Morte da rainha Elizabeth II: impactos na economia mundial

12 de setembro de 2022 - por Jaíne Jehniffer


Os impactos da morte de Elizabeth II podem ser percebidos, sobretudo, na economia. Afinal de contas, a monarca representava estabilidade e continuidade e com a sua morte, o cenário é de incerteza.

A Rainha Elizabeth II, a mais longeva monarca britânica da história, morreu no dia 08 de setembro de 2022, aos 96 anos de idade. Sendo que, em 2022, a Rainha tinha completado 70 anos de reinado.

Com a sua morte, o príncipe Charles (agora Rei Charles III), de 73 anos, assume o trono do Reino Unido e de outros 14 países que têm o monarca britânico como chefe de Estado.

A Rainha morreu em meio a um cenário de crise inflacionária, energética e política. Desse modo, muitas são as incertezas sobre o futuro do Reino Unido.

Contexto econômico do Reino Unido antes da morte da Rainha Elizabeth II

A Rainha Elizabeth II representava uma grande estabilidade política e econômica para o reino. Sendo que a Rainha morreu em meio a um cenário de crise inflacionária e energética.

Além disso, existem crises políticas envolvendo, por exemplo, a Irlanda do Norte e a Escócia. Inclusive, esses países podem realizar movimentos de independência após a morte da Rainha. 

A questão da inflação é particularmente preocupante. Em julho de 2022, a inflação no Reino Unido atingiu um novo recorde de 40 anos, superando a marca de 10% pela primeira vez desde 1982.

Em relação à crise energética, o Reino Unido está sofrendo com a pressão sobre os custos de energia, pois é dependente do gás em sua matriz energética.

O problema é que o custo do gás subiu muito por causa da guerra na Ucrânia e da redução das exportações russas para a Europa.

O professor de Relações Internacionais da USP, Kai Enno Lehmann, explica que o Reino Unido já vem de uma situação econômica complicada e que pode piorar nos próximos meses por causa da chegada do inverno.

Desse modo, a morte da Rainha Elizabeth II pode ser mais um fator de insegurança para a economia local.

Em outras palavras, a Rainha representava estabilidade e continuidade, dois elementos essenciais para uma economia.

Com a sua morte, o cenário é de incerteza. Até porque, a nova ministra Liz Truss tinha tomado posse, dois dias antes da morte da Rainha.

Neste cenário, a expectativa é que o Rei Charles II exerça um papel de unificador e pacificador, já que o país está em um cenário de crise econômica.

Principais impactos da morte da Rainha Elizabeth II

Alguns impactos e mudanças causadas pela morte da Rainha Elizabeth II são:

1- Economia

O cenário econômico do Reino Unido não é muito bom, por causa da crise inflacionária, energética e política. 

Além disso, a libra esterlina atingiu o menor patamar em relação ao dólar desde 1985, e a inflação pode chegar a dois dígitos em breve.

Por fim, a morte da Rainha é mais um fator que pode contribuir para o estado de crise que a Europa está. Apesar disso, em termos econômicos, a sua morte tem uma repercussão baixa.

O que mais preocupa o mercado, serão as ações da nova ministra Liz Truss que tinha tomado posse dois dias antes da morte da Rainha.

Na prática, como o Rei Charles III tem pouco poder sobre a política do Reino Unido, é na nova primeira-ministra que o mercado está de olho.

De acordo com Fabio Fares, especialista em análise macro da Quantzed, “em termos de política monetária e econômica, a morte da rainha não muda nada. Está na mão da Liz, que assumiu o partido conservador, tomar decisões de maior impacto”.

2- Brasileiros

É normal que os investidores brasileiros se questionem sobre os impactos da situação do Reino Unidos nos investimentos aqui no Brasil.

A Bolsa de Valores de Londres fechará no dia do funeral da Rainha. No entanto, a imprensa britânica está relatando que o pregão poderia ser interrompido “potencialmente por vários dias”. 

Caso o pregão fosse interrompido por dias, isso iria custar bilhões para o mercado. Além disso, existe a questão da nova ministra que pode aumentar gastos para tentar controlar o aumento dos preços de energia.

No entanto, a expectativa é que isso não afete os Brasileiros. Para Rodrigo Jolig, CoCEO e portfólio manager global da Alphatree Capital, “lá no Reino Unido, a confiança está extremamente baixa, com juros subindo e a moeda apanhando. Mas parece ser um problema bem específico do Reino Unido, não vejo impactos diretos sobre os ativos brasileiros”.

2- Troca da moeda após a morte da Rainha Elizabeth II

Atualmente o rosto da Rainha Elizabeth II está estampado nas libras esterlinas. Mas essas notas devem ser substituídas por novas cédulas.

Com a morte da Rainha, as notas serão estampadas com a imagem do Rei Charles III.

Ainda não foram definidos os detalhes da nova moeda, mas hoje existem cerca de 4,5 bilhões de cédulas estampadas com o rosto da Rainha Elizabeth.

Isso representa um montante de £ 80 bilhões de libras esterlinas e todas serão substituídas por novas cédulas. Dessa forma, esse processo de substituição deve demorar cerca de 2 anos.

3- Hino e bandeira

Por fim, a morte da Rainha Elizabeth II traz mudanças também no hino e na bandeira. Atualmente, a primeira estrofe do hino é “Deus Salve a graciosa Rainha”. 

Com a mudança, a primeira estrofe do hino será “Deus salve nosso gracioso Rei”. Essas mudanças podem ser feitas de forma imediata.

No entanto, como a Rainha Elizabeth II teve um reino bem longevo, o esperado é que leve um tempo até que o novo hino seja adotado.

Vale destacar que essa mudança é adotada desde 1745, data da versão inicial. Na época, a estrofe dizia “Deus salve o grande George, nosso rei, Viva nosso nobre rei, Deus salve o rei”.

Essa primeira versão foi uma ode ao Rei George I, que foi o Rei da Grã-Bretanha e Irlanda de 1 de agosto de 1714 até sua morte, em 1727.

Por fim, as bandeiras que ficam do lado de fora da delegacia de polícia do Reino Unido também devem ser substituídas.

Isso porque elas estão estampadas com a sigla EIIR, que significa “Elizabeth II Regina”, ou, em tradução livre, “Rainha Elizabeth II”.

LEIA MAIS

Fontes: Suno, Warren, E-investidor e Cnn.

Bibliografia

  • Zanatta, Pedro. Morte da rainha Elizabeth II pode desvalorizar libra, dizem especialistas. CNN Brasil. Acesso em 09 de setembro de 2022.
  • Vargas, Eduardo. Com morte da Rainha Elizabeth, 4,5 bilhões de cédulas serão alteradas. Suno. Acesso em 09 de setembro de 2022.
  • Lanza, Luiza. Reino Unido: crise, saída de Boris e morte da rainha. E o investidor?. E-investidor. Acesso em 09 de setembro de 2022.

10 livros essenciais para entender sobre economia comportamental

Propriedade privada: o que significa e quando surgiu o conceito?

Escola de Friburgo: escola que originou o ordoliberalismo

Microeconomia: o que é, como funciona e quais são os elementos?