Como montar uma carteira de investimentos?


A maioria dos investidores iniciantes fica empolgada com a ideia de investir, mas não sabe por onde começar. E isso acaba fazendo muita gente investir do jeito errado e perder dinheiro na Bolsa de Valores. Por isso, hoje, vou te dar algumas dicas de como montar uma carteira de investimentos.

Você vai aprender a escolher uma ação na Bolsa de Valores, investir em renda fixa e em renda variável. E, principalmente, a diversificar os investimentos. E isso vai fazer toda a diferença na sua jornada de investidor! Você vai entender como aumentar seu patrimônio e ganhar dividendos para, um dia, poder viver de renda.

Monte a “sua” carteira de investimentos

Montar uma carteira de investimentos segura e lucrativa é algo relativo, porque depende de muitos fatores. Entre eles, sua renda, seu perfil de risco, seus objetivos e o momento de vida em que você se encontra. Mas, independente disso, algumas dicas básicas acabam valendo para todos.

O primeiro passo para montar uma carteira

A primeira coisa a fazer é definir os percentuais que você vai ter em cada classe de ativos. Em geral, você tem as opções de investir em renda fixa (Tesouro Direto, CDBs, LCIs e LCAs, CRIs e CRAs, etc.), renda variável (ações e fundos imobiliários), renda variável internacional e criptomoedas. Além disso, é importante deixar uma parte do dinheiro em reserva de valor, como dólar e ouro, para proteger seu patrimônio.

A fatia que cada classe de ativos vai ter na sua carteira vai depender, essencialmente, do seu apetite a riscos. Investidores mais conservadores priorizam uma parcela maior do patrimônio em renda fixa. Já os arrojados optam por correr um pouco mais de risco e aumentar a exposição em ativos de renda variável. A regra de ouro é: quanto maior o risco, maior o prêmio!

Diversifique sua carteira de investimentos

Seja qual for o seu perfil, para criar uma carteira de investimentos de sucesso a diversificação é essencial. Isso vai dar à sua carteira uma boa proteção – indispensável no longo prazo – contra as variações do mercado. Assim, vamos supor que determinada carteira tenha 55% em renda fixa, 20% em ações, 20% em fundos imobiliários e 5% em criptomoedas.

Para sempre manter esses percentuais mais ou menos dentro do projetado, eu aplico o que chamo de “método burro”. Usando o Diagrama do Cerrado, ferramenta disponível na plataforma de investimentos da AUVP (A Única Verdade Possível), eu consigo saber onde preciso aportar, em determinado mês, para ir rebalanceando a carteira.

Eu chamo de método burro porque o próprio Diagrama me mostra onde investir e em qual percentual. Assim, eu acabo me “protegendo” de mim mesmo, evitando fazer – por pura emoção – algum aporte maluco e no lugar errado.

Como montar uma carteira de investimentos?

Inscreva-se na Pior Newsletter Possível!

Receba os melhores conteúdos (ou não) gratuitamente!

Usamos a Sendinblue como nossa plataforma de marketing. Ao clicar abaixo para enviar este formulário, você reconhece que as informações fornecidas por você serão transferidas para a Sendinblue para processamento, de acordo com o termos de uso deles

Como escolher uma ação?

A forma correta de escolher uma ação se assemelha a um grande funil. O investidor deve começar pelo setor, priorizando, sempre, os que são perenes – ou seja, setores considerados essenciais e, portanto, mais seguros. Aqui entram “utilidade pública” (saneamento e energia), “financeiro” (bancos e seguradoras), “consumo não cíclico” (alimentos e bebidas) e “comunicações”.

Em seguida, o investidor passa a analisar e a comparar as empresas daquele setor específico, levando em conta os fundamentos de cada uma delas. O ideal é escolher empresas mais sólidas, historicamente lucrativas, com boa gestão e, claro, pelo melhor valor (value investing).

Uma boa aliada, para saber se determinada empresa está barata, pode ser a fórmula utilizada por Benjamin Graham. Ele é, simplesmente, um dos tutores do megainvestidor Warren Buffett. A fórmula de Graham estipula um teto tanto para a relação preço/lucro (PL) quanto para a relação preço/valor patrimonial (P/VP) da empresa.

Analise os fundamentos!

Na hora de montar sua carteira de investimentos, a análise fundamentalista é essencial. É esta análise que vai te ajudar a escolher uma ação, seja ela de empresa brasileira ou internacional.

Essa mesma lógica pode – e deve – ser aplicada para decidir qual fundo imobiliário comprar e, até, para comparar as criptomoedas e os títulos de renda fixa emitidos por empresas privadas. Decida sempre pelas opções mais sólidas, seguras e relativamente baratas.

No vídeo abaixo, dou uma aula gratuita, com muito mais detalhes e dicas de como montar uma carteira de investimentos vencedora. A aula vai ser útil tanto para quem está na fase de construir patrimônio quanto para quem já pendurou a chuteira e, finalmente, pode se dar o luxo de viver de renda.

Gostou do conteúdo? Então, faça parte da nossa comunidade no Instagram (@oraulsena) pra ficar sempre por dentro dos investimentos e da Bolsa de Valores.

E não deixe de conferir, também: Conheça a carteira de investimentos mais segura do mundo.

Conte-nos a sua opinião...