Como autônomos podem planejar o 13º?

O 13º para autônomos, embora não previsto pela lei, pode ser alcançado pelos trabalhadores PJ. Veja decas de como fazer.

18 de junho de 2024 - por Sidemar Castro


13º para autônomos pode ser uma realidade? O 13º salário é um direito garantido apenas ao trabalhador com vínculo empregatício, não ao autônomo. Isso significa que os autônomos não têm direito por lei ao 13º salário.

No entanto, os autônomos podem criar seus próprios 13º salários. Para isso, é recomendável separar uma porcentagem da renda mensal, como 8% a 10%, para formar uma poupança destinada ao 13º salário.

Também é importante ajustar preços e orçamento anualmente, aproveitar descontos e promoções e diversificar investimentos para complementar a poupança.

Por que autônomos não recebem 13º?

Os autônomos não recebem 13º salário porque não têm vínculo empregatício com as empresas para as quais prestam serviços. Isso é definido pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), que garante o direito ao 13º salário apenas para trabalhadores regidos por essa lei.

Os autônomos, também conhecidos como PJs, atuam como empresas que prestam serviços para outras empresas mediante contratos de prestação de serviços. Como não há um vínculo empregatício, eles não têm direito ao 13º salário.

No entanto, é possível para os autônomos negociar com as empresas contratantes e incluir um valor proporcional ao benefício no valor final dos serviços prestados. Isso permite que os autônomos tenham uma renda extra equivalente ao 13º de um trabalhador CLT, embora não seja um direito legal.

Como os autônomos podem planejar o 13º?

1) Separar uma Porcentagem da Renda Mensal

Recomenda-se que os autônomos reservem uma porcentagem fixa de sua renda mensal, como 8% a 10%, para formar uma poupança destinada ao 13º salário.

Defina um valor que deseja receber como 13º e divida pelo número de meses restantes até dezembro. Essa prática permite que o valor seja acumulado gradualmente ao longo do ano, facilitando o planejamento e o pagamento do 13º no final do ano.

2) Criar uma Conta Separada para o 13º Salário

Abrir uma conta bancária exclusiva para a poupança do 13º salário ajuda a manter o dinheiro separado e evita que seja utilizado para outras despesas.

Essa conta pode ser uma poupança ou um investimento de curto prazo, garantindo que o valor esteja disponível no final do ano.

3) Ajustar Preços e Orçamento

Os autônomos podem revisar seus preços e orçamento anualmente, levando em consideração o valor do 13º salário. Essa prática permite que o profissional autônomo tenha um fluxo de caixa adequado para arcar com o 13º salário sem comprometer suas finanças.

4) Aproveitar Descontos e Promoções

Durante o ano, os autônomos podem aproveitar descontos e promoções em compras e serviços para complementar a poupança do 13º salário. Essa estratégia ajuda a aumentar o valor disponível para o 13º salário sem impactar significativamente o orçamento mensal.

Procurar descontos e promoções em outrs atividades, ou até cortando gastos supérfluos, pode ser uma maneira de aumentar o caixa para o 13º salário.

5) Diversificar Investimentos

Além da poupança dedicada, os autônomos podem investir uma parte do valor do 13º salário em aplicações de curto prazo, como fundos de renda fixa ou CDBs. Essa diversificação pode gerar rendimentos adicionais que complementam o valor do 13º salário.

Uma carteira diversificada de investimentos é umaseleção deativos de diferentes tipos e segmentos, que busca reduzir os riscos e aumentar as chances de ter um bom retorno.

Seguindo essas estratégias, os profissionais autônomos podem planejar e garantir o recebimento do 13º salário, evitando imprevistos e garantindo uma reserva financeira para o final do ano.

Fontes: Inteligência Financeira, Economia UOL, Contabeis, Capitalist

8 dicas do que fazer com a restituição do IR

Como comprar euro mais barato

As dívidas mais comuns entre os brasileiros e como evitá-las

Programa de fidelidade: o que é, como funciona e exemplos