O que é September Effect (Efeito Setembro)?


Você já ouviu falar em Efeito Setembro? O mercado de ações passa por constantes altas e baixas. Porém, nos meses de setembro ele costuma apresentar sempre um desempenho ruim.

Como essa baixa performance se repetiu por muitos anos, sempre no mês de setembro, esse fenômeno foi denominado de Efeito Setembro.

Vale destacar que o termo surgiu ao se referir a performance do mercado de ações estadunidense. Mas o fato é que esse fenômeno não se limita aos EUA.

O que é Efeito Setembro?

O Efeito Setembro, ou September Effect, é um termo usado ao se referir ao desempenho do mercado de ações no mês de setembro.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

De acordo com esse conceito, o mês de setembro costuma ser marcado por uma performance ruim da bolsa de valores. Um detalhe importante é que essa tese tem como base o mercado norte-americano.

September Effect (Efeito Setembro)

Sendo assim, ele leva em conta sobretudo o S&P 500, principal índice acionário dos EUA. Ou seja, o Efeito Setembro está diretamente relacionado com a NYSE e a NASDAQ, as bolsas dos EUA.

Apesar de se referir a algo do mercado norte-americano, esse conceito acabou se espalhando para outros países. Afinal de contas, os Estados Unidos possuem uma grande relevância econômica global.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Nesse sentido, quando os investidores dos EUA mostram alguma aversão ao risco por lá, isso tem uma correlação com o mercado acionário global.

Em outras palavras, um mês de baixa no mercado dos EUA pode causar baixa em outros mercados.

Causas

Algumas teorias buscam explicar a razão pela qual no mês de setembro o mercado dos EUA tem um desempenho ruim. Uma dessas teorias, diz que essa baixa ocorre, pois no mês de setembro é o retorno das férias nos EUA.

Logo, muitas pessoas decidem realizar suas posições para repor o dinheiro gasto nos passeios de férias. Com muitas pessoas realizando suas posições, o mercado tende a ter um desempenho baixo.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Outra teoria é a de que os pais fazem o resgate dos investimentos para comprar os materiais escolares e pagar as mensalidades no retorno às aulas dos filhos.

Por fim, temos ainda a teoria de que os fundos mútuos são os causadores da queda. Isso porque, é neste mês que eles fazem o encerramento do ano fiscal. Desse modo, muitas posições acabam sendo encerradas em setembro.

O Efeito Setembro existe mesmo?

As teorias anteriores visam explicar a causa do Efeito Setembro. No entanto, não existem conclusões sobre o comportamento do mercado nessa época do ano.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Apesar disso, existe realmente uma correlação entre o mercado de ações e o mês de setembro. De fato, nos últimos 100 anos, o mercado de ações dos EUA apresentou uma baixa em setembro.

Uma forma de constatar esse fenômeno é analisar o índice Dow Jones Industrial Avarege. Entretanto, esse não é um efeito exclusivo dos EUA.

Na verdade, quase 60% dos países tiveram um retorno negativo em suas ações no mês de setembro, nos últimos 25 anos. Sendo que em nenhum outro mês esse fenômeno foi notado. Enfim, o September Effect realmente existe.

Mas ele é visto mais como uma coincidência estatística do que uma regra. Contudo, o fato é que existe sim uma correlação negativa nos mercados de ações globais em setembro.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Como evitar?

Se você está preocupado com o impacto que o mês de setembro pode causar na sua carteira, temos algumas dicas que podem te ajudar.

Com essas dicas, você poderá montar uma carteira mais resiliente e passar melhor pela possível baixa do mercado nos meses de setembro. Enfim, as dicas são:

Além do Efeito Setembro, o mercado de ações conta com alguns outros efeitos, como, por exemplo, o Efeito Lindy, o que é? Como funciona no dia a dia e nos investimentos

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE


Conte-nos a sua opinião...