As dívidas mais comuns entre os brasileiros e como evitá-las

São vários tipos de dividas e motivos pelas quais elas acontecem. Nesse post de conto mais sobre as principais delas e como evitá-las.

28 de junho de 2024 - por Nathalia Lourenço


As dividas financeiras são uma realidade para diversas famílias no Brasil. Mas de 71 milhões de pessoas estão inadimplentes no país; e muitas dessas dívidas são dívidas comuns, que podem ser evitadas. Nesse post de conto mais sobre as principais delas e como evitá-las.

As dívidas mais comuns

1. Cartão de Crédito

Sem dúvidas, o cartão de crédito é a maior causadora de divida para os brasileiros. São cerca de 77% de famílias com débitos e parcelas atrasadas.

O maior erro é a não quitação do valor integral da fatura, caindo assim no crédito rotativo com juros que geralmente são altíssimos e que podem até mesmo duplicar ou triplicar o valor inicial da dívida.

E como evitar dividas com catão de crédito?

  • Estabeleça um limite pessoal
  • Pague o saldo total mensalmente
  • Controle seus gastos
  • Use com moderação
  • Evite cartões com muitas vantagens tentadoras
  • Tenha um fundo de emergência
  • Conheça os termos do seu cartão

Seguir essas práticas pode ajudar a evitar dívidas desnecessárias no cartão de crédito e a manter suas finanças pessoais saudáveis.

2. Crédito Pessoal

Sem muitas restrições e de fácil acesso para a maioria, empréstimos de bancos ou financeiras acabam se tornando um dos principais motivos de endividamento da população.

Com juros altos, o consumidor muitas vezes não consegue pagar as parcelas em dia, fazendo com que a divida se torne uma bola de neve. Por isso, se atente a essas dicas para não se endividar com o crédito pessoal:

  • Analise sua necessidade real
  • Compare diferentes opções
  • Planeje seu orçamento
  • Evite empréstimos de alto custo
  • Negocie as condições
  • Leia os termos do contrato
  • Use o crédito com moderação
  • Pague em dia
  • Considere a possibilidade de antecipar o pagamento
  • Busque ajuda financeira se necessário

3. Cheque especial

Outro tipo de empréstimo bancário, concedido para casos de imprevistos, também está entre as dividas mais comuns. A facilidade em se utilizar o crédito disponibilizado e seus juros altos, podendo chegar até 15% ao mês.

Para evitar se endividar ainda mais por conta do cheque especial, siga essas dicas:

  • Entenda o funcionamento do cheque especial
  • Mantenha um controle rigoroso das suas finanças
  • Evite utilizar o cheque especial como extensão do seu orçamento
  • Negocie com o banco
  • Monitore seu saldo bancário regularmente
  • Utilize outras formas de crédito, se necessário
  • Planeje-se para emergências
  • Limite o uso do cheque especial a situações verdadeiramente emergenciais
  • Pague o cheque especial o mais rápido possível
  • Busque orientação financeira se necessário

4. Financiamento de veículos

Por conta do alto valor, as pessoas geralmente optam por um financiamento na hora de adquirir seu carro próprio, e é aí que mora o problema. As parcelas geralmente não são adequadas ao orçamento mensal do consumidor, o que acaba comprometendo suas finanças.

No caso desse tipo de financiamento, os juros costumam ser mais baixos, assim como as taxas. Mas isso não impede imprevistos financeiros, e com parcelas atrasadas a divida acaba aumentando em longo prazo e vira uma grande bola de neve.

Veja algumas dicas para evitar se endividar ao realizar o sonho de um carro próprio:

  • Estabeleça um limite de preço
  • Faça uma pesquisa de mercado
  • Calcule o custo total do financiamento
  • Faça uma entrada substancial
  • Escolha um prazo de financiamento mais curto
  • Verifique sua capacidade de pagamento
  • Considere o valor de revenda
  • Evite adicionar opcionais ao financiamento
  • Leia e entenda o contrato de financiamento
  • Planeje para despesas extras

Como evitar as dívidas?

Evitar ficar endividado envolve tomar várias medidas preventivas e adotar hábitos financeiros saudáveis.

Aqui estão algumas dicas importantes:

1) Crie um orçamento

Estabeleça um orçamento mensal detalhado que inclua todas as suas despesas e receitas. Isso ajuda a ter controle sobre seus gastos e a evitar gastar mais do que ganha.

2) Poupe regularmente

Reserve uma parte do seu salário mensalmente para poupança. Isso não apenas cria uma rede de segurança financeira, mas também reduz a necessidade de recorrer a empréstimos em caso de emergências.

Leia mais em: Conta poupança: conheça suas vantagens e desvantagens

3) Pague suas contas em dia

Evite atrasar o pagamento de contas, como cartão de crédito, empréstimos ou contas de serviços públicos. Isso ajuda a evitar penalidades e juros adicionais.

4) Evite empréstimos desnecessários

Pense cuidadosamente antes de contrair empréstimos pessoais, financiamentos ou empréstimos de cartão de crédito. Avalie se é realmente necessário e se você tem capacidade de pagar dentro do prazo estabelecido.

Leia mais em: 10 dicas para pegar empréstimo sem se afundar em dívidas

5) Tenha um fundo de emergência

Como mencionado anteriormente, reserve uma parte do seu dinheiro para situações inesperadas. Isso pode ajudar a cobrir despesas inesperadas sem recorrer a empréstimos ou cartão de crédito.

6) Use crédito com responsabilidade

Se você usa cartão de crédito, utilize-o de forma consciente, pagando o saldo integralmente sempre que possível para evitar juros elevados. Evite o pagamento mínimo da fatura, pois isso pode levar a uma dívida crescente devido aos altos juros.

7) Reavalie seus gastos

Regularmente, revise seus gastos e identifique áreas onde você pode cortar despesas não essenciais. Isso pode liberar mais dinheiro para economias ou para pagar dívidas existentes.

8) Planeje grandes compras

Antes de fazer grandes compras, como eletrônicos, móveis ou veículos, planeje e reserve fundos suficientes para pagar à vista ou avalie as melhores opções de financiamento com condições favoráveis.

9) Mantenha-se informado:

Esteja ciente dos seus direitos e responsabilidades financeiras. Conheça os termos e condições dos contratos que você assina e procure ajuda profissional se necessário, especialmente em questões de dívidas.

10) Aprenda sobre educação financeira

Invista tempo em aprender sobre como gerenciar suas finanças pessoais de forma eficaz. Existem muitos recursos disponíveis, como livros, cursos online e consultores financeiros, que podem oferecer orientação valiosa.

Seguindo essas práticas, você estará melhor preparado para evitar dívidas e manter suas finanças pessoais saudáveis ao longo do tempo.

Leia mais em: 4 Lições de Educação Financeira Infantil

Como gerenciar suas dívidas financeiras?

É preciso planejamento e controle de gastos, saber negociar as melhores condições de pagamentos com o credores e em alguns casos até assistência jurídica para resolver questão.

O não pagamento das dividas pode resultar em consequências como restrições de crédito, protestos e inclusão do nome no cadastro de inadimplentes como o Serasa e o SPC.

Gostou da matéria? Leia também sobre: Parcelar é melhor do que comparar à vista?, Como ficar milionário se você já está velho para isso? e Como juntar R$ 100 mil: 3 dicas sem abrir mão da sua vida

Fontes: euemdia, iq, correiobraziliense e serasa

8 dicas do que fazer com a restituição do IR

Como comprar euro mais barato

As dívidas mais comuns entre os brasileiros e como evitá-las

Programa de fidelidade: o que é, como funciona e exemplos