Livre Mercado, o que é? Conceito, como funciona e limitações


O Livre Mercado é um modelo econômico que se baseia na liberdade de escolha das pessoas e das empresas. Desse modo, acredita-se que a economia deve ser determinada pela lei da oferta e demanda.

Costumeiramente usado como sinônimo do Laissez-Faire capitalista, o conceito de Livre Mercado pode se aplicar também ao Socialismo Voluntário. Afinal de contas, ambos têm como princípio a liberdade na realização de atividades.

Além disso, no Livre Mercado, o Mercado Financeiro exerce um papel fundamental, pois ele possibilita que as empresas consigam obter recursos sem precisar dos subsídios do Governo.

O que é Livre Mercado?

O Livre Mercado, também chamado de Sistema de Livre Iniciativa ou Economia de Mercado, é um modelo econômico. Associado ao liberalismo e ao neoliberalismo, esse modelo tem como teóricos principais Adam Smith e Ludwig von Mises.

O Livre Mercado se baseia sobretudo na lei da oferta e demanda. Em outras palavras, acredita-se que a economia deve ser determinada pelas forças da oferta e demanda e não pela intervenção do Governo. Logo, o princípio que norteia o Sistema de Livre Iniciativa, é a liberdade.

Essa liberdade está presente na livre escolha dos indivíduos e empresas, ao escolher o que eles irão consumir ou produzir. Sendo assim, trata-se de um modelo de Economia de Mercado descentralizado, onde as decisões econômicas não são responsabilidade de um único agente.

Livre Mercado, o que é? Conceito, como funciona e limitações

M. e consumo

No entanto, não existe nenhuma economia que siga completamente os ideais do Livre Mercado. Isso porque todas as economias sofrem, em algum grau, a intervenção do Governo.

Apesar de não existirem economias de Livre Mercado puras, existem graus de liberdade nos mercados. Portanto, é possível notar que as economias que contam com um alto grau de liberdade, no geral, possuem uma boa saúde econômica.

Mesmo não existindo economias puramente geridas pelo Livre Mercado, existem alguns índices criados para acompanhar os diferentes graus de liberdade no mercado. Dessa forma, eles avaliam diversos itens, como o peso da regulação, a segurança dos direitos de propriedade e ainda a abertura de mercado.

Enfim, alguns desses índices são: Index of Economic Freedom, da Heritage Foundation, Index of Economic Freedom of the World, do Fraser Institute e por fim, o Index of Economic Freedom of North America, do Fraser Institute.

Como funciona?

Na teoria, o Livre Mercado funciona como um sistema econômico onde não existe controle e as regulações são mínimas. Justamente por isso, ele costuma ser usado na política como sinônimo de Laissez-Faire capitalista, onde todas as transações são privadas e não existem obstáculos governamentais.

Entretanto, na prática, o conceito de Livre Mercado é mais abrangente, já que se refere ao mercado onde as atividades são totalmente voluntárias. Desse modo, até mesmo o Socialismo Voluntário seria considerado como Livre Mercado, apesar de não ter caráter privado.

Ou seja, tanto o Laissez-Faire capitalista, quanto o Socialismo Voluntário, são considerados como Livre Mercado. Pois, apesar de um ter caráter privado e o outro não, ambos se fundamentam na liberdade de escolha que resulta na lei da oferta e demanda.

Pontedesor

Com a livre concorrência entre as empresas, ocorre uma acelerada inovação tecnológica e redução de preços. Essas duas consequências são essenciais para atrair a atenção dos consumidores, que possuem maior liberdade de escolha entre os fornecedores, entre os produtos e a quantidade a ser comprada.

Com a maior liberdade para os consumidores escolherem, as empresas teriam que se esforçar para oferecer melhores serviços e produtos para conquistar novos clientes. Sendo que, como a demanda seria a responsável por definir quais serão os produtos e serviços ofertados, consequentemente, alguns segmentos poderia desaparecer completamente do mercado.

Além disso, a ideia é que, com a livre concorrência entre as empresas, os preços se autorregulem e o capital se distribua de forma adequada na economia. Isso significa que as empresas teriam liberdade para estabelecer os preços dos produtos de acordo com os gastos que elas tiveram. As companhias também teriam maior autonomia para definir os salários dos funcionários.

Limitações do Livre Mercado

As principais limitações presentes no modelo de Livre Mercado estão ligadas às atividades políticas. Dessa maneira, algumas das limitações mais comuns são:

  • A tributação;
  • A proibição da negociação de determinados produtos e serviços;
  • A fixação de preços;
  • A regulação de alguns segmentos;
  • As normas trabalhistas;
  • A competição com os serviços públicos.

Geralmente, essas limitações são usadas como soluções para proteger consumidores e empregados, evitando vantagens injustas na concorrência.

Enfim, agora que você sabe como o Livre Mercado funciona, que tal aprender a investir na bolsa de valores? Veja o vídeo de Raul Sena e aprenda a fazer seu dinheiro trabalhar por você:

E aí, gostou de conhecer sobre o conceito de Livre Mercado? Então, confira também: Estatais, o que são? Como funcionam, histórico, tipos e privatização

Fontes: Infoecola, Suno e Mais retorno

Imagens: Todo estudo, M. e consumo e Pontedesor

Conte-nos a sua opinião...