Investidor qualificado: o que é e como se tornar um?


O investidor qualificado é uma classificação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Ela se refere às pessoas que têm um amplo conhecimento sobre investimentos ou que tenham mais de R$ 1 milhão de reais investidos.

Geralmente, esse tipo de investidor tem acesso a produtos mais complexos, com taxas de retorno e nível de risco mais alto.

Diferenças entre investidor qualificado e profissional

Uma das principais diferenças entre os dois tipos de investidores, é o valor do patrimônio. Isso porque, o investidor qualificado deve ter mais de R$ 1 milhão investidos.

Por outro lado, para ser investidor profissional, é preciso ter mais de R$ 10 milhões no mercado financeiro. Portanto, é possível que um qualificado se torne profissional.

Sendo assim, ele precisa apenas continuar investindo até ter mais de R$ 10 milhões aplicados. No entanto, o oposto também pode ocorrer.

Ou seja, um profissional que tenha uma redução nos investimentos, pode voltar a ser um investidor qualificado.

Vantagens de ser um investidor qualificado

A grande vantagem de ser um investidor qualificado, é que você tem acesso a muitos produtos financeiros. Sendo que muitas vezes esses produtos são exclusivos para qualificados.

Dessa forma, você tem acesso a muitas oportunidades de ativos com retornos mais altos do que os investimentos comuns. Com isso, você pode montar uma carteira bem diversificada e forte.

Mas vale lembrar que as chances de altos retornos costumam andar junto com o alto risco dos ativos.

Como se tornar um investidor qualificado

Uma pessoa deve ter pelo menos R$ 1 milhão investidos para ser um investidora qualificada. Isso de acordo com a CVM. No geral, para se tornar um investidor qualificado é preciso:

1- Ter mais de R$ 1 milhão investido

Esse é um dos principais critérios para ser um investidor qualificado. Além disso, a pessoa deve atestar por escrito a comprovação de que ela tem mais de R$ 1 milhão em investimentos.

2- Trabalhar com investimentos

Trabalhar com investimentos em certas categorias também pode te tornar um investidor qualificado. São elas:

  • Pessoas que trabalham como investidoras profissionais.
  • Clubes de investimento. Isso se a carteira for gerida por um ou mais cotistas que sejam investidores qualificados.
  • Agentes autônomos de investimento.
  • Administradores de carteira.
  • Analistas e consultores de valores mobiliários.
  • Ou pessoas que tenham sido aprovadas para essa categoria.

3- Ter uma das certificações da CVM

Mesmo que você não tenha mais de R$ 1 milhão investidos, você ainda pode ser um investidor qualificado. Para isso, você deve tirar algumas certificações.

Neste caso, elas servem para verificar se você tem os conhecimentos necessários sobre investimentos. As certificações válidas são:

Inscreva-se na Pior Newsletter Possível!

Receba os melhores conteúdos (ou não) gratuitamente!

Usamos a Sendinblue como nossa plataforma de marketing. Ao clicar abaixo para enviar este formulário, você reconhece que as informações fornecidas por você serão transferidas para a Sendinblue para processamento, de acordo com o termos de uso deles

1- Certificado CGA

O Certificado CGA habilita uma pessoa a atuar na gestão de recursos de terceiros. Isso por meio de fundos, ações e etc. Sendo assim, ele é um requisito para profissionais que tomam decisões de compra e venda de ativos de carteiras.

Enfim, para ter esse certificado, você deve fazer uma prova. Ela tem cerca de 45 questões e duas horas de duração. Sendo que o exame exige 70% de acertos.

2- Certificado CEA

O certificado CEA é voltado para pessoas que atuam na indicação de ativos para clientes. Em outras palavras, o CEA tem como foco assessores de investimento.

Para conseguir o CEA, é preciso fazer uma prova com cerca de 70 questões.

3- Certificado CFP

O CFP é um certificado internacional para pessoas que atuam como planejadores financeiros pessoais. Para conseguir o CFP, é preciso fazer uma prova com cerca de 100 questões.

4- Certificado CNPI

O CNPI é um certificado da Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (Apimec). Em resumo, o CNPI é voltado para analistas de investimentos que atuam no mercado de capitais.

Enfim, os certificados que permitem uma pessoa se tornar um investidor qualificado são emitidos pela Anbima. Sendo que ela também é a responsável por realizar as provas.

Geralmente é preciso pagar uma taxa para fazer os exames e, por vezes, é preciso apresentar um diploma de graduação reconhecido pelo MEC.

Investimentos para qualificados

Alguns ativos são exclusivos para os investidores qualificados. Por exemplo, desde 2016, a CVM definiu que as CRAs são apenas para investidores qualificados.

Além disso, alguns fundos, com estratégia mais sofisticada, também são restritos para esse tipo de investidor.

Dessa forma, esses ativos são restritos, pois os investidores qualificados têm maior conhecimento sobre o mercado. Logo, eles estão aptos a aplicar nesses ativos. Alguns exemplos desses ativos são:

  • Renda fixa. