4 erros que você não pode cometer com seu dinheiro


Eu tenho certeza que você quer ficar rico – ou mais rico ainda. A questão, no entanto, é entender que o processo de enriquecimento requer tempo e esforço. A jornada é longa e você ainda precisa desviar de algumas armadilhas. Neste artigo, vou te mostrar os 4 erros que você não pode cometer com seu dinheiro.

Na verdade, existem erros que nos engrandecem e trazem lições que, aliás, podem nos aproximar da riqueza.

Outros, porém, têm o potencial de acabar com sua vida financeira.

De fato, esses 4 erros podem te tirar do jogo. E, fatalmente, te fazer pobre pelo resto da vida.

Antes de qualquer coisa, porém, quero deixar claro que isso aqui não é conversinha de coach.

Vamos falar de coisas reais, que podem te prejudicar financeiramente e afastar o dinheiro do seu bolso.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

1º erro: desconsiderar as emergências

Muita gente leva a vida como se tudo fosse extremamente previsível. Essas pessoas imaginam que o dia de amanhã sempre será como o de hoje, sem grandes surpresas.

Acontece que você pode acordar amanhã e descobrir que seu teto caiu. E, no mesmo dia, perder o emprego.

São coisas muito improváveis, mas que podem acontecer com qualquer um.

Por isso, sempre reforço a importância de se ter uma reserva de emergência.

Aqui no site do Investidor Sardinha, temos uma calculadora de reserva de emergência que vai te ajudar bastante.

A ferramenta mostra o valor certo que você precisa guardar, todo mês, para formar sua reserva. E isso dependerá, essencialmente, do tipo de renda que você tem.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Lembre-se: se você não tem nenhum dinheiro guardado, pode ter certeza de que sua chance de enriquecer é quase nula.

Só a reserva de emergência basta?

Uma coisa importante a observar é que somente ter a reserva de emergência não resolve todo o problema.

Ou seja, o ideal é que você sempre pense em alternativas para ganhar dinheiro.

Na minha opinião, uma pessoa adulta precisa ter, pelo menos, duas fontes de renda.

Assim, se a casa cair – literalmente ou não – você provavelmente vai ter um plano “b” para não cair nas dívidas. De quebra, vai conseguir manter o mesmo padrão de vida até se restabelecer.

Uma boa dica é a seguinte:

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Aprenda uma nova habilidade que possa se transformar em dinheiro num eventual cenário de crise.

2º erro: gastar por impulso

O segundo erro que você precisa evitar, de qualquer forma, é gastar por impulso.

Controlar seus impulsos é algo necessário em qualquer área da vida. Quando o assunto é dinheiro, no entanto, os impulsos podem te levar à ruína.

Muitas pessoas não conseguem se controlar quando estão passeando num shopping, por exemplo.

Acabam comprando o que veem pela frente e, às vezes, já bate o arrependimento na exata hora que passa o cartão.

4 erros que você não pode cometer com seu dinheiro

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Sem saber, a pessoa se torna vítima de uma boa estratégia de vendas daquela loja.

Agora, pense: e se você tivesse investido todo o valor que gastou por impulso nos últimos 10 anos? Teria acumulado um bom dinheiro, não é mesmo?

Como evitar gastar por impulso?

Existe uma forma muito eficiente de se livrar da tentação de comprar por impulso.

Funciona assim:

Antes de sair de casa, você já decide exatamente o que vai comprar. E isso vale, inclusive, para coisas supérfluas.

Se você decidiu que vai comprar uma garrafa de uísque, por exemplo, escolha a marca – ou o valor que vai gastar – e pronto. Compre somente aquilo e nada mais!

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Assim, você se condiciona a não gastar com absolutamente nada que não estava previsto.

Este método eu mesmo apliquei na minha vida. E funcionou muito bem.

Quando eu ainda usava roupa social no trabalho, era comum entrar numa loja para comprar uma camisa e sair com 6 ou 7 peças.

O fato é que, até hoje, tenho um armário cheio de camisa social, que sequer uso mais.

Quando eu passei a determinar exatamente o que ia comprar – antes de ir à loja – o jogo virou.

Então, entenda que gastar por impulso vai corroer o seu dinheiro. E, assim, dificilmente você será um bom investidor.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

3º erro: gastar antes de investir

O terceiro erro que você não pode cometer com o seu dinheiro é gastar antes de investir.

A regra número 1 das finanças pessoais é investir primeiro e gastar depois.

Infelizmente, muita gente até quer começar a investir mas nunca consegue. Isso porque, mês após mês, a pessoa pega o salário e paga tudo primeiro. Então, só depois, vai ver se sobrou algum dinheiro pra investir.

Entenda de uma vez por todas: dinheiro não sobra!

Sempre que a gente vê algum dinheiro dando mole na conta, a reação natural é dar um jeito de gastar.

Então, não caia nessa cilada!

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Faça os cálculos dos seus gastos e, assim que o dinheiro cair na conta, transfira imediatamente para a corretora.

Quanto do meu dinheiro devo investir?

Sempre ensino os alunos da escola de investimentos UVP que o ideal é investir, pelo menos, 25% do salário.

Eu entendo, contudo, que o porcentual fica bem puxado pra quem ganha pouco – menos de 2 salários mínimos, por exemplo.

De qualquer forma, você precisa investir todos os meses, ainda que 10 ou 15% da sua renda.

O que vai te fazer rico é a consistência, a regularidade mensal dos aportes, faça chuva ou faça sol.

Portanto, a dica é você se deixar o mais “apertado” possível, dentro de uma certa qualidade de vida.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Ou seja, não deixe muita folga no seu orçamento.

Assim, você estará aportando mais e, consequentemente, acelerando o processo de enriquecimento. Sempre, e acima de tudo, se pagando primeiro!

Quando você investe antes de gastar está, na verdade, se priorizando e se tratando bem.

É assim que funciona: primeiro você se paga! Sem chororô nem esperneio.

4º erro: ser um “mão de vaca”

Chegamos, por fim, ao quarto erro. Este pode parecer contraditório para alguns, mas acredite: ser muito “mão de vaca” é uma das piores coisas que você pode fazer quando o assunto é dinheiro.

4 erros que você não pode cometer com seu dinheiro

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Pensando de forma bem prática, o mão de vaca é o oposto do gastador por impulso.

E ambos os extremos estão errados.

Eu, particularmente, já vi muita gente começar a investir abrindo mão de quase tudo que gostava de fazer.

São pessoas que adotam uma postura financeira totalmente restritiva, pensando apenas em inflar os aportes.

Como dois e dois são quatro, essa pessoa vai acabar desistindo de investir, tal qual o obeso abandona uma dieta arbitrária e opressiva.

Sabe aquele tempero gostoso, que não é pouco nem demais?

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Como tudo na vida, os investimentos devem ser dosados, para que você continue tendo uma vida agradável e feliz.

Então, não seja um mão de vaca, vivendo como um miserável só porque virou investidor.

Depois de investir como um verdadeiro doutor em finanças, você pode se dar o luxo, vez ou outra, de gastar como um delinquente juvenil. Sem dívidas, claro!

Gostou das dicas? Então, não deixe de assistir ao vídeo acima (do canal Investidor Sardinha) em que detalho os 4 erros que você não pode cometer com seu dinheiro.

Aproveite e faça parte da nossa comunidade no Instagram (@oraulsena) pra ficar sempre por dentro do mundo das finanças e dos investimentos.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

E não deixe de conferir, também: 5 taxas que você não precisa pagar nunca mais.


Conte-nos a sua opinião...