Ainda é possível viver de dividendos em 2022? 

Bolsa de Valores em baixa, ano eleitoral e risco de recessão econômica. Ainda é possível viver de dividendos em 2022?

17 de maio de 2022 - por Raul Sena (Investidor Sardinha)


Nos últimos anos, tivemos uma ascensão meteórica no número de pessoas físicas na Bolsa de Valores. Em pouco mais de 4 anos, o total de CPFs saltou de 800 mil para 4,2 milhões. Muitos destes novos investidores veem na B3 uma oportunidade para viver de renda. Mas, afinal, ainda é possível viver de dividendos em 2022?

A verdade é que este é o sonho de muita gente que decide investir. Imagine não precisar mais trabalhar; apenas ficar vendo parte do lucro das empresas caindo todos os meses na sua conta.

É exatamente assim que funcionam os dividendos. As empresas lucram e parte desse valor vai direto pro bolso dos acionistas.

Afinal de contas, você também passa a ser dono das maiores empresas do Brasil e do mundo – ainda que minoritário – quando compra uma ação na Bolsa. Então, nada mais justo que ganhar sua fatia dos lucros.

Bolsa “barata” e os dividendos

Muita gente acaba confundindo as coisas quando vê a Bolsa de Valores em queda.

Para estas pessoas, pode parecer que a baixa no preço das ações dificulta a vida pra quem quer viver de dividendos.

Mas, na prática, não é bem assim.

Um momento ruim da economia não significa que determinada empresa esteja, necessariamente, lucrando menos e, portanto, pagando menos dividendos.

Temos, neste exato momento, empresas com os preços super atrativos na Bolsa, embora continuem sendo excelentes pagadoras de dividendos.

Então, podemos afirmar que “sim”, ainda é plenamente possível viver de dividendos em 2022.

Quanto eu preciso para viver de dividendos?

Essa é uma pergunta que eu tenho recebido com muita frequência.

A verdade é que o valor que você vai ganhar todos os meses, de renda passiva, depende muito de dois fatores principais:

  • Valor que você está disposto a investir;
  • Diversificação e qualidade dos seus investimentos.

Para te ajudar a entender onde e o quanto é preciso investir, o Investidor Sardinha disponibilizou a Planilha Viver de Renda (acesse aqui).

Ainda é possível viver de dividendos em 2022? 

A planilha faz uma projeção dos valores aportados em Renda Fixa, Ações e Fundos Imobiliários (FIIs). E mostra quanto é preciso aportar em cada tipo de ativo, visando a uma rentabilidade específica.

Diversificar para viver de dividendos

Uma coisa imprescindível a considerar, quando o assunto é viver de renda, é a diversificação.

Não por acaso, nossa planilha já prevê os investimentos em títulos de renda fixa, ações pagadoras de dividendos e FIIs.

Cabe a você, como um investidor inteligente, fazer a distribuição mais adequada dos seus aportes.

Quanto mais diversificada for sua carteira de investimentos, a menos risco você estará exposto.

Lembre-se de que, nesse momento da vida, você já passou da fase de construir patrimônio.

Então, o ideal é que sua carteira seja a mais segura possível.

Isso quer dizer, portanto, que você vai ter que abrir mão de uma eventual rentabilidade maior. Vale, sempre, a velha lógica: quanto maior o risco, maior o prêmio. E vice-versa.

Rentabilidade ideal para viver de dividendos

Nas contas que costumo fazer, usando a Calculadora de Juros Compostos do Investidor Sardinha, eu sempre projeto uma rentabilidade anual entre 11 e 12% para os investimentos.

Acredito que, para o bom investidor, este porcentual é perfeitamente factível.

Isto, contudo, vale apenas para a fase de acumulação de capital.

Ou seja, é quando você ainda está engordando o porquinho e construindo seu patrimônio.

Somente depois, temos que pensar em viver de renda. E, a partir de então, a rentabilidade anual vai, obviamente, sofrer uma redução.

Logo, para quem já conseguiu pendurar a chuteira, eu projeto uma renda em torno de 8% ao ano.

Hoje, inclusive, com a alta da inflação e dos juros, temos vários FIIs de papel entregando mais de 15% a.a. Mas isso é exceção, e não regra.

Projetando ganhos para viver de renda

Mantendo as projeções de rentabilidade diferenciada para as fases de acumulação e de viver de renda, podemos imaginar o seguinte cenário:

Você tem 40 anos e decide investir R$ 800 todos os meses durante 20 anos, com retorno de 12% a.a.

Assim, aos 60, você terá acumulado o total de R$ 736.685,88 e poderá se aposentar.

A partir de então, você rebalanceia a carteira de investimentos, agora 100% focada na geração de renda.

Logo, aplicando à rentabilidade de 8%, você poderia se aposentar com o valor mensal de R$ 4.739,86.

Para saber mais detalhes sobre os cálculos – e sobre viver de dividendos em 2022 – assista ao vídeo abaixo, que publiquei no canal Investidor Sardinha.

Sob céu limpo ou em meio ao vendaval, sempre será possível montar uma carteira de investimentos segura e viver de dividendos.

Com foco e mentalidade de longo prazo, você vai se beneficiar do lucro de excelentes empresas negociadas na Bolsa de Valores.

No fim, poderá desfrutar de uma vida financeiramente estável, tranquila e feliz.

Só depende de você!

E se você gostou deste conteúdo, faça parte da nossa comunidade no YouTube (Investidor Sardinha) e no Instagram (@oraulsena) pra ficar sempre por dentro do mundo dos investimentos e da Bolsa de Valores.

E não deixe de conferir, também: Ano eleitoral e volatilidade – devo parar de investir em ações?

Economia comportamental: o que é e como funciona?

Daniel Kahneman: biografia e carreira do Nobel de economia

Milton Friedman: vida e carreira do líder da Escola de Chicago

8 dicas do que fazer com a restituição do IR