Lei da oferta e demanda: o que é e relação com os investimentos

14 de julho de 2021, por Jaíne Jehniffer

Tempo de leitura médio: 7 min, 16 seg


A lei da oferta e demanda é um princípio segundo o qual os preços são elevados, ou reduzidos de maneira proporcionalmente inversa, de acordo com a procura por produtos ou serviços. 

Portanto, quando a demanda é maior que a oferta, os preços dos produtos e serviços são elevados. Já quando a oferta é superior à demanda, a tendência é a redução dos preços.

Assim sendo, para que os preços nunca passem por alterações, seria preciso que houvesse um equilíbrio perfeito entre oferta e demanda. Mas esse é um cenário que nunca ocorre, já que o mercado está em constante movimento.

Saiba mais sobre a lei da oferta e da demanda lendo a matéria a seguir.

O que é a lei da oferta e da demanda?

A lei da oferta e da demanda, também conhecida como lei da oferta e da procura, é a relação proporcionalmente inversa entre o preço e a procura. A lógica é que quando a demanda de determinado produto ou serviço aumenta, sem que a oferta sofra alteração, os preços sejam elevados.

Da mesma maneira, se a oferta for maior que a demanda, a tendência é que os preços sejam reduzidos. Vamos imaginar que em uma cidadezinha existam apenas três barbearias.

Vamos supor, também, que essa cidade cresceu bastante e o número de barbearias continuou sendo o mesmo. Neste caso, os estabelecimentos passaram a ter mais clientes do que eles conseguiam atender e puderam aumentar os preços.

Ou seja, nessa primeira situação, a demanda aumentou e as barbearias puderam cobrar mais caro. Por outro lado, vamos imaginar que a cidade continuou pequena e mais 17 barbearias foram abertas.

Neste caso, a demanda continuou a mesma, porém, a oferta subiu bastante. A tendência é que, com tantas barbearias, falte clientes e os estabelecimentos passem a reduzir os preços na tentativa de atrair novos clientes.

Desse modo, os preços podem ser reduzidos quando a oferta é superior à demanda ou quando a demanda é reduzida. Apesar de ser um princípio de fácil entendimento, a lei da oferta e demanda é muito importante, já que pode ser percebida em qualquer tipo de relação comercial.

Origem

Registros indicam que o conceito foi citado pela primeira vez no livro de Adam Smith, A Riqueza das Nações, publicado em 1776. 

Como funciona?

A Lei da Oferta e Demanda é um conceito fundamental na economia que descreve a interação entre a disponibilidade de um produto ou serviço (oferta) e a disposição dos consumidores em adquiri-lo (demanda).

Lei da demanda

Demanda representa a quantidade de um bem ou serviço que os consumidores estão dispostos e aptos a comprar em determinado mercado e período de tempo. A Lei da Demanda estabelece que, ceteris paribus (expressão latina da área econômica que significa “outras coisas sendo iguais”), quanto maior o preço de um bem, menor será a quantidade demandada, e vice-versa.

Quando a demanda por um produto ou serviço é maior do que a oferta disponível, os preços tendem a subir, incentivando os produtores a aumentar sua produção e atrair mais concorrentes para o mercado. Por outro lado, quando a oferta supera a demanda, os preços tendem a cair, levando os produtores a reduzirem sua produção ou buscar outros mercados.

Lei da oferta

Oferta, por sua vez, se refere à quantidade de um bem ou serviço que os produtores estão dispostos e capazes de fornecer em determinado mercado e período de tempo. A Lei da Oferta estabelece que, ceteris paribus (mantendo-se os demais fatores constantes), quanto maior o preço de um bem, maior será a quantidade ofertada, e vice-versa.

Equilíbrio de mercado

Essa relação dinâmica entre oferta e demanda é fundamental para a formação de preços e a alocação eficiente dos recursos na economia. Quando os preços se ajustam de acordo com a oferta e a demanda, ocorre um equilíbrio, no qual a quantidade produzida é igual à quantidade demandada.

Como a lei da oferta e da demanda impacta os investimentos?

