro Guimarães


O dólar paralelo está relacionado com negociações que acontecem no chamado mercado negro. As negociações que acontecem no Brasil de compra e venda de dólar fora das normas de mercado fazem parte do dólar paralelo. Segundo o Banco Central o dólar paralelo é um nicho de mercado ilegal.

Os operadores que fazem parte destas negociações ilegais são chamados de doleiros. Assim, eles colocam dólar em circulação para negociar seu câmbio sem autorização do Banco Central.

História do dólar paralelo

Os fatores que fizeram surgir o dólar paralelo se relacionam com as medidas governamentais, geradoras de instabilidades econômicas. A principal medida que influenciou a prática do dólar paralelo foi o bloqueio da poupança pelo ex-presidente Collor de Mello na década de 90.

Catraca Livre

Neste sentido, as pessoas compram dólar paralelo como medida de proteção contra o caos econômico gerado. Vale lembrar que o plano Collor teve a intenção de travar a liquidez para reter a inflação de 70% na época. Ele conseguiu baixar, mas logo a inflação voltou, sendo considerado um plano fracassado.

Assim, tanto para se defender da inflação como para recuperar liquidez após o bloqueio da poupança, as pessoas recorreram à compra de dólar. Contudo, a evasão de divisas ficou tão alta que o Banco Central teve que criar normas e declarar a prática de comercialização de dólar, ilegal. Vale lembrar consideradas ilegais as práticas fora das fiscalizações do BC. Assim, o dólar paralelo foi considerado crime contra o Sistema Financeiro Nacional.

Normas do mercado financeiro e cambial

Suno

Basicamente, o dólar paralelo é uma prática fora dos estabelecimentos oficiais. Ou seja, corretoras e bancos autorizados pelo Banco Central. Vale lembrar que o Sistema Financeiro Nacional (SFN) opera sobre normas do Conselho Monetário Nacional (CMN), pelo Banco Central e pela Comissão de Valores Imobiliários (CVM).

Todas estas instituições determinam as normas que regem o sistema financeiro. Neste sentido, todas as práticas que estiverem fora destas determinações estão incluídas no crime contra o sistema financeiro.

Funcionamento do dólar paralelo

Todos os estabelecimentos que realizam práticas financeiras sem autorização do Banco Central estão no mercado paralelo. Neste sentido o dólar paralelo funciona sem autorização e é praticado pelos doleiros.

O que é dólar paralelo: História, funcionamento e riscos

Exame

No entanto, a pessoa que quer negociar no mercado de dólar paralelo precisa conhecer um doleiro envolvido na transação. A propósito, a cotação do dólar paralelo pode chegar a valores muito variados. Isto acontece porque, sem a intermediação do Banco Central, a cotação ou taxa de câmbio é determinada pelos envolvidos.

Como em qualquer mercado não centralizado e regulamentado, o preço varia conforme o fornecedor. Assim, o preço do dólar paralelo varia conforme o doleiro.

Riscos atrelados ao dólar paralelo

O que é dólar paralelo: História, funcionamento e riscos

G1

Basicamente, um dos riscos que estão presentes na prática com dólar paralelo é o comprador adquirir notas falsas.

Além disso, é também arriscado participar de uma rede organizada de crimes. Ou seja, na compra de dólar paralelo você entra em contato com sistemas criminais.

Assim, pode tornar-se cúmplice de comércio ilegal, lavagem de dinheiro e até tráfico. Além disso, outro fator de risco é a  penalização. Em síntese,  você fica incluído em três crimes:

Sonegação fiscal: pena de 6 meses a 2 anos de prisão

Evasão de divisas: 2 a 6 anos

Lavagem de dinheiro: 3 a 10 anos

Modalidades de câmbio de dólar consideradas legais

O que é dólar paralelo: História, funcionamento e riscos

Valor Investe

Basicamente, existem dois tipos de dólar legalizados pelo Banco Central: dólar comercial e dólar turismo.

O dólar comercial é empregado em operações de importação e exportação pelas indústrias e comércio. Ele sofre mudanças em sua cotação por estar atrelado a lei da oferta e procura.

Por outro lado, o dólar turismo é o dólar praticado por pessoas físicas, corretoras e bancos. Portanto, pessoa que querem comprar dólar em espécie. Em passagens, realização de compras e envio de remessas.

Vale lembrar que o dólar turismo é mais caro por vários fatores. Assim, dentre estes fatores estão:

  • Lucratividade das corretoras
  • O dólar turismo negociado em volume bem menor que o dólar comercial
  • Sujeito ao IOF e as taxas de importação.

Dólar futuro, dólar a vista e dólar Ptax

O que é dólar paralelo: História, funcionamento e riscos

Focco

Esta modalidade de dólar futuro, corresponde mais aos contratos de compra e venda negociados na bolsa de valores. Neste sentido, o dólar futuro é a oportunidade de lucrar com as variações cambiais. Com a negociação antecipada de valores e vencimentos torna-se mais seguro o investimento.

Assim, é muito importante a proteção que o dólar futuro oferece contra as oscilações da moeda. Contudo, ainda existem mais duas modalidades de dólar, o dólar a vista e o dólar Ptax.

O dólar à vista é utilizado no fechamento de contrato entre empresas no mercado financeiro. Assim, primeiro as instituições negociam para depois registrar na B3. Assim as empresas escondem informação dos concorrentes.

Por outro lado, o dólar Ptax é o dólar que foi cotado em cada dia de operações na bolsa. Neste sentido, é tirado um média da taxa de câmbio das operações com dólar comercial durante o dia. O volume de comercialização determinará o Câmbio,

Para saber mais sobre tipos diferentes de dólar, leia também Tipos de dólar: quais são e quais as diferenças entre eles?

Imagens: G1, Catraca Livre, Suno, Exame, Isto é, valor Investe, Focco

10 dicas de como melhorar a sua relação com o dinheiro

Mitos e verdades sobre empreendedorismo que devemos conhecer

8 dicas do que fazer com a restituição do IR

Como comprar euro mais barato