Teoria quantitativa da moeda: o que é e para que serve o conceito


A teoria quantitativa da moeda é uma tese que relaciona a oferta de moeda em uma economia com a taxa de inflação.

Entenda a teoria quantitativa da moeda

A teoria quantitativa da moeda relaciona a variação dos preços com a quantidade de moeda em questão disponível. Em outras palavras, esta teoria relaciona a inflação com a oferta de moeda em uma economia.

Desse modo, a quantidade de moeda disponível determina a taxa de inflação. De acordo com essa visão, existe um equilíbrio entre oferta e demanda de uma moeda em uma economia em um certo nível produtivo.

Logo, se houver uma variação da oferta ou demanda da moeda sem que haja mudanças na capacidade produtiva da economia, ocorrerá uma variação de preços.

Oferta e demanda da moeda

O Banco Central do Brasil (Bacen) é o responsável pela oferta de moeda na economia brasileira. Por isso, ele está ligado à teoria quantitativa da moeda. Sendo que ele tem o poder até mesmo de imprimir dinheiro

No entanto, esta não é a única forma do Banco Central interferir na quantidade de moeda disponível no mercado. Alguns outros meios são:

  1. Redesconto;
  2. Depósito compulsório;
  3. Comprar e vender títulos.

Por exemplo, quando o Banco Central compra títulos ele está retirando dinheiro do mercado. Por outro lado, ao comprar títulos, ele injeta dinheiro na economia.

Cálculos

De acordo com a teoria quantitativa da moeda, quando a oferta de moeda é elevada, ocorre um aumento no nível de preços (inflação).

A equação quantitativa da moeda é usada para identificar melhor essa relação. A fórmula é: M x V = P x Y.

Sendo que M é a quantidade de ativos líquidos que estão disponíveis logo no período para realizar as transações econômicas — ou seja, a moeda.

V é a velocidade na qual a moeda circula dentro da economia. P é o nível geral dos preços na economia em questão. Por fim, Y é a atividade econômica — que pode ser medida pelo PIB real.

A teoria quantitativa da moeda e a inflação

A grande consequência de uma alta na quantidade de moeda no mercado é a inflação. Sendo que a inflação é caracterizada como a alta generalizada dos preços de bens e serviços.

Por exemplo, vamos supor que o Banco Central injetou muita moeda, sem que nada mais mudasse na economia. Neste caso, as pessoas terão mais dinheiro e vão passar a consumir mais.

Contudo, como houve apenas o aumento da quantidade da moeda, sem a elevação da produção, teremos um cenário onde a demanda é maior do que a oferta.

Neste cenário, entra em ação a velha lei da oferta e demanda. Dessa forma, como a demanda é superior à oferta, os preços de produtos e serviços tendem a subir.

Quando o mercado apresenta uma alta generalizada de bens e serviços, temos a inflação.

Portanto, o aumento da moeda em circulação, sem o aumento da oferta, causa a elevação dos preços.

É por isso que, de acordo com a teoria quantitativa da moeda, o crescimento na quantidade de moeda é a principal causa da inflação.

E aí, gostou de aprender sobre a teoria quantitativa da moeda e como ela está relacionada com a alta de preços? Então aproveite para descobrir quais são os instrumentos da política monetária para controlar a inflação.

Além disso, não deixe de conferir quais são as consequências da inflação e opções de investimentos com retorno acima da inflação.

Fontes: Suno e Mais retorno.

Conte-nos a sua opinião...