O que é renda fixa: características, tipos e como investir


A renda fixa é caracterizada por todo tipo de investimento que possui regras de rendimento pré-definidas. Ou seja, na hora de aplicar o investidor já sabe o prazo e a taxa de rendimento ou índice usado para valorizar esse dinheiro que está sendo investido.

Dessa forma, investir em renda fixa é bem simples. Além disso, o investidor conta com a segurança do Fundo Garantidor de Crédito, ou FGC, que é o mesmo seguro da poupança.

Juntamente com a segurança, a renda fixa também oferece uma ótima rentabilidade. Nesse sentido, é uma ótima opção para fugir da baixa rentabilidade da poupança e aplicar seu dinheiro de forma segura e fazer ele render muito mais.

Apesar disso, a rentabilidade não é fixa, ela é apenas uma estimativa de quanto será o rendimento, mesmo sem saber o valor exato.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O que é renda fixa?

O que é renda fixa: entenda como funciona essa tipo de investimento

Vale

Primeiramente, empresas, bancos, instituições financeiras e governo precisam captar recursos para financiar projetos e continuar suas atividades. Assim, entram os investimentos em renda fixa.

Ou seja, é como se você estivesse emprestando seu dinheiro para tais instituições. Dessa forma, elas usam o dinheiro para financiar suas atividades e em troca vão devolver esse dinheiro junto com o acréscimo de correção de juros.

Além disso, nesse tipo de aplicação existem diversos tipos de títulos e inúmeras possibilidades diferentes para poder investir. Então, você pode escolher o título que vai de acordo com o seu perfil de investidor, objetivos, etc.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Além de poder também combinar várias modalidades e fazer uma carteira mais diversificada. Afinal, a diversificação é um dos fatores que proporciona ainda mais segurança e rentabilidade.

Tipo de rentabilidade da renda fixa

O que é renda fixa: entenda como funciona essa tipo de investimento

Enricando Mais

A rentabilidade gerada pela renda fixa vai variar de acordo com o investimento feito. Dessa forma, o investimento pode ser de dois tipos em relação à rentabilidade:

  • Prefixado: o dinheiro investido rende uma taxa exata anteriormente combinada e fixa. Ou seja, é possível saber exatamente qual será o retorno futuro, ao terminar a aplicação.
  • Pós-fixado: o dinheiro investido vai render de acordo com a variação de certo indicados, como, por exemplo, a inflação ou o CDI. Ou seja, o percentual não é garantido. Então, o investidor sabe que o seu dinheiro irá render conforme algum indicador, porém não sabe o quanto.

Categorias de renda fixa

Como existem inúmeras opções para esses tipos de títulos, iremos aqui exemplificar em quais categorias eles se encaixam para facilitar na hora da análise da compra.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Títulos Públicos – Tesouro Direto

O que é renda fixa: entenda como funciona essa tipo de investimento

Sator Trador

Nessa categoria de aplicação em renda fixa, o emissor é o Governo Federal. Eles podem ser prefixados, como o Tesouro Prefixado, e pós-fixados, como o Tesouro Selic e o Tesouro IPCA+.

Dessa forma, é um dos investimentos mais populares por quem deseja começar a sair da poupança buscando maior rentabilidade. Então, o governo coloca esses títulos no mercado financeiro quando deseja financiar suas dívidas internas e precisa de dinheiro.

Em suma, você empresta um pouco de dinheiro para o Governo Federal e depois do vencimento do título irá receber não apenas o dinheiro investido, como também o rendimento que ele teve de acordo com as taxas prefixadas ou pós-fixadas.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Nessa categoria, os títulos disponíveis são Tesouro Selic, Tesouro Prefixado e Tesouro IPCA, esses possuem liquidez diária e sua rentabilidade é tributada pelo Imposto de Renda.

CDBs – Certificado de Depósito Bancário

O que é renda fixa: entenda como funciona essa tipo de investimento

Paraná Banco

Esses são exemplos de aplicações em títulos de bancos. Logo, é uma aplicação emitida pelos bancos com o objetivo de captar recursos  para também financiar suas atividades. Como, por exemplo, melhoria nas estruturas ou empréstimos para seus próprios clientes, cheque especial, crédito direto a correntista, entre outros.

