Alocação de ativos: o que é, como fazer e quais são as vantagens?

19 de março de 2021 - por Sidemar Castro


A alocação de ativos é uma estratégia de investimentos baseada na diversificação da carteira de investimentos. Dessa forma, o objetivo é investir em diferentes classes de ativos que não possuam correlação. 

Ou seja, a carteira de investimentos deve conter ativos diversos, onde alguns sobem ao mesmo tempo em que outros descem. Sendo assim, alguns ativos funcionam como amortecedor da queda de outros.

Isso significa que a carteira se torna menos volátil, aumentando as chances de maiores retornos e diluindo os riscos. É por isso que essa estratégia é uma das mais utilizadas pelas pessoas que investem com foco na construção de patrimônio a longo prazo. 

Saiba mais sobre a alocação de ativos nesta matéria.

O que é alocação de ativos?

A alocação de ativos é uma estratégia de investimentos que potencializa os retornos e dilui os riscos da carteira através da diversificação. Desse modo, a intenção é selecionar ativos de diferentes classes para que a carteira fique diversificada e os riscos sejam reduzidos. 

Alguns ativos que podem ser escolhidos são ações, commodities e moedas estrangeiras. O objetivo é que os ativos não sejam correlacionados, pois assim eles não possuem o mesmo desempenho nas mesmas condições no mercado. Portanto, quando os ativos se movimentam de maneiras diferentes, a volatilidade da carteira é diminuída. 

Como fazer alocação de ativos?

A alocação de ativos é uma estratégia de investimento que visa equilibrar o risco e a recompensa ao distribuir os ativos de um portfólio de acordo com os objetivos, tolerância ao risco e horizonte de investimento do indivíduo. Aqui está um passo a passo de como você pode fazer a alocação de ativos:

1. Defina seus objetivos de investimento

Antes de começar a alocar ativos, você precisa ter uma ideia clara de seus objetivos de investimento. Isso pode incluir coisas como aposentadoria, compra de uma casa, educação dos filhos, etc.

2. Determine sua tolerância ao risco

A tolerância ao risco é a quantidade de risco que você está disposto a aceitar em troca de uma recompensa potencial. Isso geralmente é determinado por fatores como idade, situação financeira, horizonte de investimento e personalidade.

3. Escolha suas classes de ativos

As classes de ativos são categorias amplas de investimentos que têm características semelhantes e comportamentos de mercado. As classes de ativos comuns incluem ações, títulos, imóveis e dinheiro.

4. Decida a alocação de ativos

Com base em seus objetivos e tolerância ao risco, decida quanto de seu portfólio você deseja alocar para cada classe de ativos. Por exemplo, você pode decidir alocar 60% para ações, 30% para títulos e 10% para dinheiro.

5. Diversifique dentro de cada classe de ativos

Para reduzir ainda mais o risco, é importante diversificar dentro de cada classe de ativos. Isso significa que, em vez de comprar apenas uma ação ou título, você deve comprar uma variedade de ações ou títulos.

6. Reequilibre regularmente

Ao longo do tempo, a alocação de ativos em seu portfólio pode se desviar de seus objetivos originais devido a mudanças no valor de mercado de seus investimentos. Portanto, é importante reequilibrar regularmente seu portfólio para garantir que ele ainda esteja alinhado com seus objetivos e tolerância ao risco.

É preciso lembrar que a alocação de ativos não garante lucro ou protege contra perda. É uma estratégia que visa gerenciar o risco e melhorar a probabilidade de atingir seus objetivos de investimento a longo prazo.

Quais são as vantagens de fazer alocação de ativos?

A principal vantagem da estratégia de alocação de ativos é a diversificação que possibilita a redução dos riscos. Além disso, essa é uma estratégia de baixo custo, já que o foco é no longo prazo. Isso significa que poucas operações são realizadas, diminuindo os custos com taxas e tributos. 

Outra vantagem é que existe uma certa liberdade para o investidor, pois ele pode definir qual será a periodicidade dos aportes: mensais, trimestrais ou anuais. Como essa estratégia se baseia na teoria de regresso à média, ela tem a vantagem de estimular a venda na alta e a compra na baixa. Veja a seguir, em maiores detalhes: 

1. Maior rentabilidade em diferentes cenários

A alocação de ativos pode resultar em maior rentabilidade em diferentes cenários. Isso ocorre porque essa estratégia envolve a diversificação de investimentos em diferentes classes de ativos, como ações, títulos, imóveis e commodities.

Essa diversificação permite que o portfólio de investimentos seja menos afetado por flutuações em uma única classe de ativos. Assim, mesmo que uma classe de ativos esteja performando mal, outra pode estar bem, equilibrando o desempenho geral do portfólio.

