Cold wallet: veja o que é, como funciona e quais seus tipos

29 de novembro de 2022 - por Jaíne Jehniffer


Cold wallet ou carteira fria, é um tipo de carteira de criptomoeda que não fica conectada com a internet. Sendo assim, esse tipo de carteira é um dispositivo físico que funciona de forma offline.

Também conhecida como paper wallet, esse tipo de carteira é vantajosa por causa da segurança. Isso porque, como ela não fica conectada na internet, não existe o risco de ataque hacker.

No entanto, essa carteira pode não ser uma boa opção para quem faz transações com criptos de forma constante. Nesse sentido, ela é mais interessante para quem tem altos valores em criptos e investe com foco no longo prazo.

Saiba mais sobre o que é, quais seus tipos e como funciona uma cold wallet lendo essa matéria.

Como funciona uma cold wallet?

Uma cold wallet é um mecanismo de armazenamento de criptomoedas que funciona de maneira offline, sem a necessidade de conexão com a internet. Ela serve para gerenciar as criptomoedas, realizar transações e receber pagamentos.

Elas são consideradas uma maneira muito mais segura de armazenar criptomoedas do que as hot wallets (carteiras online), que estão constantemente conectadas à internet. Isso se deve ao fato de que as criptomoedas armazenadas em uma carteira online ficam vulneráveis a uma variedade de ataques cibernéticos, como phishing, hacking e outros tipos de exploits, que podem resultar em perda de fundos.

Nas cold wallets, as chaves privadas (que são a chave para acessar suas criptomoedas) são mantidas offline, o que as torna menos suscetíveis a esses tipos de ataques. Existem diferentes tipos de cold wallets, incluindo dispositivos físicos, como pendrives ou hardwares especializados, ou até mesmo papéis impressos com as informações das chaves privadas.

Quando você cria uma cold wallet, pode transferir as criptomoedas para o endereço offline, que mantém os ativos seguros e sem contato com a internet. Para acessar suas criptomoedas, você usará um código exclusivo e intransferível.

Desse m odo, se você deseja manter seus ativos digitais guardados por mais tempo, especialmente se for um grande volume, uma cold wallet é uma opção recomendada. No entanto, lembre-se de que a segurança também depende de como você gerencia suas chaves privadas e o dispositivo físico onde está armazenada. Se você perder o acesso a eles, pode perder suas criptomoedas permanentemente. Portanto, é crucial manter suas chaves privadas em um local seguro e fazer backup delas.

Para que serve uma cold wallet?

Uma cold wallet serve como uma forma segura de armazenar criptomoedas, mantendo os ativos digitais offline e fora da internet. Isso é fundamental para proteger as criptomoedas contra ataques hackers, evitando assim a possibilidade de perda total dos ativos.

São, portanto, recomendadas para quem deseja manter seus ativos digitais guardados por mais tempo, oferecendo maior segurança no longo prazo.

Inclusive, deixar criptomoeda na conta na exchange não é legal justamente por isso: pois pode haver um ataque hacker. O exchange é um protocolo online no qual o software de e-mail conecta-se ao servidor, realiza o sincronismo das mensagens e, após esse processo, mantém a conexão em tempo real. Permite sincronizar todas as mensagens, pastas, contatos, calendário mantendo o mesmo status no servidor e no software Microsoft Outlook.

Tipos de cold wallet

As carteiras frias podem ser dos seguintes tipos:

1) Paper wallet

A paper wallet é uma carteira de papel. Ela é a cold wallet mais acessível e barata do mercado. Em síntese, ela conta com um par de chaves privadas e públicas impressas em um pedaço de papel.

Desse modo, você pode colocar o papel em um local seguro. No entanto, tome cuidado para não esquecer ou perder o papel.

2) Desktop wallet

Esse tipo de carteira existe somente no computador do usuário. Isso significa que ela precisa ser acessada por um computador em específico.

Com essa carteira, você pode exportar arquivos de chaves privadas criptografadas em ambiente offline e armazenar chaves privadas na máquina física.

