Juros, o que são? Definição, principais tipos e como funcionam


Juros são a porcentagem que determinado dinheiro rende. Seja em um empréstimo ou em investimentos, essa porcentagem pode ser vista como algo positivo quando investimos e recebemos essa taxa. Ou, ainda, como algo horrível, quando atrasamos a fatura do cartão.

Em outras palavras, não são apenas os investimentos que são impactados por eles. Isso porque os juros estão presentes em diversos aspectos da nossa vida, como, por exemplo, o cheque especial, a fatura do cartão atrasada ou nos empréstimos de bancos.

Portanto, conhecer quais são os tipos de juros existentes é importante na hora de emprestar ou devolver um dinheiro, isso porque existem taxas diferentes que são aplicadas em situações diferentes.

Juros o que são? Quais os tipos e como funcionam

Terraço econômico

O que são juros?

Os juros são a porcentagem dos rendimentos resultantes de um empréstimo. Em outras palavras, quando emprestamos o nosso dinheiro a alguém, e após recebemos de volta, ele vem acrescido da porcentagem.

Os juros, portanto, são uma espécie de remuneração por termos emprestado o dinheiro. Além disso, é o que faz as pessoas quererem continuar investindo, ao invés de usar o dinheiro. 

Afinal, se o seu patrimônio não for crescer, porque emprestar dinheiro? O quanto de juros o dinheiro vai render, depende das condições preestabelecidas no momento do empréstimo, sendo que o rendimento pode ser anual, mensal ou ainda diário.

Juros o que são? Quais os tipos e como funcionam

Seu crédito digital

Em resumo, os juros são a remuneração por um dinheiro emprestado. Dessa maneira, temos duas pessoas nessa equação, o credor e o devedor:

Credor: É quem emprestou o dinheiro, consequentemente, é também quem vai receber os juros;

Devedor: O devedor é quem pega o dinheiro emprestado, sendo assim, é ele quem deve pagar os juros. 

Na hora de calcular qual será a taxa de um contrato, diversos aspectos são levados em consideração, como, por exemplo:

  • Os riscos do empréstimo, sendo que quanto maior os riscos envolvidos, maior a taxa de juros;
  • Custos administrativos;
  • Compensação pela não aplicação do dinheiro em outro investimento;
  • e ainda, o índice de inflação

Tipos de juros

Existem alguns tipos de juros, sendo eles:

Simples: Esse tipo é definido previamente e recai apenas sobre o valor do empréstimo. Ou seja, a porcentagem não muda com o decorrer do tempo. 

Composto: Também conhecido como juros sobre juros, nessa modalidade, o percentual cai em cima do valor final do período anterior. Em outras palavras, ele incide sobre o valor quando já teve o juros acrescido. Esse tipo é comumente visto em aplicações financeiras e dívidas.

Portanto, para quem faz aplicações financeiras, é muito bom, afinal você vai ganhar juros até mesmo em cima dos juros acumulados, até a data de resgate.

Entretanto, para quem está devendo, é como uma bola de neve que só torna a dívida maior. 

Valor econômico

Rotativos: Esse tipo de juros recai sobre o saldo da dívida e, por isso, ele normalmente é alto. Em resumo, os juros rotativos são usados quando a pessoa atrasa o pagamento de um financiamento ou do cartão.

Nominais: Esse tipo envolve as correções monetárias em cima do valor, além disso, ele considera a inflação. Além disso, é usado em muitos financiamentos.

Reais: Ao contrário dos nominais, esse tipo não inclui inflação nem correção monetária.

Sobre capital próprio: Essa taxa se refere aos dividendos distribuídos pelas empresas.

Mora: Por fim, o juros de mora é normalmente usado quando um pagamento é atrasado. Ele é fixado e não pode passar de 2%.  

Além desses tipos de juros, podemos ainda os dividir segundo o seu período de pagamento.

Portanto, quando o pagamento é realizado no início do empréstimo, ele se chama juros antecipados. Ao contrário, quando são pagos somente no final do período, são chamados de juros postecipados. 

As taxas de juros podem ainda ser fixas ou variáveis. Dessa maneira temos:

Taxa fixa

Com essa taxa é possível calcular o quanto será pago de juros ao investidor, ou por uma pessoa que planeje pegar um empréstimo.

Em outras palavras, mesmo com as variações do mercado, a taxa combinada previamente será mantida durante todo o período do contrato.

Instituto liberal

Ou seja, para quem vai investir é interessante por ser possível calcular o quanto o dinheiro vai render. Além disso, para quem quer um empréstimo, é possível, de antemão, saber quanto vai pagar de juros e se programar. 

Taxa variável

Como o próprio nome sugere, as taxas variáveis são o oposto das taxas fixas. Portanto, a porcentagem de juros cobrados pode variar, resultando na dificuldade em se calcular previamente e se planejar.

Em resumo, os resultados do investimentos com taxas variáveis podem ser bons ou ruins, vai depender das variações do mercado. 

Taxa Selic

A Selic é a taxa básica de juros no Brasil, portanto ela exerce forte influência em cima das outras taxas. Ela é muito usada em investimentos de renda fixa como o Tesouro Direto. O seu valor é definido a cada 45 dias pelo Comitê de Política Monetária (Copom).

E investidor

Além de ser a base para os bancos cobrarem os seus juros, a taxa Selic está diretamente ligada a inflação. Dessa maneira, quando a taxa Selic está alta, a tendência é a inflação baixar. Pelo contrário, quando a taxa Selic está baixa, a inflação tende a subir. 

E aí, gostou de conhecer sobre os juros e o impacto positivo que eles têm sobre os investimentos? Então saiba que existe outro fator determinante nos investimentos, O que a Selic influência nos seus investimentos?

Fontes: Urbe me, Mais retorno, Toro investimentos e O economista

Imagens: Trade map, E investidor, Terraço econômico, Valor econômico, Instituto liberal e Seu crédito digital 

Conte-nos a sua opinião...