Além disso, a alocação de ativos é geralmente feita com base em uma análise cuidadosa do mercado e das condições econômicas, o que pode ajudar a identificar oportunidades de investimento em diferentes cenários. Portanto, a alocação de ativos pode, de fato, levar a uma maior rentabilidade em diferentes cenários.

2. Menor custo e taxas

Como essa estratégia tem por objetivo obter bons resultados em um tempo maior, o número de operações é relativamente menor. Com isso, custos e taxas, como a de corretagem por transações realizadas, são bem reduzidas quando comparadas as alternativas de investimentos.

Assim, a alocação de ativos pode resultar em menor custo e taxas. Isso ocorre porque essa estratégia envolve a manutenção de um portfólio diversificado ao longo do tempo, em vez de fazer transações frequentes.

As transações frequentes podem resultar em custos significativos devido às taxas de corretagem e impostos sobre ganhos de capital. Ao manter um portfólio diversificado e fazer ajustes estratégicos ao longo do tempo, os investidores podem minimizar esses custos.

Além disso, a alocação de ativos também pode ajudar a evitar o custo de oportunidade associado a estar fora do mercado ou investir no ativo errado no momento errado. Portanto, a alocação de ativos pode, de fato, levar a um menor custo e taxas.

3. Diversificação

A diversificação é uma das principais vantagens da alocação de ativos. Ela permite que o investidor espalhe seu dinheiro em diferentes tipos de investimentos (como ações, títulos, imóveis, etc.) para reduzir o risco.

Se um tipo de ativo não está indo bem, outro pode estar, o que pode ajudar a equilibrar o desempenho geral do portfólio. Isso pode resultar em retornos mais consistentes e menos volatilidade em comparação com o investimento em um único tipo de ativo.

Portanto, a diversificação é uma estratégia fundamental na alocação de ativos para gerenciar o risco e potencializar os retornos.

4. Disciplina

A alocação de ativos ajuda o investidor a se concentrar em seus objetivos e nos ativos que atendem a seus objetivos.

A estratégia de alocação de ativos requer que o investidor siga um plano de investimento predefinido, independentemente das condições do mercado. Isso pode ajudar a evitar decisões de investimento impulsivas ou emocionais que podem levar a perdas.

A disciplina na alocação de ativos também envolve a revisão regular do portfólio e o reequilíbrio conforme necessário para manter a alocação de ativos desejada. Isso pode ajudar a garantir que o portfólio permaneça alinhado com os objetivos de investimento do indivíduo ao longo do tempo.

Portanto, a disciplina é uma parte fundamental da alocação de ativos, ajudando os investidores a manter o foco em seus objetivos de longo prazo e a gerenciar efetivamente o risco.

5. Redução de estresse

A redução de estresse é uma vantagem significativa da alocação de ativos. Isso ocorre porque a diversificação inerente à alocação de ativos pode ajudar a suavizar a volatilidade do portfólio, o que pode ser estressante para alguns investidores.

Quando você tem uma variedade de ativos em seu portfólio, é menos provável que você experimente grandes quedas no valor do portfólio devido a movimentos adversos em um único ativo ou classe de ativos. Isso pode proporcionar uma sensação de segurança e estabilidade, reduzindo o estresse associado ao investimento.

Além disso, a alocação de ativos também pode reduzir o estresse ao ajudar os investidores a evitar a tomada de decisões impulsivas ou emocionais. Ao seguir uma estratégia de alocação de ativos, os investidores podem se sentir mais confiantes em suas decisões de investimento e menos propensos a tomar decisões precipitadas em resposta a flutuações de curto prazo no mercado. Portanto, a alocação de ativos pode, de fato, levar à redução de estresse.

6. Foco no longo prazo

 O foco no longo prazo é uma vantagem importante da alocação de ativos. Esta estratégia de investimento é projetada para maximizar os retornos ao longo do tempo, em vez de buscar ganhos rápidos no curto prazo.

Investir com um foco no longo prazo pode ajudar a suavizar as flutuações do mercado de curto prazo e reduzir o impacto da volatilidade do mercado no valor do portfólio. Isso pode resultar em um crescimento mais estável e sustentável do portfólio.

Além disso, o foco no longo prazo pode encorajar os investidores a manterem-se disciplinados e aderirem à sua estratégia de investimento, mesmo em tempos de incerteza no mercado. Isso pode levar a melhores resultados de investimento ao longo do tempo.

Portanto, o foco no longo prazo é uma vantagem significativa da alocação de ativos. Ele permite que os investidores ignorem as distrações do mercado de curto prazo e se concentrem em seus objetivos de investimento de longo prazo.

Fontes: CMCapital, Clube do Valor, Terra Investimentos, Riconnect, Inco, Eu Quero Investir, Conexão Br, Genial, Somos Global

8 dicas do que fazer com a restituição do IR

Como comprar euro mais barato

As dívidas mais comuns entre os brasileiros e como evitá-las

Programa de fidelidade: o que é, como funciona e exemplos