Mercado financeiro, o que é? Como funciona, regulação e subdivisões

O mercado financeiro é o ambiente de comercialização de produtos financeiros, como por exemplo, os produtos imobiliários (ações, títulos e opções). Existem várias instituições envolvidas nesse ambiente de comercialização, que possuem a intenção de facilitar a relação entre os agentes e também de fiscalizar e regular as transações efetuadas.

30 de março de 2021 - por Jaíne Jehniffer


O mercado financeiro é um ambiente de comercialização de ativos, composto por empresas, investidores e intermediadoras. As empresas usam o mercado financeiro como um local para captação de recursos para financiar seus projetos e atividades. 

Em contrapartida, os investidores usam o mercado financeiro para multiplicar seu capital. Dessa maneira, eles aplicam nas diversas opções de ativos disponíveis e, em troca, recebem a valorização dos papéis ou taxas de juros.

Por fim, as intermediadoras intermediam as empresas e os investidores e cobram uma taxa por seus serviços. Portanto, o mercado financeiro serve como um impulsionador da economia de um país, pois possibilita a negociação entre quem possui dinheiro (investidores) e quem precisa de dinheiro (empresas e instituições). 

O que é mercado financeiro?

O mercado financeiro é o ambiente de comercialização de produtos financeiros, como os produtos imobiliários (ações, títulos e opções). Existem várias instituições envolvidas nesse ambiente de comercialização, que possuem a intenção de facilitar a relação entre os agentes e também de fiscalizar e regular as transações efetuadas. 

Mercado financeiro

3A investimentos

No mercado financeiro, o investidor disponibiliza o seu dinheiro com a intenção de obter rendimentos. Sendo assim, o papel do investidor no mercado financeiro é realizar determinada aplicação que proporciona uma valorização de acordo com as diretrizes estabelecidas entre as partes. 

Por exemplo, ao investir na renda fixa, o investidor já sabe, no momento da aplicação, quais são as regras de rendimento da aplicação. Logo, a rentabilidade pode ser com base em uma taxa prefixada, pós-fixada ou híbrida.

Por outro lado, na renda variável não existe uma garantia de retorno, porém, o investidor sabe que se os papéis se valorizarem, seu patrimônio irá aumentar. 

Como o mercado financeiro funciona?

O mercado financeiro funciona como um impulsionador da economia de um país. Isso porque dentro dele estão três  partes: os investidores, as instituições/empresas e as instituições intermediárias. Dessa forma, os investidores usam o mercado financeiro para multiplicar seu dinheiro.

Já as instituições e empresas, usam o mercado financeiro para captar recursos para vários fins, como por exemplo: pagamento de dívidas e lançamento de novos produtos e serviços. Em síntese, o mercado financeiro funciona como um ambiente de negociação, onde investidores buscam rentabilidade e empresas buscam captação.

Mercado financeiro

Na prática

Para intermediar esses dois agentes, existem as instituições intermediárias. Como essas instituições intermediárias também possuem a intenção de lucrar, elas cobram taxas sobre as transações realizadas entre investidores e empresas. Enfim, os principais ativos do mercado financeiro são:

  • Ações (ordinárias e preferenciais);
  • Debêntures (títulos de dívida emitidos por sociedades anônimas);
  • Mercado futuro (contratos de mini contratos);
  • Mercado de renda fixa;
  • Opções sobre ações (direito de compra e venda de ações);
  • Commercial papers (títulos privados de curto prazo).

Regulação

Para garantir que o mercado financeiro irá funcionar perfeitamente, existem algumas instituições que fazem a fiscalização, regulação e intermediação das relações:

Banco do Brasil (Bacen): Ligado ao Ministério da Economia, o Bacen é uma autarquia federal autônoma. O seu objetivo é regular o sistema financeiro e garantir a estabilidade do poder de compra da moeda nacional. Para isso, ele exerce diversas funções, como por exemplo: controlar a inflação, atuar no mercado de câmbio e emitir moeda.

Mercado financeiro

Coach financeiro

CVM: A Comissão de Valores Mobiliários é uma autarquia ligada ao Ministério da Fazenda, cuja função é fiscalizar e manter as boas práticas no mercado de valores mobiliários. 

CMN: O Conselho Monetário Nacional está no topo do Sistema Financeiro Nacional (SFN). Desse modo, o CMN possui poder sobre todas as demais instituições e visa garantir o bom funcionamento do sistema, através do controle da política de moeda e crédito. 

Subdivisões do mercado financeiros

Dentro do mercado financeiro, existem algumas subcategorias, são elas:

1- Capitais: O mercado de capitais é responsável pelas negociações de títulos, derivativos e ações em corretoras, bolsas de valores e instituições financeiras. Portanto, sempre que um investidor compra, por exemplo, uma ação, ele está realizando uma aplicação no mercado de capitais. 

2- Crédito: No mercado de crédito são negociados os empréstimos e financiamentos de curto, médio e longo prazo, para pessoas físicas e jurídicas.

Sendo que o Bacen, através do Conselho de Política Monetária, é o responsável por normatizar e controlar o mercado de crédito. Dessa forma, um dos mecanismos de intervenção do Bacen, é a taxa Selic, que influencia nas taxas de juros de empréstimos. 

Mercado financeiro

The cap

3- Câmbio: No mercado de câmbio são realizadas operações de troca de moedas de países. Por exemplo, quando uma pessoa vai viajar para França e compra euros, ela está atuando no mercado de câmbio. 

4- Monetário: Por fim, temos ainda o mercado monetário, onde são realizados empréstimos de curto prazo (vencimentos inferiores a um ano). As negociações neste mercado ocorrem, sobretudo, através de títulos do Tesouro e os agentes deste mercado são o Banco Central e as instituições financeiras. 

Principais investimentos

O mercado financeiro é dividido em ativos de renda fixa e variável. Os dois tipos de investimentos contam com riscos diferentes e proporcionam rentabilidade diversas. Por isso, o melhor tipo de investimento depende do perfil de investidor e dos objetivos de cada um. 

1- Renda fixa: Na renda fixa, o investidor conhece as regras de remuneração no momento da aplicação. Apesar do nome remeter à estabilidade, na verdade os ativos de renda fixa podem passar por oscilações e o investidor pode até mesmo perder dinheiro, caso faça o resgate antes do prazo de vencimento. Algumas opções de investimentos em renda fixa são:

Wittel

2- Renda variável: A renda variável é mais arriscada do que a renda fixa, sendo assim, é possível obter altos retornos financeiros. O ativo de renda variável mais famoso, são as ações. No entanto, existem outros ativos como por exemplo: fundos de investimentos, derivados e opções. 

Como é uma opção mais arriscada, é fundamental conhecer o perfil de investidor e realizar uma diversificação da carteira de investimentos. Para aprender como diversificar as ações entre empresas e setores, veja o vídeo de Raul Sena:

Enfim, a diversificação da carteira de investimentos dilui os riscos de perdas, mas você pode também aprofundar seus conhecimentos sobre o mundo dos investimentos para potencializar os retornos das suas aplicações. Estude sobre o mercado por meio de Livros sobre investimentos para todos os níveis de investidores

Fontes: Capital research, Xpi e Politize

Imagens: The cap, Coach financeiro, 3A investimentos, Na prática, Pro educacional e Wittel

8 dicas do que fazer com a restituição do IR

Como comprar euro mais barato

As dívidas mais comuns entre os brasileiros e como evitá-las

Programa de fidelidade: o que é, como funciona e exemplos