Quanto rendeu o Bitcoin desde setembro de 2020?

31 de agosto de 2021 - por Jaíne Jehniffer


Em setembro de 2020, Raul Sena, o Investidor Sardinha, realizou um aporte de quase R$ 60 mil em Bitcoins. Desde então, ele recebeu diversas mensagens dos seguidores querendo saber como está a rentabilidade do Bitcoin.

Raul Sena não enxerga as moedas digitais como investimento. Porém, ele não fica vendendo os ativos, ele prefere manter em carteira. Consequentemente, ele teve uma boa valorização entre setembro de 2020 e agosto de 2021.

Lembrando que, apesar de falarmos sobre a rentabilidade do Bitcoin, este texto não deve ser considerado como uma recomendação ou indicação de investimentos.

O Bitcoin e os especialistas

É muito importante prestar atenção nos que os especialistas do mercado dizem. Por exemplo, no mês de setembro de 2017, o presidente do JPMorgan disse que o Bitcoin é uma fraude.

Um pouco antes disso, o Bitcoin tinha passado por uma leve queda, mas após o pronunciamento do presidente do JPMorgan, ele voltou a subir. Depois disso, o presidente do JPMorgan não falou mais nada. Nesse meio tempo, o Bitcoin continuou a se valorizar e atrair cada vez mais investidores.

Entretanto, na queda que teve em maio de 2021 (depois de um período de grande valorização), o CEO do JPMorgam salientou que continua alertando para as pessoas não investirem em Bitcoin. Por fim, em agosto de 2021, saiu a notícia de que a Wells Fargo e JPMorgan estão desenvolvendo fundos de Bitcoin com a NYDIG.

Exame

A jogada por trás disso é que as moedas de maneira geral passam por constantes oscilações. Dessa forma, como os especialistas precisam estar em evidência quando as variações de preços estão acontecendo, a única maneira deles acertarem a previsão, é prevendo quando os fatos já estão acontecendo.

Ou seja, eles percebem as mudanças no começo e falam como se estivessem prevendo. É por isso que é importante ficar atento ao que esses especialistas dizem, pois as afirmações deles são geralmente feitas quando os fatos já estão acontecendo.

O problema é que você passa a acreditar que eles realmente conseguem prever o futuro. Com muitas pessoas acreditando, eles conseguem criar tendências, ao invés de prevê-las. Além disso, como as criptomoedas passam por constantes oscilações, a opinião dos especialistas também passa por mudanças constantes.

Quanto rendeu o Bitcoin desde setembro de 2020?

Raul Sena começou a comprar Bitcoins por apoiar a liberdade que a criptomoeda proporciona. Afinal de contas, o Bitcoin é descentralizado e não pode ser produzido ou controlado pelo governo. É por isso que o Raul acredita muito no Bitcoin, mas não como investimento.

Riconnect

Na verdade, ele enxerga o Bitcoin como uma forma de deixar a sociedade mais livre do controle do Estado. Apesar de não ver as criptomoedas como investimento, a sua estratégia para lidar com as moedas é parecida com as ações. Ou seja, ele compra e mantêm em carteira, não fica realizando vendas quando ocorrem valorizações.

Enfim, agora que você sabe que deve ficar esperto com as previsões de especialistas e os motivos pelos quais o Investidor Sardinha compra Bitcoins, vamos falar sobre o quanto rendeu o Bitcoin desde setembro de 2020.

Rentabilidade do Bitcoin

Primeiramente, vamos analisar o primeiro aporte em Bitcoins feito na carteira do canal. Na primeira aquisição, realizada em 2019 o Bitcoin estava com o preço médio de R$ 28.131,2312 e o Raul investiu R$ 7.253,4405.

Desde então, essa aplicação teve uma valorização de 807,41%. Dessa maneira, atualmente essa aplicação está em R$ 65.818,3103 o que representa um lucro de R$ 58.564,87. Confira abaixo:

Quanto rendeu o Bitcoin desde setembro de 2020?

Posteriormente, aproveitando uma queda do Bitcoin, o Investidor Sardinha comprou Bitcoins novamente. Nessa operação, o preço médio do Bitcoin estava em R$ 57.916,4319 e o Raul investiu R$ 54.605,2579. Desde então, ele teve uma valorização de 340,75%.

Desse modo, atualmente essa aplicação está em R$ 240.671,1770 o que representa um lucro de R$ 186,065,92. Confira abaixo o quanto rendeu o Bitcoin desde setembro de 2020:

Quanto rendeu o Bitcoin desde setembro de 2020?

É claro que os lucros dessas aplicações são apenas teóricos, pois o Raul ainda acredita no Bitcoin e não vê motivos para vender as criptomoedas, já que elas podem continuar a se valorizar.

Não escute os ruídos do mercado

Um dos motivos pelos quais o Investidor Sardinha teve uma valorização tão grande nas suas aplicações em Bitcoins, é porque ele não ouve os ruídos do mercado. Portanto, a dica que fica é: se você ver pessoas relevantes falando que chegou a hora de comprar ou vender Bitcoins, fique alerta.

Isso porque, a opinião dessas pessoas muda de acordo com as valorizações ou desvalorizações dos ativos. Sendo que como o Bitcoin é uma criptomoeda descentralizada que não é regulada pelo governo e não tem lastro, ele passa por muitas oscilações. Sendo assim, não faz sentido guiar os seus investimentos baseados na opinião dos especialistas.

Vale destacar que em momentos de forte valorização do Bitcoin, talvez não seja o melhor momento para comprar a criptomoeda. É claro que com tantas pessoas falando sobre essa valorização você vai ficar chateado de não ter aproveitado a oportunidade de aplicar seu dinheiro antes. Contudo, este não é o melhor momento para comprar.

O fato é que como o Bitcoin é volátil, ele vai passar por outras desvalorizações no futuro, quando então você poderá comprar criptomoedas por um preço mais baixo. Assista ao vídeo de Raul Sena, o Investidor Sardinha, e entenda mais sobre como funciona essa volatilidade do Bitcoin e o melhor momento para comprar criptos:

E aí, gostou de descobrir o quanto rendeu o Bitcoin desde setembro de 2020? Então aproveite para entender sobre a AMZN: a única ação que os maiores investidores da Bolsa têm em comum

Fontes: Roteiro de Raul Sena

Imagens: Portal do b., Exame e Riconnect

O que acontece se não declarar o Imposto de Renda? Testei na PRÁTICA!

Fazer faculdade no Brasil vale a pena? A realidade é difícil de engolir

Ibovespa caindo! – Onde estou investindo para proteger o meu dinheiro?

A enorme BOMBA que pode enterrar de vez o Brasil