Margem bruta: o que é e como calcular este indicador


A margem bruta é a relação entre o lucro bruto e a receita líquida. Sendo que o lucro bruto é o resultado da subtração dos custos dos produtos vendidos da receita líquida. 

Sendo assim, a margem bruta serve como um indicador para os gestores e investidores. Isso porque ela aponta o quanto sobra de dinheiro derivado das vendas da empresa e que será utilizado para pagar as despesas. 

É por isso que ela é um dos principais indicadores analisados pelos investidores. Inclusive, os investidores podem comparar as margens brutas de empresas do mesmo setor de atuação para analisar qual possui maior eficiência. 

O que é margem bruta?

A margem bruta é uma porcentagem do faturamento do lucro bruto, determinado depois que todos os custos e despesas variáveis são retirados do processo de venda/produção. A margem bruta também pode ser chamada de margem de contribuição.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Isso porque a margem de contribuição é o nome dado à margem de lucro da companhia ou de um produto que será usado para ajudar no pagamento dos custos fixos. Nesse sentido, como o lucro bruto é usado para o pagamento dos custos fixos, então a margem bruta e a margem de contribuição são a mesma coisa.

Margem bruta: o que é e como calcular este indicador

Empreender dinheiro

Enfim, é importante não confundir margem bruta com margem líquida. As duas são usadas pelos investidores ao fazerem uma análise fundamentalista, já que ambos são indicadores de rentabilidade.

Contudo, as duas indicam aspectos diferentes. A margem bruta aponta a rentabilidade do negócio e a capacidade da empresa em converter as vendas em lucro líquido. Já a margem líquida mede o percentual de ganho que a empresa gerou com o seu funcionamento.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Como funciona?

A margem bruta funciona como um indicador da saúde financeira de uma empresa. Por isso, ela é acompanhada tanto por gestores quanto por investidores. Um detalhe importante é que a margem bruta pode mudar ao longo do tempo.

As empresas estão sempre utilizando estratégias e se esforçando para aumentar a margem bruta, porém, nem sempre elas conseguem. Uma margem bruta em crescimento pode significar para os investidores, que os preços finais de venda estão subindo mais rápido do que os custos, por exemplo.

Geralmente, essa situação ocorre quando a empresa tem poder de precificação e pode aumentar o preço dos seus produtos, sem perder clientes. O poder de precificação é resultado, sobretudo, das vantagens competitivas do negócio.

Margem bruta: o que é e como calcular este indicador

Já calculei

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Entretanto, pode acontecer da empresa ganhar poder de precificação quando a demanda por seus produtos aumenta. Neste caso, é importante que a gestão da empresa esteja atenta para aproveitar as oportunidades. Outro motivo para o aumento da margem bruta, pode ser a redução dos custos dos produtos vendidos em relação à receita líquida.

Essa diminuição de custos pode ser causada por diversos fatores tais como: poder de barganha sobre os fornecedores e mudanças nos preços das commodities. Enfim, algumas vantagens da margem bruta são:

  • Aponta quais são as empresas com maior lucratividade em vendas;
  • Pode ser usado para comparar empresas do mesmo setor;
  • Indica quais são as companhias mais eficientes em gerar lucro em relação a vendas;
  • Aponta quais são as empresas mais competitivas.

Por outro lado, como desvantagem temos o fato de que a margem bruta reflete somente o lucro bruto da companhia. Outra desvantagem é que ela não deve ser utilizada de maneira isolada, já que ela pode ocasionar distorções. Por isso, o mais recomendado é utilizar esse indicador junto com outros indicadores.

Cálculo da margem bruta

O cálculo da margem bruta considera as seguintes variáveis: faturamento bruto, deduções, custos e despesas variáveis. Sendo que os custos e despesas variáveis incluem todos os gastos ligados diretamente com a produção ou venda, o que inclui: custo da mercadoria vendida, comissões do canal de venda, taxas de venda e impostos em cima das vendas. 

