Padrão ouro: o que foi e como funcionava o sistema monetário?

O padrão ouro vigorou no sistema monetário internacional do século 19 e foi até a primeira guerra mundial, com o lastro das moedas em ouro.

12 de outubro de 2021 - por Pedro Guimarães


O entendimento da história e origem do padrão ouro é um bom começo para saber como funciona a economia atual. Além disso, podemos vislumbrar o conceito de lastreamento da moeda.

Portanto, este padrão vigorou no sistema monetário internacional do século XIX e foi até a Primeira Guerra Mundial. Basicamente o valor que lastreava as moedas era o ouro, o que variava de país para país. Isso porque a proporcionalidade de reservas em ouro diferia.

História do padrão ouro

Padrão ouro, o que é: história, funcionamento e causas do seu fim

O período do padrão ouro foi o período anterior à formação global, ou seja, entre o século XIX e a Primeira Guerra Mundial.

A propósito, é importante lembrar que este padrão era fundamentado na teoria quantitativa da moeda. Além disso, quem elaborou esta teoria foi  David Hume em 1752.

O nome original de tal teoria era modelo de fluxo de moedas metálicas. Naquela época, era focada nas relações entre moeda e níveis de preço. No entanto, cada banco era obrigado a converter as notas bancárias por ele emitidas em ouro, sempre que solicitado pelo cliente. Além do mais, apenas as grandes potências mundiais praticavam este padrão..

No Brasil, o sistema foi adotado de forma imperfeita durante o segundo reinado e no início da república velha (governo Campos Sales).

Funcionamento da balança comercial

Padrão ouro, o que é: história, funcionamento e causas do seu fim

O pilar principal do sistema do padrão ouro era a obrigatoriedade dos países manterem uma parte significativa de seus ativos internacionais em forma de ouro.

Neste sistema, as nações como a Inglaterra e outros países industrializados eram mais exportadores do que importadores, portanto, nações superavitária.

No entanto, estas nações eram caracterizadas como importadores de ouro. Ou seja, as nações que mais importavam do que exportavam produtos industrializados, deveriam exportar o seu ouro para ajustar o déficit.

Isso significa que, com a exportação do ouro, a oferta da moeda diminuía e, por consequência, a inflação baixava. Isso tornava o país mais competitivo no mercado internacional.

Porém, nos países superavitários, por importarem ouro, a oferta interna de moeda aumentava, ocasionando o aumento das bases monetária e da inflação.

Neste sentido, a consequência inevitável era a perda da concorrência em mercados internacionais. Assim, era freado um novo superávit nesses países.

Causas do fim do padrão ouro

Padrão ouro, o que é: história, funcionamento e causas do seu fim

Basicamente, a duração do padrão ouro foi até meados da Primeira Guerra Mundial. No entanto, quem liderava este sistema era a Inglaterra, denominado padrão libra-ouro.

Uma das causas mais importantes do fim deste padrão foi a emissão de dinheiro para cobrir gastos da primeira guerra. As potências como EUA, Reino Unido, França, Alemanha entre outros, desmantelaram o padrão ouro por conta de gastos demasiados.

Por outro lado, uma causa que influenciou muito a queda do padrão ouro foi a quebra da bolsa de Nova Iorque, em 1929. Portanto, o padrão ouro acabou em 1944, passando a vigorar uma nova ordem monetária internacional.

Esta nova ordem foi originada a partir do acordo de Bretton Woods. Neste novo sistema foi posto o padrão dólar-ouro. Contudo, em 1971, o presidente Richard Nixon determinou o fim desse padrão.

A causa desta determinação era o fato de os EUA não conseguir mais garantir a mesma quantidade combinada de ouro. A partir desta data, o sistema adotado foi um sistema de flutuação livre baseados nas seguintes moedas: Dólar, Libra Esterlina, Euro e Iene.

A volta do padrão ouro é possível?

O modelo atual é baseado na moeda fiduciária e a moeda que centraliza este conceito é o dólar. Porém , alguns analistas como Marc Friedrich, defendem que este modelo tende a fracassar.

A comprovação deste fenômeno de fracasso da meda fiduciária é o fato da Rússia, Irã e China terem aumentado seus investimentos em ouro. Portanto, este aumento de compra de ouro demonstra a desconfiança crescente no dólar.

Fatores que demandam a volta do padrão ouro:

  • Perda de 80% de poder de compra do dólar
  • Tendência de desvalorização do dinheiro em geral
  • Situação futura de hiperinflação
  • Economia cíclica e especulativa

Em tese, o padrão ouro foi um sistema com maior estabilidade para a economia. Contudo, é muito pouco provável a sua volta, pois não existe volume de ouro no mundo capaz de cobrir o lastro do dinheiro que é gasto. Assim, os gastos com tecnologia, armamentos, saúde atingiram um patamar tão alto que fica impossível vincular qualquer lastro.

No entanto, para saber mais sobre o dinheiro e suas aplicações leia também, Padrão de vida o que é? Tipos escolhas e saúde financeira

8 dicas do que fazer com a restituição do IR

Como comprar euro mais barato

As dívidas mais comuns entre os brasileiros e como evitá-las

Programa de fidelidade: o que é, como funciona e exemplos