Viés de seleção: saiba o que é e como funciona?

Viés de seleção é um viés cognitivo que ocorre quando dados não aleatórios são selecionados. Saiba como esse viés afeta a sua vida aqui!

31 de julho de 2023 - por Cesar Fontenele


O viés de seleção se define como uma falha na seleção de informações e objetos de estudo, muito comum em pesquisas cientificas.

Esse viés, como todo viés cognitivoafeta a nossa racionalidade ao nos induzir a avaliar uma situação de forma errônea. Esse, em específico, provoca uma falha no processo de seleção da amostra de uma análise.

O viés de seleção não afeta apenas pesquisas, mas também sua vida como empreendedor e investidor. Isso acontece porque os artigos que lemos sobre investidores e empresários de sucesso são enviesados, pois nos apresentam somente as vitórias dele.

O que é o viés de seleção?

Viés de seleção é um tipo específico de viés cognitivo que afeta a seleção de dados não aleatórios para se fazer uma pesquisa. Isso se dá por conta de uma falha no processo de seleção da amostra, em que um subconjunto dos dados é sistematicamente excluído por causa de um atributo específico. O que gera o enviesamento das estimativas dos parâmetros do modelo estatístico.

Há diferentes tipos de viéses de seleção que um pesquisador pode incidir. Abaixo, listamos os quatro principais:

  • Viés de pré-seleção – acontece na forma como os participantes são pré-selecionados para fazer parte do estudo;
  • Viés de autosseleção – se dá quando os organizadores do estudo permitem que os participantes se auto selecionem ou se ofereçam para participar;
  • Exclusão – ocorre quando membros específicos de uma população são excluídos da participação em um estudo.
  • Subcobertura – esse acontece quando é criado um estudo que não representa alguma fatia da população.

Como ele funciona?

O viés de projeção, como qualquer viés cognitivo, afeta a nossa capacidade lógica e nos influencia a avaliar as situações de forma errônea. Contudo, em pesquisas científicas, esse viés se manifesta ao selecionarmos para a análise pessoas ou dados não aleatórios.

Para que você compreenda melhor seu funcionamento, imagine o seguinte cenário: um grupo de pesquisa, ao decidir pesquisar a qualidade da alimentação dos adolescentes brasileiros, escolhe aplicar o questionário com jovens estudantes em uma praça de alimentação de um shopping próximo a colégios. Como sabemos bem, adolescentes, nesse local, muito provavelmente se alimentam de fast foods como sanduiches e outros alimentos processados.

Sendo assim, por ter priorizado esse local, adolescentes com hábito alimentar não saudável serão a maioria na pesquisa.

Portanto, essa pesquisa foi enviesada, visto que os pesquisadores foram induzidos ao resultado de que os adolescentes se alimentam mal. Isso porque a maneira como os voluntários foram selecionados deu um peso maior para um grupo específico de adolescentes.

Como o viés de seleção pode interferir na nossa vida?

Não pense que o viés de seleção interfere apenas em estudos científicos. Ele pode atingir outras áreas das nossas vidas como, por exemplo, o trabalho, relacionamentos e as finanças.

Sabemos que você quer ter sucesso e viver de renda futuramente investindo na bolsa de valores, mas você tem que tomar cuidado para não ter acesso apenas às informações que mostram as vitórias de grandes investidores.

As revistas, sites, blogs e jornais estão cheios de empreendedores e investidores bem sucedidos, de modo que essas matérias nos mostram que investir pode te deixar tão rico e bem de vida quanto eles. Contudo, você precisar saber que, para chegar nesse nível, há muito chão, perdas e alguns fracassos pelo caminho.

Portanto, a seleção dos personagens para este tipo de matéria já é enviesada. E por isso os resultados também serão.

Como evitá-lo?

Você precisa saber que, para que a pesquisa tenha credibilidade, as amostras usadas têm de ser aleatórias, como bem mostramos acima. Confira a seguir mais algumas maneiras de evitar o viés de seleção:

1. Identificar os vários subgrupos da população.

Você deve estar se perguntando como fazer, então, para que uma amostra seja realmente aleatória. Essa etapa importante se faz justamente identificando os diferentes subgrupos na população que será estudada.

Os pesquisadores devem analisar bem a amostra para se certificar de que esses subgrupos estão ou não retratados no estudo.

2. Realizar métodos de correção de viés.

Caso perceba que há subgrupos não representados, o pesquisador deve aplicar métodos para corrigir o possível enviesamento.

Isso pode ser feito atribuindo relevâncias aos subgrupos mal representados com o intuito de corrigir o viés de seleção. Feito isso, os dados reais da população amostral serão melhor refletidos.

3. Tenha senso crítico

Como vimos anteriormente, os conteúdos publicados na imprensa e nas redes sociais tendem a nos apresentar apenas o lado bom de um grande empresário ou investidor.

Por isso, ao entrar em contato com esse tipo de material, leia sabendo que o conteúdo pode estar enviesado, e que, na realidade, houve perdas e fracassos antes do sucesso.

E aí, fez sentido para você? Esperamos que sim!

E aí, curtiu aprender sobre mais esse viés? Então, leia também esta matéria sobre outro tipo de viés cognitivo: Viés de limitação: o que é e como funciona?

Fontes: Mais retorno e The Capital Advisor.

8 dicas do que fazer com a restituição do IR

Como comprar euro mais barato

As dívidas mais comuns entre os brasileiros e como evitá-las

Programa de fidelidade: o que é, como funciona e exemplos