Dessa forma, ela funciona com a mesma lógica do Tesouro Direto. Ou seja, o investidor empresta o seu dinheiro para o banco e depois recebe o valor investido junto com a correção de juros. Além disso, tem rentabilidade pré e pós fixada além da híbrida. Dentre esses, os mais populares são aqueles que remuneram com base no CDI, que possui o percentual próximo ao da Selic.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Por outro lado, investir na renda fixa do CDB de bancos menores é mais interessante do que investir em grandes bancos. Por que a rentabilidade dos títulos, muitas das vezes, é significantemente maior. Além disso, o CDB também é protegido pelo Fundo Garantidor de Crédito, o FGC.

Então, você não precisa se preocupar caso o banco entre em falência, já que seu título tem garantia e você recebe o dinheiro de volta e os juros. Nesse caso, até o valor de R$ 250 mil por CPF por instituição financeira.

LCI e LCA – Setores Importantes

Calculo Certo

LCI significa Letra de Crédito Imobiliário e LCA significa Letra de Crédito do Agronegócio e são títulos emitidos por bancos e instituições financeiras. Ou seja, também é como emprestar dinheiro para o banco em troca de receber ele com a correção da taxa de juros.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Ambos os títulos são muito parecidos, a diferença é na utilização do dinheiro. Ou seja, o LCI é utilizado em financiamentos do ramo de imóveis, enquanto o LCA é para o financiamento no ramo da agropecuária. Além disso, os títulos também possuem segurança do FGC e tem a grande vantagem de serem isentos de Imposto de Renda.

CRI e CRA – Certificado de Recebíveis

Guia do Investidor

Apesar de servirem para financiar projetos no setor imobiliário e do agronegócio, se diferenciam do LCI e do LCA. Afinal, esses títulos são emitidos por empresas securitizadas, o que significa que elas são instituições financeiras com registro aberto na Comissão de Valores Mobiliários, o CVM.

Ou seja, esses papéis de crédito privado tem um fluxo de rendimentos que pode ser recebido periodicamente ou no prazo de vencimento do título. Porém, não tem proteção do FGC.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Debêntures

The Cap

Os chamados debêntures e notas promissórias são exemplos de aplicações em títulos de renda fixa emitidos por empresas. Além disso, diferente do LCI e LCA, eles não contam com a cobertura do FGC, tornando-o um investimento de maior risco. Por outro lado, a rentabilidade costuma ser bem mais atrativa do que a de outros títulos. Porém, os prazos de resgate são os mais longos de toda renda fixa.

Nesse sentido, você empresta dinheiro diretamente para uma organização, que irá devolver o capital com a correção de juros no vencimento da aplicação. Então, ao comprar debêntures, você se torna credor da companhia e ajuda ela a financiar seus investimentos e projetos.

Logo, no mercado pode-se encontrar debêntures normais, ou seja, tributadas pelo Imposto de Renda, e as debêntures incentivadas, isentas de tributação por estarem ligadas a projetos de infraestrutura.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Fundos de Investimento

Space Money

São caracterizados por serem formados por grupos de investidores que se juntam com uma gestora para investir em uma carteira de ativos predeterminada. Assim, a administradora e gestora desses ativos vende as chamadas cotas.

Dessa forma, o investidor vai ter o rendimento da carteira proporcional ao número de cotas que ele possui. Esses fundos de investimento em renda fixa acabam se tornando uma boa opção para os investidores que não têm tempo de acompanhar os investimentos.

Na maioria das vezes, esses fundos têm como benchmarks ou índices de referência a taxa Selic e o CDI. Além disso, são tributadas pelo IR no sistema de come-cotas. Eles se dividem em prefixados e pós-fixados, assim como os anteriores.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Por fim, podem ser divididos em duas categorias, as que investem apenas em títulos do governo e aqueles que investem em títulos privados, os chamados renda fixa e crédito livre.

