Capital humano, o que é? Origem, importância, benefícios e como investir

O capital humano pode ser definido como o conjunto de conhecimento, competências e atributos das pessoas que trabalham em uma organização. Dessa maneira, essas características que são conquistadas por meio da educação e experiência, contribuem na realização do trabalho e na consequente produção de valor econômico.

14 de janeiro de 2021 - por Jaíne Jehniffer


O capital humano é o conjunto de conhecimento e habilidades dos funcionários. Neste sentido, a empresa que valoriza o seu capital humano consegue melhor desempenho e cresce mais rápido. 

O termo capital humano surgiu por meio dos estudos de Theodore W. Schultz, que publicou um artigo explicando que as empresas que contribuem com o bem estar dos funcionários apresentavam performance melhor do que as empresas que preferem pressionar os colaboradores. 

Portanto, as empresas que querem se destacar por sua excelência, devem investir em seus funcionários. Algumas estratégias possíveis são o desenvolvimento de planos de carreiras, bonificação e capacitação.

O que é capital humano

O capital humano pode ser definido como o conjunto de conhecimento, competências e atributos das pessoas que trabalham em uma organização. Dessa maneira, essas características que são conquistadas por meio da educação e experiência, contribuem na realização do trabalho e na consequente produção de valor econômico.

Capital humano, o que é? Origem, importância, benefícios e como investir

Studart rh

Não é à toa que o capital humano é considerado como o bem mais precioso de uma empresa. Afinal, os profissionais contribuem para o crescimento do negócio, por meio dos seus conhecimentos técnicos, suas habilidades e competências pessoais.

Justamente por isso, é papel da empresa contribuir para o desenvolvimento do potencial de cada colaborador e proporcionar um bem estar na organização. 

Origem do termo

Os estudos sobre o capital humano surgiram por meio de Theodore W. Schultz, ganhador do prêmio Nobel da Economia, em 1979. Schultz publicou um artigo intitulado Investment in Human Capital, na revista American Economic Review, em 1961. 

No artigo, Schultz falava sobre a relação entre as empresas que investem em seus profissionais e o crescimento do Produto Nacional Bruto (PNB).

Além disso, Schultz realizou uma série de estudos e descobriu que as empresas que se preocupavam com o bem estar dos funcionários possuíam uma melhor performance e satisfação por parte dos colaboradores.

Capital humano, o que é? Origem, importância, benefícios e como investir

Triyo

Desse modo, por meio de seus estudos, Schultz percebeu que o capital humano poderia ser melhorado por meio da valorização do profissional e do acesso à serviços básicos como saúde, saneamento e educação.

É claro que, com a valorização do capital humano, as empresas são diretamente favorecidas, pois passam a contar com profissionais que colaboram ainda mais com a performance da empresa. 

Capital humano x capital intelectual

O capital humano é o conjunto de conhecimento e habilidades dos funcionários. Por outro lado, o capital intelectual se refere à junção do capital interno (processos e sistemas administrativos usados pelas organizações), capital externo (relações com clientes e fornecedores) e ainda o capital humano. 

Capital humano, o que é? Origem, importância, benefícios e como investir

Inspire digital

Portanto, o capital intelectual é algo invisível e intangível, mas que percorre diversos aspectos da empresa, como por exemplo: banco de dados internos, registros de marcas e rede de relacionamento realizada pelos diretores e gestores.

Importância

A valorização do capital humano é importante para o crescimento da empresa, já que profissionais mais qualificados produzem resultados melhores. Além disso, ocorrem menos erros de execução por parte dos profissionais, já que eles estão em constante processo de melhoramento. 

IF Goiano

Dar atenção ao capital humano da organização é importante também para que os profissionais se sintam mais valorizados e motivados, o que resulta em uma maior produtividade. Enfim, a valorização do capital humano é essencial para as empresas que querem crescer e manter bons profissionais. 

Benefícios

Diversos benefícios são resultantes da valorização do capital humano, dentre eles, a retenção de talentos na empresa. Isso porque, quando a empresa mantém os seus profissionais motivados e engajados, a tendência é que eles não sintam vontade de mudar de emprego.  

Outra vantagem é que, com o melhoramento constante dos profissionais, a empresa comete menos erros. Logo, com o tempo, a organização passa a ser reconhecida pelo seu nível de excelência. 

Totvs

Por fim, temos ainda o melhoramento da cultura da empresa. Acontece que, ao manter um clima de valorização e engajamento dos funcionários, a organização acaba por estimular a colaboração e o respeito, o que resulta na satisfação de todos os envolvidos. 

Relação entre capital humano, RH e liderança

A valorização do capital humano está diretamente relacionado ao setor de RH de uma empresa. Basicamente, se o RH estiver focado na valorização do capital humano, ele pode realizar processos com maior qualidade, como por exemplo, a avaliação dos perfis dos profissionais e as avaliações de desempenho dos colaboradores. 

Esan

Já a liderança se relaciona ao capital humano, no sentido de que os líderes devem ser capazes de contribuir para o desenvolvimento dos profissionais, por meio de treinamentos e avaliações. 

O trabalho do setor de RH e dos líderes da empresa podem ser facilitados por meio do uso de tecnologias. Desse modo, a empresa pode adotar softwares de gestão que contribuem com o cruzamento de dados e mensuração de resultados. 

Como investir no capital humano

Se você deseja investir no capital humano da sua empresa, algumas dicas podem te ajudar:

1- Plano de carreira: O desenvolvimento de um plano de carreira para os profissionais contribui para a satisfação dos funcionários e a competitividade interna, além de contribuir com a retenção de talentos. 

2- Autonomia da equipe: É importante que o gestor dê autonomia para que os funcionários consigam tomar decisões sozinhos. Isso contribui para o processo de confiança entre os colaboradores e a empresa.

3- Engajamento: É essencial que a empresa faça o funcionário se sentir importante e valorizado. Dessa forma, este profissional estará disposto a vestir a camisa da empresa, e lutar pelos mesmos objetivos que a organização. 

Ceneval administracion

4- Liderança: Para que uma equipe se mantenha motivada e inspirada, é preciso um bom líder. Ou seja, a empresa precisa de uma pessoa que se mostre preocupada com os interesses dos funcionários, que representam os valores da empresa e que lute junto com os colaboradores. 

5- Bonificação: A bonificação serve como um reconhecimento de que o funcionário realizou um trabalho bem feito ou que atingiu determinada meta.

6- Capacitação: Quando a empresa investe na capacitação e treinamento dos funcionários, ela contribui com o conjunto de conhecimento e habilidades dos funcionários, logo, ela valoriza o capital humano. 

Gostou de aprender sobre o capital humano? Saiba que o bem estar dos funcionários é um dos itens avaliados por muitos investidores de longo prazo, como Warren Buffett, que averiguam não apenas as ações da empresa, mas também a sua relação com os funcionários.

Se você é o tipo de investidor mais consciente, aprenda a fazer a Análise Fundamentalista, o que é? Conceitos, cálculos e como aplicar.

Fontes: Xerpa, Etalent, Infoescola 

Imagens: Studart rh, Triyo, Inspire digital, Sintec, IF Goiano, Totvs, Ceneval administracion e Esan

8 dicas do que fazer com a restituição do IR

Como comprar euro mais barato

As dívidas mais comuns entre os brasileiros e como evitá-las

Programa de fidelidade: o que é, como funciona e exemplos