Método 50-30-20: descubra o que é e como funciona


O método 50-30-20 é uma forma de dividir a renda líquida mental em três partes : 50%, 30% e 20%. Isso levando em conta as despesas fixas, variáveis e a criação de uma reserva.

O intuito desse método, é que a pessoa consiga equilibrar a sua renda com os seus gastos e com a criação de uma reserva financeira.

Esse método foi criado pela senadora norte-americana Elizabeth Warren e por sua filha Amelia Warren Tyagi. A adoção de um método como este é muito importante para que você tenha controle financeiro.

Isso porque, por meio dele, você não gasta todo o dinheiro que recebe. Ao invés disso, você organiza a forma de gastar e ainda cria uma reserva, o que é essencial para ter saúde financeira.

Como funciona o método 50-30-20?

O método 50-30-20 funciona como uma forma de dividir a renda mensal em três partes, visando o controle financeiro. Dessa forma, a divisão é:

1- Despesas fixas / essenciais

As despesas fixas são os gastos que não variam como, por exemplo, aluguel, alimentação, água e energia.

Se você tiver dificuldade de definir se um gasto é ou não uma despesa essencial, basta se questionar se o gasto é dispensável ou não.

De acordo com o método 50-30-20, a junção dessas despesas deve corresponder a metade do seu salário. Portanto, faça uma lista dos seus gastos fixos e veja o quanto você gasta com cada um deles.

Depois disso, faça os cortes necessários para que esses gastos correspondam a apenas 50% da sua renda mensal.

2- Despesas variáveis / supérfluos

A porcentagem de 30% da sua renda mensal deve ir para as despesas variáveis / gastos supérfluos. Alguns exemplos desses gastos são: assinaturas de streaming, compras e passeios.

Na prática, os gastos supérfluos são aqueles que podem ser cortados, pois não são essenciais para a sua sobrevivência.

Enfim, faça uma lista dos seus gastos supérfluos e verifique se você está gastando mais do que 30% da sua renda neles. Se estiver, faça cortes de gastos.

3- Reserva de emergência / objetivos financeiros

Por fim, de acordo com o método 50-30-20, uma porcentagem de 20% da sua renda deve ser destinada para a criação de uma reserva de emergência ou para projetos pessoais.

Em síntese, a reserva financeira é uma quantia em dinheiro que deve ser usada apenas em casos de imprevistos. Todo mundo precisa ter uma reserva financeira. 

Uma reserva de emergência não tem valor definido, contudo, elas costumam ser o equivalente a 6 meses dos seus gastos mensais. No entanto, essa reserva pode ser maior.

Uma dica é deixar a reserva de emergência em um local de fácil acesso, como a poupança, por exemplo. Isso porque a intenção da reserva de emergência não é o rendimento.

A intenção é que, quando ocorrer uma emergência, você tenha acesso a esse dinheiro. Portanto, use os 20% para criar uma reserva de emergência.

Você pode ainda usar uma parte desses 20% para realizar objetivos financeiros. Além disso, após a criação da reserva, você pode começar a investir com foco na criação de um patrimônio a longo prazo.

Como adotar o método 50-30-20 no dia a dia?

Para usar o método 50-30-20 no seu dia a dia, comece transformando as porcentagens em dinheiro. Por exemplo, vamos supor que a sua renda seja de R$ 3.000.

Neste caso, 1.500, que corresponde a 50%, devem ser destinados aos gastos fixos. Por outro lado, R$ 900 devem ir para os gastos variáveis (30%).

Por fim, 20% devem ir para a criação da reserva de emergência, o que corresponde a R$ 600. Sendo assim, com base nesses valores, você deve estabelecer os limites de gastos dentro de cada categoria.

Por exemplo, o supermercado está nos gastos fixos. Sendo que o valor total destinado aos gastos fixos é R$ 1.500.

Portanto, você deve determinar um valor de supermercado que não atrapalhe os outros gastos que se encaixam dentro da categoria de gastos fixos como água e energia.

Enfim, para que todos os seus gastos se encaixem nessa divisão, vá se organizando aos poucos e fazendo cortes os cortes de gastos necessários.

Vale a pena usar o método 50-30-20?

Sim. Usar o método 50-30-20 vale muito a pena para quem deseja ter um maior controle financeiro. Isso porque, por meio dele, você organiza os seus gastos e ainda cria uma reserva.

Sendo que organizar os gastos é essencial para que você não gaste mais do que recebe. É uma maneira também de facilitar o corte de gastos desnecessários.

Por outro lado, a criação de uma reserva é essencial para que você tenha maior tranquilidade financeira.

Isso porque, ao criar uma reserva de emergência, você sabe que se um imprevisto acontecer, você terá como lidar com ele.

Após a criação da reserva de emergência, você pode começar a investir. Dessa forma, você pode criar um patrimônio a longo prazo e realizar objetivos financeiros.

LEIA MAIS

Regra dos 72: veja essa estratégia para os seus investimentos

9 formas inteligentes de usar seu FGTS

Metas financeiras: qual a importância delas e como defini-las?

Planejamento financeiro, o que é? Pra que serve e como fazer

Planejamento financeiro pessoal: 15 passos para criar o seu

6 Dicas de como fazer um planejamento financeiro para médicos

Planejamento Financeiro Familiar: como começar

Planejamento sucessório: importância e como fazer

Fontes: Super digital, Serasa e Uol.

Conte-nos a sua opinião...