Análise gráfica, o que é? Como funciona, tipos de gráficos e riscos


A análise gráfica é uma forma de estudar os movimentos de mercado por meio de gráficos. Dessa forma, o objetivo principal desse tipo de análise é descobrir as tendências de mercado, seja de alta, baixa ou lateralizadas. Com a descoberta das tendência, seria possível fazer uma previsão das movimentações futuras.

O objeto principal de estudo da análise gráfica, são os preços dos ativos. Sendo assim, as oscilações de preços servem como um demonstrativo dos fatos que impactam o mercado. No entanto, o uso dessa técnica ainda é controversa.

Por um lado, temos as pessoas que usam a análise gráfica como uma ferramenta para a tomada de decisão de investimentos. Por outro lado, temos os estudiosos que afirmam que os movimentos de mercado são aleatórios, logo essa análise não é eficaz.

O que é análise gráfica

A análise gráfica, também chamada de análise técnica, é uma forma de averiguar as oscilações de preços de um ativo, durante um período determinado. Ou seja, por meio da análise gráfica, é possível criar gráficos representativos dos movimentos e tendências de variações, relacionados aos preços dos ativos.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Senhor mercado

Charles Dow, um dos criadores do Índice Dow Jones, criou a Teoria de Down, que posteriormente originou a análise técnica. Em síntese, nos seus estudos, Dow fala sobre as repetições históricas dos movimentos dos preços no mercado.

Esse tipo de análise é usada, principalmente, pelos investidores que acreditam que, através dos preços dos ativos, é possível identificar os fatos que os impactaram, como, por exemplo, os movimentos políticos. 

Em outras palavras, os analistas gráficos, também chamados de grafistas, acreditam que, analisando os preços, o investidor consegue entender os movimentos de mercado e encontrar boas oportunidades de investimentos.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Sendo assim, esse tipo de análise é uma ferramenta usada na tomada de decisão sobre investimentos. 

Enfim, os traders, geralmente, se utilizam dessa ferramenta, já que eles operam rapidamente, não tendo tempo para realizar uma análise tão demorada e extensa quanto a análise fundamentalista. 

Como a análise técnica funciona?

A principal intenção ao se realizar a análise técnica, é encontrar tendência nas variações de preços. Dessa maneira, os grafistas buscam unir dados gráficos e indicadores para descobrir as tendências e prever os movimentos de mercado.

As tendências buscadas pelos grafistas pode ser de alta, baixa ou lateralizadas:

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Tendência altista (bullish): Quando a demanda cresce, os preços dos ativos sobem, originando a tendência altista. A nomenclatura bullish vem de bull (touro), já que o touro ataca com os chifres de baixo para cima.

Baixista (bearish): Quando existem mais vendedores do que compradores, os preços baixam. O nome bearish vem de bear (urso), que ataca de cima para baixo. 

Lateralizada: Por fim, a tendência lateralizada, também chamada de sem tendência, ocorre quando o mercado possui um equilíbrio entre vendedores e compradores. 

The cap

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Com a identificação das tendências, os grafistas buscam traçar linhas de tendência. Isso é feito através da interligação de topos históricos entre si, visando compreender como está indo o mercado. Para isso, são usados quatro conceitos fundamentais:

Topo: É o maior preço do ativo dentro do período analisado;

Fundo: É o preço mais baixa dentro do intervalo averiguado;

Resistência: Serve para indicar que o mercado não está disposto a pagar mais do que determinado valor pelo ativo. A resistência é o resultado de uma série de topos;

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Suporte: O suporte é quando ocorre uma série de fundos. Logo, ele demonstra que o mercado não está disposto à pagar menos do que determinado valor pelo ativo. 

Indicadores

Os indicadores na análise técnica são a representação gráfica de uma fórmula. Desse modo, os indicadores ajudam no entendimento das tendências de preços. Existem vários indicadores, dentre eles:

Média móvel: Serve para comparar o preço atual de um ativo com a média de preços dele ao longo do tempo. 

Análise gráfica, o que é? Como funciona, tipos de gráficos e riscos

Seu guia de investimentos

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Indicadores de momento: demonstram a rapidez com que os preços se alteram. 

Volume: Existem alguns indicadores de volume, como por exemplo, o indicador OBV. Eles buscam indicar se as oscilações dos preços são relevantes. 

Tendência: Os indicadores de tendência contribuem com a identificação das tendências de alta ou baixa.  

Volatilidade: Por fim, os indicadores de volatilidade, ajudam a demonstrar o que se espera do preço de um ativo. 

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Tipos de gráficos

Existem diversos tipos de gráficos usados na análise técnica, como, por exemplo:

Gráfico de linhas: Nesse gráfico, a linha representa a união dos preços dentro do período analisado. O gráfico de linhas pode ser, por exemplo, diário, onde a linha une os preços de fechamento de cada dia de negociação. 

Barras: O gráfico de barras é mais completo do que o de linhas. Isso porque, ele leva em consideração o preço de fechamento, abertura, topo e fundo.

Análise gráfica, o que é? Como funciona, tipos de gráficos e riscos

XP

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Candlesticks: São uma espécie de figuras gráficas, onde se reúne várias informações em um único desenho. Dessa maneira, cada candle contém dados como o preço de abertura, fechamento, preço de topo e fundo. Também são identificados com cores, sendo que os verdes mostram alta de preço e os vermelhos demonstram quedas.

Análise técnica versus análise fundamentalista

Os dois tipos de análises são vistas como opostas por muitos investidores. No entanto, elas podem ser usadas como complementares, já que ambas levam em consideração aspectos diferentes em seus estudos. 

A análise técnica, como já foi tido, considera o preço como elemento principal. Portanto, essa análise busca identificar o movimento do mercado através dos preços. 

Clear

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Por outro lado, a análise fundamentalista procura se aprofundar nas informações sobre as empresas, e não apenas os preços dos seus ativos. Ela considera, por exemplo, o fluxo de caixa, a gestão da empresa e o balanço patrimonial. 

Outra diferença entre as análises se refere ao tempo. Enquanto um grafista rapidamente avalia um gráfico e toma decisões em minutos, a análise fundamentalista demanda mais tempo. 

Para finalizar, temos a diferença em relação aos objetivos de ambas. A análise gráfica é mais usada por pessoas que buscam ganhos rápidos, como os traders. Já a análise fundamentalista é mais focada no longo prazo, sendo mais usada por adeptos da técnica buy and hold

Riscos

Existem muitas divergências sobre o uso da análise gráfica. Muitos estudiosos não acreditam na sua eficiência e afirmam que os movimentos de mercado são imprevisíveis. 

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
Análise gráfica, o que é? Como funciona, tipos de gráficos e riscos

Cointimes

O maior risco de se usar a análise técnica se refere às perdas. Afinal, ela é usada, principalmente, por pessoas que objetivam ganhos rápidos em curto ou curtíssimo tempo, como os traders. Para investidores de longo prazo, essa estratégia pode não ser a mais recomendada. 

Enfim, agora que você sabe como funciona a análise técnica, aprenda como identificar os riscos de um ativos através do Stress test, o que é? Definição, características e como fazer

Fontes: Rico, Capital research e Bussola do investidor

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Imagens: Senhor mercado, The cap, XP, Seu guia de investimentos, Clear e Cointimes


Conte-nos a sua opinião...