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

G1

A fórmula de cálculo é: Margem de Lucro Bruto = ((Faturamento Bruto – Deduções, Custos e Despesas Variáveis) * 100) / Faturamento Bruto. Suponhamos que a empresa ABC faturou R$ 40.000 este mês, teve R$ 3.000 de custos com deduções e todos os seus custos variáveis resultam em R$ 15.000.

Se colocarmos esses dados na fórmula temos: Margem Bruta = ((40000 – (15000+3000))*100) / 40000. O resultado é que a margem bruta é de 55%. Isso significa que a cada R$ 1,00 faturado, R$ 0,55 é lucro bruto que será usado para efetuar os pagamentos dos custos fixos do negócio. 

Importância da margem bruta

O cálculo da margem bruta é importante, pois garante maior previsibilidade para que o gestor possa tomar suas decisões. Desse modo, antes de tomar decisões que irão resultar no aumento dos custos fixos, o gestor pode verificar o lucro bruto do negócio.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Na prática, o gestor consegue prever o quando ele precisará gerar de lucro caso queira tomar alguma decisão que irá aumentar os custos. Além disso, a margem bruta é importante para verificar como está a saúde financeira da empresa.

A margem indica o quanto do lucro bruto a companhia gera para ajudar no pagamento dos custos fixos. Nesse sentido, se os custos fixos forem maiores que o lucro bruto, significa que a empresa fechará o mês com prejuízo.

Margem bruta: o que é e como calcular este indicador

Audibrax

Em contrapartida, se o lucro bruto for maior que os custos fixos, então a empresa fechará o mês com saldo positivo. Por fim, se o lucro bruto for igual aos custos fixos, então a empresa fica no zero a zero. Não existe uma margem bruta ideal. Isso porque ela varia segundo a estratégia adotada pela empresa.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Apesar disso, quanto maior for a margem bruta de uma companhia, mais eficiente ela é em relação às vendas. Sendo que uma empresa com margem bruta maior, possui mais possibilidades de potencializar suas operações por meio de investimentos e aumentar o valor para os acionistas.

As empresas podem utilizar ferramentas para reduzir os custos fixos ou aumentar a margem bruta. Por exemplo, se uma empresa deseja aumentar a sua margem, ela pode utilizar estratégias para aumentar o preço do seu produto.  Enfim, a margem bruta é muito importante para os gestores, pois possibilita maior previsibilidade e a análise da saúde financeira do negócio.

Por meio dela também é possível verificar quais os produtos com menor margem e utilizar estratégias para aumentar essas margens. Já para os investidores ela é um importante indicador da lucratividade da empresa e pode ser usada para comparar empresas que pertencem ao mesmo setor de atuação.

Ponto de equilíbrio operacional

Por meio da margem bruta é possível determinar o quanto é preciso gerar de receita líquida para pagar todos os gastos da companhia. Isso é conhecido como ponto de equilíbrio operacional. Para determinar este ponto é fácil, basta dividir o valor total dos custos fixos pela margem de contribuição total (margem bruta).

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Loureiro contabilidade

Sendo assim, o cálculo é: Ponto de equilíbrio operacional = Custos Fixos / Margem Bruta. Por exemplo, uma empresa com margem bruta de 55% e aproximadamente R$ 10.000 em custos fixos, o cálculo é: Ponto de equilíbrio operacional = 10000 / 0,55, logo temos que Ponto de equilíbrio operacional = R$18.181,82.

Portanto, essa empresa precisa de uma receita líquida de R$ 18.181,82 para que todas as contas sejam pagas no mês usado como referência. Dessa maneira, a margem bruta que ultrapassar este valor, irá se tornar o lucro líquido do negócio.

Agora que você conhece a margem bruta, não deixe de conferir quais são os Tipos de empresa – As 7 modalidades existentes, características e portes

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Imagens: Empreender dinheiro, Já calculei, G1, Audibrax, Loureiro contabilidade e Exame


Conte-nos a sua opinião...