Indicadores de endividamento: quais são e como analisar?


Os indicadores de endividamento são índices que servem para analisar o nível de dívidas de uma empresa. Sendo assim, eles servem para analisar a saúde financeira do negócio e como base para as decisões dos gestores da empresa.

É normal que as empresas tenham dívidas; muitas delas pegam empréstimos com o intuito de investir no crescimento e expansão do negócio. No entanto, as dívidas em excesso podem levar a empresa à ruína. Por isso, esse é um indicador muito importante.

Vale notar que existem dois tipos de dívidas: curto prazo e longo prazo. As de curto prazo são mais prejudiciais e devem ser evitadas, pois a empresa precisa pagar a dívida em pouco tempo.

Enfim, existem vários tipos de indicadores de endividamento como, por exemplo, o Imobilização dos Recursos a Longo Prazo (IRPL) e Composição do endividamento (CE). O ideal é que os indicadores sejam usados em conjunto, pois eles se complementam e proporcionam uma visão clara do negócio.

O que são indicadores de endividamento?

Os indicadores de endividamento são índices que apontam o nível de dívidas de uma empresa. Com isso, é possível analisar se a empresa está com um endividamento seguro ou arriscado.

Vale destacar que é normal que as empresas peguem dinheiro emprestado para operacionalizar o seu negócio. Esse empréstimo pode vir de várias fontes como, por exemplo, bancos, investidores e fornecedores.

Apesar de ser normal uma empresa ter dívidas, se o nível de endividamento for muito alto, isso é arriscado, pois compromete a saúde financeira da organização. Por isso, é importante que os gestores fiquem de olho nos indicadores de endividamento.

Além disso, esses indicadores são úteis para os investidores que estão analisando uma empresa para ver se vale a pena investir nela.

Para que eles servem?

Os indicadores de endividamento servem para que os sócios e administradores da empresa fiquem de olho no nível da dívida da empresa. Sendo assim, esses indicadores servem como base para tomadas de decisão dentro da empresa.

Por exemplo, com base nesses indicadores, a empresa pode optar entre expandir a produção ou reduzir os custos com o intuito de evitar problemas futuros com bancos e investidores. Até porque, um alto nível de endividamento pode levar a empresa à insolvência e até mesmo à falência.

Tipos de endividamento

As empresas podem se endividar de duas formas:

1- Dívidas de curto prazo

Em resumo, as dívidas de curto prazo são aquelas que precisam ser pagas em um prazo inferior a 12 meses.

Esse tipo de endividamento causa mais danos para a empresa, já que ela tem pouco tempo para realizar o pagamento. Portanto, o ideal é que a empresa evite esse tipo de dívida. Enfim, alguns exemplos de dívidas de curto prazo são:

  • Empréstimos com pagamento inferior a 12 meses
  • Antecipação de recebíveis
  • Prazo dado por fornecedores

2- Dívidas de longo prazo

As dívidas de longo prazo são aquelas cujo vencimento é superior a 12 meses. Esse tipo de dívida é menos danosa para a empresa, pois ela tem mais tempo para fazer o seu pagamento. Alguns exemplos de dívidas de longo prazo são:

  • Financiamento de maquinários
  • Capital de giro parcelado superior a 12 meses
  • Financiamento de veículos
  • Por fim, financiamento de imóveis

Quais são os indicadores de endividamento?

Alguns indicadores de endividamento são:

1- Imobilização dos Recursos a Longo Prazo (IRPL)

O IRPL aponta o quanto a empresa aplica de recursos de longo prazo e de patrimônio líquido no seu capital imobilizado. Sendo assim, esse é um bom indicador para verificar a estrutura de capital da empresa. A sua fórmula de cálculo é:

  • IRPL = Imobilizado / (Exigíveis de Longo Prazo + Patrimônio Líquido)

Quanto maior for o IRPL, maior é o risco da empresa não conseguir honrar com as suas dívidas.

