All-time high (ATH): o que significa e como saber identificar?


All-Time High (ATH) é a maior alta que uma criptomoeda já teve durante a sua existência. Portanto, o ATH de uma moeda ocorre quando ela atinge o seu valor recorde.

Sendo assim, esse é um termo muito usado no mercado ao falar sobre as valores das moedas digitais. Logo, saber o ATH de uma moeda é útil na análise gráfica e técnica de criptos. 

Além do ATH, existe também o ATL – All-Time Low. Em resumo, o ATL é o menor valor registrado por uma moeda em sua existência.

De onde vem o ATH?

ATH é o All-Time High. Ou seja, a maior alta registrada no valor de uma criptomoeda. O conceito de alta história existe há muito tempo no mercado de capitais.

Por exemplo, na época de prosperidade econômica, é comum que ações cheguem a máximas históricas. Neste caso, a alta nos preços das ações indica o bom desempenho das empresas.

Com o surgimento da internet, esse conceito ficou mais conhecido. Isso porque, muitas pessoas usam as criptomoedas para especular. Logo, elas ficam de olho nos preços que as criptos atingem.

Sendo que, por causa da grande quantidade de pessoas interessadas em critpos, muitas moedas atingiram valores bem altos nos últimos tempos.

No entanto, é preciso ter em mente que uma moeda atingir um alto ATH não significa que ela terá sucesso no futuro. Isso porque, preço passado não garante preço futuro.

Além disso, existe um grande número de novas criptos sendo introduzidas no mercado. Desse modo, algumas criptos atingem seu ATH depois de alguns dias do seu lançamento.

Mas, depois de um tempo, as pessoas deixam de se interessar por aquela moeda e ela nunca mais atinge o ATH de novo.

Em contrapartida, também existem criptos que atingem o ATH e depois de pouco tempo depois voltam a atingir o all-time high novamente.

Históricos de ATH de Bitcoin

Um dos primeiros ATH do Bitcoin ocorreu entre janeiro e dezembro de 2017. Na época, a moeda teve uma valorização de 1.835%. Ou seja, foi uma variação de quase 2 mil por centro.

Dessa forma, o Bitcoin teve um salto de US$ 800 dólares em janeiro até US$ 19.783 em dezembro.

Como resultado dessa valorização, muitos investidores foram atraídos para o mercado de criptos. No entanto, essa entrada de investidores neste período causou uma frustração entre eles.

Isso porque essa empolgação geral do mercado fez com que os investidores se esquecessem da máxima de comprar na baixa e vender na alta.

Desse modo, em dezembro, o Bitcoin teve uma queda de um terço no seu valor. Isso em apenas 24 horas.

Com a desvalorização, a moeda atingiu o patamar de US$ 14.000 no início de sua desvalorização, que se arrastou por meses, levando ao preço de US$ 3.000 um ano depois.

Qual foi o maior valor do Bitcoin?

O Bitcoin passou por muitas altas e baixas desde que começou a ser usado no Brasil. Além disso, o real passou por uma grande desvalorização.

Em 2017, o dólar estava relativamente baixo, em torno de R$ 3,30. Na época, o Bitcoin atingiu a máxima no Brasil, em média, R$ 69.700.

Posteriormente, em 2020, o Bitcoin atingiu várias altas seguidas entre outubro e novembro.

Para você ter uma noção, no dia 24 de novembro,  o Bitcoin alcançou um valor maior do que R$ 105.000 e, ao mesmo tempo, estava sendo negociado no recorde global de US$ 19.666.

O Bitcoin pode alcançar um novo all-time high?

Sim. O Bitcoin passa por constantes altas e baixas. Sendo assim, em um momento de alta, ele pode atingir um novo recorde de preço.

É claro que não existe garantia de que o preço do Bitcoin vai subir e nem que essa alta irá permanecer. Mas existe a possibilidade.

Se você pretende investir em Bitcoin, a dica é analisar o comportamento do Bitcoin em dólar e em real. Isso porque, as duas moedas podem passar por oscilações diferentes, o que pode afetar suas aplicações.

ATHs vs. ATLs

Como você já sabe, o ATH é o preço máximo atingido por uma criptomoeda durante o seu período de existência.

Por outro lado, o ATL – All-Time Low é o menor valor registrado por uma moeda em sua existência. Ou seja, o ATH e o ATL são opostos.

Sendo que o ATL pode indicar que é melhor não investir em certo criptoativo, já que ele está em uma baixa acentuada.

É claro que a queda de preço pode ser uma boa oportunidade de comprar ativos com preços baixos. Mas para isso, é essencial analisar o ativo para não acabar tendo graves prejuízos.

LEIA MAIS

Quais são as principais criptomoedas do mercado e como funcionam?

Exchange de criptomoedas: o que são e como escolher a melhor?

Regulação de criptomoedas: saiba como a lei pode afetar sua vida

Como ganhar dinheiro com criptomoedas? 6 formas!

Imposto de Renda 2022: NTFs e criptomoedas precisam ser declarados?

Como minerar criptomoedas: suas principais dúvidas respondidas!

As 10 maiores criptomoedas do mundo

Fontes: Nova dax, Akeloo e Mais geek.

Conte-nos a sua opinião...