Poupança

Onze

Sem dúvida, a aplicação mais popular no Brasil, por ser fácil de aplicar, sacar e não pagar Imposto de Renda. Seu rendimento é mensal, atualizado na data de abertura.

Apesar disso, sua rentabilidade é a mais baixa, podendo perder até mesmo para a inflação em diversos momentos. Por esse motivo, a poupança não é uma opção de investimento rentável. Afinal, como a poupança tem o rendimento inferior à inflação, seu dinheiro que fica parado perde o poder de compra.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Vantagens e riscos da Renda Fixa

Ei Investidor

Primeiramente, a renda fixa oferece rendimentos constantes e estáveis. Isso oferece tranquilidade ao investidor, principalmente se está pensando em longo prazo. Então, é uma ótima opção para quem está começando e para investidores mais moderados, que não querem correr riscos.

Dessa forma, é possível criar uma reserva de emergência além de conseguir retirar a quantia quando quiser. Posteriormente, com essa reserva pronta, pode-se começar a pensar em outros investimentos menos seguros.

Apesar de ser um investimento seguro, pode apresentar alguns fatores de riscos:

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
  • Crédito: o risco de crédito é a possibilidade do emissor não ser capaz de devolver o valor investido e juros no vencimento da aplicação.
  • Inflação: nesse caso é quando o rendimento fica abaixo da inflação do período, fazendo seu poder de compra diminuir, como em casos de aplicação na poupança.
  • Taxa de Juros: mais ligado aos investimentos prefixados. Nesse caso, como o rendimento já foi acertado na hora da compra, ele não irá mudar. Logo, depois caso os juros subam mais do que o combinado, quem investiu vai perder com o rendimento mais baixo.

Existem também garantias ligadas ao investimento em renda fixa, são elas:

  • O dinheiro não se perde: ou seja, o dinheiro investido pode perder o valor de compra devido a inflação, mas o valor original continua garantido, então você não vai perder ele.
  • Fundo Garantidor de Crédito: o FGC garante que, mesmo que o banco quebre o seu dinheiro, vai ser devolvido, apesar de ter o limite de R$ 250 mil por CPF por cada instituição financeira.

Dicas para investir na renda fixa

Certifiquei

Por fim, serão citadas algumas dicas que vão auxiliar o investidor a decidir melhor quando aplicar na renda fixa.

  • O investimento em Tesouro Direto e em CBD servem como garantia na Bolsa: a margem de garantia serve como caução para que você invista. Apesar disso, serve apenas para algumas operações.
  • LCI e LCA são isentos para o IR: essa é a grande vantagem de se investir nessa categoria de renda fixa. Apesar disso, mesmo que isentos eles precisam ser declarados.
  • Investimentos no Tesouro Direto a curto prazo podem servir como uma estratégia: pelo fato da rentabilidade desse título estar ligada com a oscilação constante dos juros, em certos casos pode ser uma oportunidade de curto prazo. Dessa forma, o investidor pode vender seu título por um valor mais alto do que comprou.
  • Aplicações pequenas: com R$ 30 você já pode começar a investir no tesouro direto. Então, você pode usar aquele dinheiro que sobrou no final do mês e fazer essa micro aplicação em vez de apenas deixá-lo parado na conta.
  • Diversificação da carteira: é uma ótima opção investir em mais de um título de tipo diferente, dessa forma você protege melhor o seu capital e aumenta seus rendimentos. Então, caso um título não apresentar a rentabilidade esperada os outros podem compensá-la.

Gostou da matéria? Se gostou, confira também: Como investir no Tesouro Direto? Tipos e como aplicar passo a passo

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Fontes: Economia UOL; Toro Investimentos; Nubank e Foca no Dinheiro.

Imagens: Vale; Fast Trade; Enricando Mais; The Cap; Sato Trador; Paraná Banco; Calculo Certo; Guia do Investidor; Space Money; Onze; Ei Investidor e Certifiquei.


Conte-nos a sua opinião...