Metas financeiras: qual a importância delas e como defini-las?


As metas financeiras são passos que ao serem cumpridos, te colocam mais próximo da realização dos seus objetivos financeiros.

Portanto, as metas e os objetivos são diferentes. Sendo assim, é importante que você defina um objetivo financeiro e as metas para alcançá-lo.

Por exemplo, o seu objetivo financeiro pode ser se aposentar daqui 30 anos, com R$ 1 milhão investidos. Neste caso, você pode definir metas como, por exemplo, fazer uma reserva de emergência, investir todos os meses e etc.

Um detalhe importante é que, tanto os objetivos quanto as metas, devem ter um prazo para serem realizados. Ao definir exatamente o que você quer e os prazos, as chances de você conseguir são maiores.

Além disso, objetivos e sonhos são diferentes. Ao definir objetivos, você estabelece metas, prazos e se planeja para realizar seus objetivos.

Os sonhos estão no campo dos desejos. Ou seja, não tem data nem planejamento para que ele se realize. Para que seus sonhos se realizem, você deve transformá-los em objetivos!

Como definir metas financeiras?

Para definir metas, tenha em mente qual é o seu objetivo. A ideia é analisar quais passos você precisa dar para que o seu objetivo seja cumprido.

Esses passos devem se tornar as suas metas. Com isso, a cada meta realizada, você fica mais perto de alcançar o seu objetivo.

Além disso, não se esqueça de definir os prazos do objetivo e das metas.

Desse modo, você consegue se esforçar para realizar as metas dentro do prazo para que os objetivos sejam cumpridos dentro do prazo definido.

Como manter o foco nas metas?

Para manter o foco nas metas, tenha sempre em mente quais são os seus objetivos. Lembre-se dos benefícios de atingir seus objetivos.

Além disso, comemore as pequenas conquistas. Ou seja, a cada meta realizada, comemore o fato de que você está mais perto de realizar seus objetivos.

Outra dica é: defina metas que sejam alcançáveis. Caso contrário, você pode acabar não conseguindo atingir suas metas e desanimar.

Por isso, é melhor ter várias pequenas metas do que grandes metas difíceis de serem cumpridas. Com isso, a cada pequena meta atingida, você se sente motivado para cumprir as outras.

6 exemplos de metas financeiras

Alguns exemplos de metas financeiras são:

1- Criar objetivos de curto, médio e longo prazo

Primeiramente, defina quais são os seus objetivos. Somente com os objetivos definidos é que você conseguirá estabelecer as metas.

Lembrando que você pode ter mais de um objetivo. Neste caso, você deve definir as metas para cada objetivo que você quer alcançar.

Mas tome cuidado para não definir objetivos em excesso e não conseguir cumprir as metas de todos eles. Enfim, os objetivos podem ser de curto, médio ou longo prazo.

  1. As metas de curto prazo devem ser cumpridas dentro do prazo de 1 ano.

  2. Já as metas de médio prazo deverão ser alcançadas em mais de um ano, mas não ultrapassam 5 anos.

  3. Por fim, as metas de longo prazo são aquelas com mais de 5 anos.

2- Quitar todas as dívidas

Depois de definir os seus objetivos, você pode criar as metas. Vamos supor que você deseja restaurar a sua saúde financeira dentro do prazo de 1 ano. Neste caso, um bom exemplo de meta é quitar as dívidas.

Esse é um bom exemplo, pois não adianta nada você começar a investir sem ter quitado as dívidas, já que os juros das dívidas costumam ser mais altos do que os rendimentos das aplicações.

3- Fazer uma reserva de emergência

A reserva financeira é uma quantia em dinheiro que deve ser usado apenas em casos de imprevistos. Todo mundo precisa ter uma reserva financeira. 

Independente de qual é o seu objetivo financeiro, é muito importante que você tenha uma reserva financeira. Portanto, essa é uma boa meta.

Inscreva-se na Pior Newsletter Possível!

Receba os melhores conteúdos (ou não) gratuitamente!

Usamos a Sendinblue como nossa plataforma de marketing. Ao clicar abaixo para enviar este formulário, você reconhece que as informações fornecidas por você serão transferidas para a Sendinblue para processamento, de acordo com o termos de uso deles

Vale destacar que uma reserva de emergência não tem valor definido, contudo, elas costumam ser o equivalente a 6 meses dos seus gastos mensais. No entanto, essa reserva pode ser maior.

Uma dica é deixar a reserva de emergência em um local de fácil acesso como a poupança, por exemplo. Isso porque a intenção da reserva de emergência não é o rendimento.

A intenção é que quando ocorrer uma emergência, você tenha acesso a esse dinheiro.

Por isso, de nada adianta aplicar esse dinheiro em um ativo que rende bem, mas que você não consegue fazer o resgate quando precisa.

4- Estudar investimentos

Estudar sobre investimentos deve ser uma meta, pois não é uma boa ideia investir sem saber nada sobre o assunto.

Isso porque, você pode acabar tendo grandes prejuízos financeiros se você investir sem saber o que está fazendo. Portanto, procure formas de estudar sobre investimentos.

Você pode estudar por meio de livros, sites, cursos e canais no YouTube, por exemplo. Veja qual é a melhor forma para você, e estude.

5- Investir todo mês

Investir todos os meses é uma ótima meta. Isso porque, investir com constância é muito importante. Tome cuidado para não investir por apenas alguns meses e depois parar.

Mesmo que seja um valor baixo, investir sempre é essencial. No longo prazo, esse investimento constante irá gerar bons frutos, se você investir nos ativos certos.

Inclusive, tenha em mente que investir deve sempre ser com foco no longo prazo. Não adianta querer ficar rico da noite para o dia. Ao invés disso, invista em bons ativos e construa seu patrimônio no longo prazo.

6- Fazer renda extra

Por fim, outro exemplo de meta financeira é fazer renda extra. Ter uma renda extra pode te ajudar a realizar vários objetivos financeiros.

Por exemplo, você pode conseguir uma renda extra para investir um valor maior por mês e, com isso, alcançar o objetivo financeiro que você tiver determinado.

Inclusive, aqui no site Investidor Sardinha, nós temos um artigo com várias ideias de renda extra, confira!

LEIA MAIS

Planejamento financeiro, o que é? Pra que serve e como fazer

Planejamento financeiro pessoal: 15 passos para criar o seu

6 Dicas de como fazer um planejamento financeiro para médicos

Planejamento Financeiro Familiar: como começar

Planejamento sucessório: importância e como fazer

Regra dos 72: veja essa estratégia para os seus investimentos

Consultoria financeira pessoal: o que é, como funciona e para que serve?

Fontes: Riconnect, Bv e Suno.

Conte-nos a sua opinião...