Too big to fail: o que é e quais empresas fazem parte do grupo

11 de agosto de 2021 - por Jaíne Jehniffer


A expressão too big to fail é utilizada para se referir às empresas, sobretudo as instituições financeiras, que são muito grandes e importantes para a estabilidade financeira do país.

Dessa forma, a quebra dessas empresas poderiam impactar o sistema financeiro nacional e internacionalmente. Em outras palavras, a falência de uma empresa do grupo too big to fail poderia ser devastadora para a economia nacional e mundial.

Para evitar impactos tão severos, o governo pode intervir e apoiar essas empresas quando elas estiverem passando por sérias dificuldades.

O que é too big to fail?

A expressão too big to fail pode ser traduzida para o português como grande demais para quebrar ou ainda grande demais para fracassar. Trata-se de um conceito bem comum na economia política dos EUA, usado para se referir às empresas que são essenciais para a estabilidade financeira do país.

Desse modo, se esse tipo de companhia quebrar, os efeitos podem ser terríveis. Por exemplo, se um grande banco quebrar pode ocorrer um efeito dominó. Isso porque, se as pessoas deixam de confiar nas instituições financeiras, elas podem começar a sacar o dinheiro das suas contas.

Se todas as pessoas tentarem retirar todo o dinheiro que elas possuem nos bancos, os bancos podem quebrar. Se vários bancos começarem a quebrar a confiança do sistema como um todo, pode acabar e a economia entrar em colapso. Ou seja, é uma verdadeira bola de neve.

Too big to fail: o que é e quais empresas fazem parte do grupo

Antonio sasso

Apesar da expressão too big to fail estar em alta hoje em dia, ela já existe há décadas. Por exemplo, o governo norte-americano possui medidas protecionistas em relação aos bancos desde a década de 1930, depois de passar pela grande depressão.

No entanto, com a crise financeira de 2007 e 2008, que resultou na quebra do Banco Lehman Brothers, ficou claro que o sistema ainda era falho. Portanto, as medidas protecionistas do governo norte-americano não bastavam para garantir a estabilidade de instituições financeiras importantes para o país.

Sendo assim, o governo norte-americano criou novas leis e assinou em 2008 o acordo Emergency Economic Stabilization Act (EESA), que pode ser traduzido como Ato de Estabilização Econômica de Emergência. Em resumo, o objetivo era separar reservas que seriam utilizadas para ajudar instituições financeiras importantes, que estivessem com dificuldades administrativas e correndo o risco de quebrar.

Empresas do grupo

As companhias que fazem parte do grupo too big to fail são sobretudo do setor financeiro, como, por exemplo, bancos, empresas de seguro e outras organizações do segmento.

Contudo, nem todas as instituições do setor financeiro fazem parte do grupo too big to fail. Apenas as empresas que podem trazer grandes efeitos negativos para a economia nacional ou mundial, são consideradas como too big to fail.

Coluna de turismo

Para evitar que essas empresas quebrem e impactem a economia nacional, o governo pode atuar diretamente nessas empresas e fornecer fundos de resgates emergenciais. Desse modo, o governo pode ajudar a estabilizar o segmento financeiro, tranquilizar a população e proteger o capital destinado a essas instituições.

Livro too big to fail

A crise de 2008 serviu como inspiração para várias obras literárias e artísticas. Uma dessas obras foi o livro Too Big to Fail de Andrew Sorkin. No livro o autor retrata as causas da crise, como a flexibilização de empréstimos e financiamentos, e o desenvolvimento da crise após o estouro da bolha financeira.

Dessa maneira, o livro conta como a ganância, o medo, o ego e a autopreservação dos poderosos do mercado financeiro dos EUA, influenciaram as decisões que impactaram a economia mundial.

O livro fala também sobre o chamado risco moral. Em síntese, o governo deixou o Lehman Brothers quebrar, já que se o governo ajudasse este banco, outros bancos também iriam solicitar a ajuda do FED.

Sendo assim, o governo assumiu o risco moral e deu o exemplo para as demais instituições. Ou seja, ele deixou claro que não iria salvar os bancos e que cada um deles deveria se virar para sobreviver, seguindo o princípio da economia liberal.

Cointelligence

Filme

O livro Too Big to Fail fez tanto sucesso que virou um best seller e se tornou um filme com o mesmo nome. O filme Too Big to Fail foi dirigido por Curtis Hanson e roteirizado por Peter Gould para a HBO.

No filme podemos acompanhar a história do banqueiro Richard Fuld, interpretado por James Woods e a tentativa de salvar o Banco Lehman Brothers. É claro que a tentativa foi em vão e um dos maiores bancos dos EUA, declarou falência.

Enfim, o filme foca nas negociações dos bancos com o Congresso e o Tesouro dos EUA, durante a crise. Para entender mais sobre as causas, o desenrolar e as consequências da crise de 2008, leia: Crise de 2008, o que foi? Contexto histórico e efeitos no Brasil e no mundo

Fontes: Eu quero investir, The cap, Wikipédia e Mais retorno

Imagens: Webstudy, Antonio sasso, Coluna de turismo e Cointelligence

10 livros essenciais para entender sobre economia comportamental

10 dicas de como melhorar a sua relação com o dinheiro

Mitos e verdades sobre empreendedorismo que devemos conhecer

8 dicas do que fazer com a restituição do IR