A Lei da Oferta e Demanda tem um impacto significativo nos investimentos. Ela é a principal força que impulsiona os preços dos ativos financeiros. Aqui estão algumas maneiras de como isso acontece:

  1. Preços dos Ativos: Se a demanda por um determinado ativo aumenta, enquanto a oferta permanece constante, os preços tendem a subir. Por outro lado, se a oferta supera a demanda, os preços podem cair.
  2. Rentabilidade dos Investimentos: Os movimentos de compra e venda podem provocar aumento ou redução do preço de bens, mercadorias e ativos financeiros. Assim, afetam seus investimentos, fazendo a rentabilidade subir ou cair, por exemplo.
  3. Oportunidades e Riscos: A lei da oferta e demanda é a maior geradora de oportunidades e, sendo assim, de riscos. Em alguns casos, o que parece ser uma boa chance de lucrar é, na verdade, uma potencial cilada.
  4. Efeito Manada: Em crises econômicas, por exemplo, acontece o que chamamos de “efeito manada”, quando investidores retiram capital de investimentos mais arriscados para aplicar em títulos mais seguros.

Vale destacar que na renda variável nem sempre ocorre uma relação entre a oferta e a demanda de forma linear. Sendo assim, mesmo que determinado ativo esteja com preço baixo, pode ser que não ocorra um aumento na procura.

Da mesma maneira, um ativo com preço alto pode causar um aumento ainda maior na procura. Por isso, é preciso de educação financeira para saber o que fazer quando a lei da oferta e demanda estiver se impondo no mercado.

Por exemplo, quando a taxa Selic é cortada, pode parecer lógico direcionar sua atenção para somente para a renda variável. Contudo, manter todo o patrimônio em ativos de renda variável pode não ser a melhor estratégia.

Como agir

  1. Procure oportunidades: Esteja atento aos movimentos da economia para encontrar boas oportunidades de investir com taxas de juros vantajosas.
  2. Comparação de preços: A comparação de preços serve não apenas ao adquirir produtos e serviços, mas também nos investimentos, já que alguns ativos, como, por exemplo, os CDBs podem oferecer retornos diferentes de acordo com a corretora.
  3. Não siga a manada: Pode ser tentador comprar o mesmo ativo que todo mundo está comprando. No entanto, prefira ficar longe dos ativos que estão passando pelo efeito manada. Afinal de contas, nada garante que você vai identificar o momento certo de vender, já que a maioria das pessoas que participam desse efeito saem no prejuízo.
  4. Analise os ativos: Antes de investir não deixe de analisar os ativos. Essa é uma maneira de aumentar as chances de você investir em ativos que trarão bons retornos financeiros e evitar cair no efeito manada.
  5. Estude: Estude sobre investimentos e se mantenha informado sobre as mudanças no mercado financeiro. Quanto mais você tiver conhecimento sobre o funcionamento do mercado, maiores são as chances de você conseguir altos retornos.

Exemplos práticos da lei da oferta e da demanda

1) Água no Verão

Em um dia de verão na praia, muitas pessoas querem beber água, aumentando a demanda. Com a oferta de água constante, o comerciante pode vender a água por um preço mais alto do que no inverno ou em dias frios.

2) Produtos em Falta Durante a Pandemia

Durante a pandemia, alguns produtos estavam em falta no mercado. Isso pode ter aumentado a demanda por esses produtos, levando a um aumento exagerado nos preços.

3) Datas Comemorativas e Grandes Eventos

A demanda por certos produtos pode aumentar durante datas comemorativas, sazonalidades, grandes eventos, etc. Tal fato pode levar a um aumento nos preços desses produtos.

4) Sazonalidade Agrícola

A oferta de certos produtos agrícolas pode variar de acordo com a estação do ano, afetando os preços. Por exemplo, a oferta de morangos pode ser alta durante a primavera e o verão, levando a preços mais baixos. No entanto, durante o outono e o inverno, a oferta pode ser baixa, levando a preços mais altos.

Esses exemplos mostram como a lei da oferta e demanda funciona na vida real e como ela pode afetar os preços dos produtos e serviços.

Fontes: Politize, PagSeguro, Mailchimp, Exame, Master Clear