Análise Quantitativa: como ganhar dinheiro com dados

26 de maio de 2022 - por Jaíne Jehniffer


A análise quantitativa consiste em analisar os números da empresa. Dessa forma o intuito é por meio dos dados identificar oportunidades de investimentos.

Para que serve

Em síntese, a análise quantitativa ou análise quant usa vários métodos e modelos matemáticos e estatísticos com o intuito de analisar o comportamento do mercado.

Desse modo, o objetivo é identificar oportunidades de investimentos. Portanto, essa análise usa os dados da empresa para analisar os eventos passados da companhia e tentar prever eventos futuros.

Inclusive, existem fundos quantitativos que usam modelos estatísticos e dados para determinar em quais ativos irão investir.

É possível usar a análise quantitativa como uma forma de complementar as análises fundamentalistas ou gráficas. Sendo que o seu uso tem duas vantagens principais:

  • Estabilidade. Você pode analisar milhares de ativos de uma vez só.
  • Eliminação de vieses. É uma análise que não envolve os vieses que podem atrapalhar em uma análise.

Vale destacar que não é recomendado usar a análise quant como a única ferramenta ao escolher ativos. Ao invés disso, prefira usar vários indicadores.

Como é feita a análise quantitativa

De maneira geral, a análise quant usa vários tipos de dados, tais como:

1- Demonstrações financeiras

Todas as empresas de capital aberta, são obrigadas a enviar seus dados financeiros periodicamente para a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e divulgá-los publicamente.

Dessa maneira, qualquer pessoa pode analisar os números das empresas listadas na bolsa de valores. Enfim, as principais informações da demonstração financeira que ajudam os investidores a analisar o negócio são:

1- Balanço Patrimonial

Em resumo, o balanço patrimonial é um documento. As empresas divulgam este documento de forma trimestral, semestral e anualmente. Por meio dele, você consegue uma visão geral da situação da empresa.

Isso é possível através do ativo, passivo e patrimônio líquido do negócio. Sendo que os ativos englobam todos os bens da empresa, como por exemplo:

  • Máquinas;
  • Equipamentos;
  • Estoque;
  • Terrenos.

os passivos são os recursos que saem da empresa. Por exemplo:

  • Contas a pagar;
  • Impostos;
  • Taxas;
  • Dívidas;
  • Salários.

Por fim, o patrimônio líquido é a diferença entre o ativo e o passivo. Sendo assim, ele corresponde à riqueza da uma empresa.

2- Demonstrativo do Resultado do Exercício (DRE)

Em resumo, o DRE, é um indicador anual. Dessa forma, na análise quantitativa, o DRE mostra se a companhia teve lucro ou prejuízo em certo período.

3- Demonstrativo do fluxo de caixa (DFC)

Por fim, o DFC é resultado de um relatório que mostra como o dinheiro entra e sai do negócio. Dessa forma, ele é um indicador que aponta o dinheiro que a empresa possui em caixa. Sendo que o dinheiro é decorrente das atividades:

  • Operacionais;
  • Investimentos;
  • Financiamento.

2- Indicadores e múltiplos

Para fazer uma análise completa da empresa, é preciso levar em consideração alguns indicadores importantes sobre a empresa. Sendo assim, você pode levar em conta indicadores como:

1- P/L (Preço / Lucro)

O P/L é um indicador que serve para analisar o preço de uma ação. Isso em comparação com outras ações de empresas do mesmo setor.

Em resumo, o P/L é obtido por meio da divisão do preço atual da ação pelo lucro por ação. De maneira geral, quanto menor for o P/L mais barata está a ação e vice-versa.

2- P/VPA (Preço / Valor Patrimonial)

O P/VPA serve para indicar o quanto um investidor aceita pagar pelo patrimônio líquido de uma empresa. Geralmente, quanto maior for essa relação, mais cara está a ação.

3- PSR (Prices Sales Ratio)

Em síntese, o PSR compara o valor de mercado da empresa com sua receita operacional líquida. Ao fazer a sua análise quantitativa, é legal usar o PSR junto com o PL. Isso porque são dois indicadores complementares.

4- Ebitda

Ebitda significa Earnings Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization. Sendo assim, ele mostra o lucro líquido antes do pagamento de todo tipo de impostos, taxas ou juros.

Na prática, ele ajuda a verificar o desempenho da empresa pela sua produtividade e eficiência.

5- Dividend Yield (DY)

Na sua análise quantitativa, não deixe de levar em conta o DY. Isso porque ele mostra o rendimento que uma ação gerou para o investidor por meio do pagamento de proventos.

6- ROE (Return On Equity)

O ROE serve para analisar o potencial de crescimento e geração de valor de uma empresa usando recursos próprios. No geral, quanto maior o ROE, mais rentável é a empresa.

7- Endividamento

Por fim, ao fazer a análise quantitativa da empresa, não deixe de levar em conta o nível de endividamento do negócio. Para analisar o endividamento, basta dividir a dívida líquida pelo patrimônio líquido.

Análise quantitativa versus análise qualitativa

Os dois tipos de análises servem para verificar a saúde financeira e gestão de uma empresa. Ao fazer as duas análises, você consegue fazer uma melhor análise fundamentalista do negócio.

Na prática, a diferença entre ambas está nas informações analisadas. No caso da análise quantitativa, são levados em conta os números da empresa.

Por outro lado, a análise qualitativa considera o cenário micro e macroeconômico da empresa. Dessa maneira, ela verifica a qualidade da gestão e de governança corporativa. Enfim, alguns aspectos analisados são:

  • Nível de governança;
  • Membros do conselho;
  • Potencial de crescimento;
  • Riscos do segmento.

Enfim, gostou de aprender sobre a análise quantitativa? Então não deixe de conferir outros textos aqui no site que você pode gostar.

Por exemplo, como usar o ROA na análise da uma empresa. Ou ainda, como descobrir o valor intrínseco de uma ação.

Fontes: Xpi e The cap.

10 livros essenciais para entender sobre economia comportamental

10 dicas de como melhorar a sua relação com o dinheiro

Mitos e verdades sobre empreendedorismo que devemos conhecer

8 dicas do que fazer com a restituição do IR