2- Indicadores de endividamento: Participação de Capitais de Terceiro (PCT)

O PCT indica o quanto dos recursos da companhia vem do capital de terceiros. Dessa forma, com esse indicador é possível verificar o seu nível de endividamento. A fórmula é:

  • PCT = (Passivo Circulante + Exígivel de longo prazo) / (Passivo Circulante + Exigível a longo prazo + Patrimônio Líquido)

Na fórmula, o passivo circulante indica o endividamento de curto prazo e o exigível de longo prazo aponta o endividamento de longo prazo. Por outro lado, o patrimônio líquido representa o capital próprio da empresa.

Inscreva-se na Pior Newsletter Possível!

Receba os melhores conteúdos (ou não) gratuitamente!

Usamos a Sendinblue como nossa plataforma de marketing. Ao clicar abaixo para enviar este formulário, você reconhece que as informações fornecidas por você serão transferidas para a Sendinblue para processamento, de acordo com o termos de uso deles

Sendo assim, quanto maior for o PCT maior é o nível de endividamento da companhia e quanto o PCT passe de 1, a empresa se torna insolvente.

3- Composição do endividamento (CE)

Esse indicador de endividamento serve para verificar o quanto da dívida da empresa é de curto prazo. Isso porque, quanto maior for essa concentração, maiores são as chances da empresa ter problemas para cumprir seus compromissos financeiros.

Em contrapartida, quanto menor for a concentração, melhor é o fluxo de caixa da empresa. Enfim, a fórmula é:

  • CE = Passivo Circulante / (Passivo Circulante + Exigível de Longo Prazo)

Quanto maior for o CE, mais concentrada está a empresa, logo, maiores são os riscos.

4- Indicadores de endividamento: Imobilização do Patrimônio Líquido (IPL)

O IPL aponta como está a estrutura do capital da empresa. Em resumo, quanto a empresa imobiliza muito o seu patrimônio, ela fica com menos recursos próprios disponíveis. Logo, ela passa a ser mais dependente do capital de terceiros para financiar os ativos circulantes. A fórmula do IPL é:

  • IPL = Imobilizado / Patrimônio Líquido

Quanto maior for o IPL, maior é o nível de capital imobilizado em relação ao patrimônio líquido. Nesse sentido, quanto maior for o IPL, maior a insolvência da empresa.

5- Índice de Endividamento Financeiro (EF)

O EF é um indicador de endividamento que representa a relação entre o valor que a empresa está devendo e o valor que foi investido pelos acionistas. A sua fórmula é:

  • EF = (Dívida Bruta / Patrimônio Líquido) x 100

Quanto maior for o EF, maior é o nível de endividamento em relação ao capital próprio da empresa.

6- Índice de Endividamento Geral (EG)

Por fim, temos o EG que representa a proporção do endividamento em comparação ao ativo total do negócio. A sua fórmula é:

  • EG = (Capital de terceiros / Ativos totais) x 100

Quanto maior for o EG, mais endividada a empresa está e maiores são os riscos dela não conseguir arcar com seus compromissos.

Como calcular e analisar esses indicadores?

O cálculo dos indicadores de endividamento usa os dados disponíveis no balanço patrimonial da empresa. E cada indicador tem a sua própria fórmula. 

O balanço patrimonial é feito pelo setor de contabilidade da empresa, através do inventário que leva em conta todos os ativos da empresa, tais como caixa, contas a receber, estoques, veículos e etc. Nesse caso, os ativos são divididos em circulantes ou imobilizados.

Além dos ativos, o departamento contábil também faz o levantamento do passivo da companhia, o que engloba fornecedores a pagar e custos fixos a realizar, por exemplo. Enfim, com os dados do balanço em mãos, você terá acesso a todos os dados necessários para calcular os indicadores.

Depois de fazer os cálculos, você precisa interpretar o resultado. O ideal é usar vários indicadores em conjunto, já que um completa o outro. Basicamente, quanto mais alto os indicadores de endividamento estiverem, maior é o risco da empresa se tornar insolvente. 

LEIA MAIS

Indicadores financeiros, o que são? Importância e lista dos principais

10 KPIs financeiros para ajudar seu negócio a crescer

Indicadores de liquidez: veja o que são e como funcionam

Fontes: Site ware, Mk empresas e, por fim, Vbmc.

Conte-nos a sua opinião...