Contudo, para receber criptos e fazer movimentações, é preciso estar conectado.

3) USB wallet

A USB wallet é um dispositivo com conexão USB, tida como uma das maneiras mais simples de armazenar criptomoedas.

Com essa carteira, você pode exportar e salvar suas chaves privadas. No entanto, qualquer pessoa pode acessar as criptomoedas se tiver acesso ao USB.

Portanto, guarde o dispositivo onde ninguém mais sabia.

4) Hardware wallet

Por fim, a cold wallet do tipo hardware wallet é um dispositivo eletrônico que assina as transações por meio das chaves privadas, que ficam armazenadas offline.

Sendo que, se você danificar ou perder o dispositivo, você ainda consegue recuperar os fundos usando uma chave-semente de backup.

Diferenças entre cold wallet e hot wallet

Como você já sabe, cold wallet é um tipo de carteira de criptomoeda offline. Por outro lado, as hot wallets, ou carteiras quentes, ficam conectadas na internet. Ou seja, a grande diferença entre elas é que as cold ficam desconectadas da internet e as hot ficam conectadas na internet.

Pode parecer uma diferença pequena, mas isso impacta muito na segurança das suas criptos. Isso porque, as carteiras quentes podem sofrer ataques hackers.

No entanto, as hot wallets tem a vantagem da facilidade de uso, sobretudo para quem realiza muitas transações.

Vantagens e desvantagens

A grande vantagem das cold wallets é a segurança. Essa segurança deriva do fato de que a carteira não fica conectada na internet, logo, não tem como ocorrer um ataque hacker.

A cold wallet do tipo paper tem ainda a vantagem da praticidade de transporte. Já o tipo desktop tem a vantagem de ter mais opções de usabilidade e acessibilidade.

Por outro lado, a carteira do tipo hardware tem a vantagem de permitir o restauro, além de ser tida como a mais segura do mercado.

Por fim, a cold wallet do tipo USB tem a vantagem do fácil acesso e uso. Já em relação às desvantagens, as carteiras do tipo paper tem a desvantagem do risco do papel sofrer danos.

A carteira desktop tem a desvantagem de ser difícil ocultar os dados da carteira e a impossibilidade de fazer a restauração.

A carteira do tipo hardware tem a desvantagem do alto custo de aquisição, em comparação com os outros tipos.

Por fim, a carteira do tipo USB, tem a desvantagem de que existe a possibilidade dela ser danificada por ímãs ou ocorrer danos físicos.

Como escolher a melhor cold wallet?

Para escolher a melhor cold wallet, é importante considerar os seguintes fatores:

1) Segurança

A segurança é o aspecto mais importante na escolha de uma cold wallet. Verifique se a carteira oferece recursos de segurança robustos, como armazenamento offline das chaves privadas, autenticação de múltiplos fatores e proteção contra ataques hackers.

2) Facilidade de uso

Outro fator crucial é a facilidade de uso da cold wallet. Analise a interface do usuário, a curva de aprendizado e a disponibilidade de recursos que facilitem as transações e a gestão dos ativos.

3) Compatibilidade

Certifique-se de que a cold wallet seja compatível com as criptomoedas que você deseja armazenar. Algumas carteiras suportam um número limitado de moedas, então verifique se a sua carteira atende às suas necessidades.

4) Portabilidade

Considere a portabilidade da cold wallet, especialmente se você precisar movimentar seus ativos com frequência. Carteiras menores e mais leves, como as de hardware, podem ser mais convenientes.

5) Custo

Embora a segurança seja a prioridade, o custo da cold wallet também é um fator a ser levado em conta. Analise se o preço da carteira está dentro do seu orçamento.

Levando em conta esses critérios, algumas das melhores cold wallets do mercado são a Ledger Nano X, a Trezor Model T e a CoolWallet S.

Fontes: I-dinheiro, Portal do Bitcoin, Remessa Online

10 dicas de como melhorar a sua relação com o dinheiro

Mitos e verdades sobre empreendedorismo que devemos conhecer

8 dicas do que fazer com a restituição do IR

Como comprar euro mais barato