Como o dinheiro é feito?


Como o dinheiro é feito, com certeza, é uma dúvida que já assolou a mente da maioria dos brasileiros. Ainda mais porque, já na infância, aprendemos que não se pode produzir dinheiro por conta própria.

A produção do dinheiro

No Brasil, somente a Casa da Moeda pode imprimir dinheiro. Desse modo, o dinheiro é feito da seguinte forma:

1- Moedas

O processo de fazer moedas é o mesmo há mais de 2.600 anos. O processo consiste em gravar a imagem em um pedaço de metal comprimindo-o entre duas superfícies.

Como trata-se de um moeda, o processo é diferente de fazer notas.

Antigamente, isso era feito de forma manual, mas hoje é um pouco diferente. Primeiramente, o artista cria o modelo em gesso, um pouco maior do que será a moeda definitiva.

Depois disso, ele faz uma versão em níquel, usado um sistema chamado galvanoplastia. Em resumo, a galvanoplastia é um processo de produzir objetos mediante deposição eletrolítica sobre um molde.

Posteriormente, usa-se uma máquina chamada torno redutor. Basicamente, a máquina esculpe o desenho em um pedaço de metal. O resultado é a matriz, que já tem o tamanho definitivo da moeda.

Essa matriz é reforçada por meio do calor e de produtos químicos. Por fim, ela é usada para fazer o molde da moeda. Sendo que são dois moldes: um de cada lado da moeda.

Os dois moldes então são colocados em uma prensa de alta velocidade. Depois disso, pedaços maciços de metal são colocados na presa e são comprimidos entre os moldes.

Com isso, as imagens ficam impressas no metal e o processo de cunhagem chega ao fim, com a moeda pronta.

2- Como o dinheiro é feito: cédulas

Para fazer o dinheiro em cédulas, o primeiro passo é o artista fazer o esboço com lápis e tinta.

Contudo, os intrincados desenhos do fundo são feitos em computador por meio de programas CAD (computer aided design). A intenção ao usar esses programas é dificultar a falsificação das notas.

Desse modo, a chapa para fazer as notas é feita por um gravador que utiliza ferramentas afiadas para esculpir o desenho em uma folha de talha.

Posteriormente, o desenho é copiado várias vezes em uma grande chapa de impressão. Isso possibilita a reprodução de várias notas ao mesmo tempo.

Além dos desenhos intrincados, as notas também são feitas com papel específico, que normalmente é feito com fibra de algodão e linho.

Tudo isso é feito pensando em dificultar a falsificação de notas. Enfim, a impressão das notas passam por 3 processos:

1- Impressão litográfica

A impressão litográfica imprime o desenho do fundo. As chapas litográficas são feitas a partir da folha de talha.

Sendo que cada uma delas corresponde a uma cor diferente. Basicamente, a tinta passa dos rolos para as chapas e, depois, elas são impressas umas sobre as outras.

2- Chapa

A chapa produz a imagem principal da nota. Desse modo, a tinta sai pelas ranhuras da folha para o papel.

3- Impressão tipográfica

Por fim, temos a impressão tipográfica, que imprime um número de série em cada nota. Depois disso, é incorporado as fitas metálicas nas notas, que funciona como mais um dispositivo para aumentar a segurança das cédulas.

Posteriormente, uma guilhotina corta as folhas de notas em notas únicas. Por fim, as notas são embaladas em pacotes e entregues aos bancos.

Como identificar uma notas falsas

A produção de dinheiro envolve várias medidas para dificultar a falsificação. Sendo assim, você só precisa olhar as marcas que apontam se uma nota é verdadeira. Alguns desses pontos de identificação são:

1- Papel

As notas são produzidas com um papel especial, com fibra de algodão e outros componentes. O resultado é uma nota extremamente resistente e áspera.

Portanto, esse papel tem uma textura completamente diferente de uma folha A4, por exemplo. Logo, ao pegar uma nota, é importante verificar a textura do papel.

2- Marca d’água

Todas as notas verdadeiras possuem alguma marca d’água representada por um animal. Para visualizar, é basta olhar a nota contra a luz.

3- Desenhos nas notas

Além de utilizarem um papel especial e marca d’água, as notas ainda possuem desenhos nas pontas da nota, localizados na frente e no verso.

Desse modo, o teste se baseia em encostar as duas pontas, que devem se complementar. Sendo assim, ao encostar uma ponta na outra, o papel deve formar o desenho específico da nota.

Nas notas verdadeiras, esses mesmos desenhos possuem um leve relevo. Nesse sentido, a identificação é feita ao passarmos o dedo ou a unha sobre eles.

4- Outros sinais

As cédulas de R$ 10, 20 e 200 possuem o sinal de indicação de valor impresso com efeito metálico. Sendo assim, ao virar a nota em várias posições, é possível notar esse indicador.

Por outro lado, as notas de R$ 10, 20, 50, 100 e 200 possuem um filete de segurança dentro do papel que é inserido quando a nota é impressa. 

E aí, gostou de conhecer como o dinheiro é feito e como identificar nota falsa? Então aproveite para descobrir como funciona o real digital. Além disso, confira qual é a origem do dinheiro.

Fontes: Indústria Hoje, Diário do Grande ABC, Suno, Fdr, Segredos do mundoBanco 24 horas, Dgabc e Educacional.

Conte-nos a sua opinião...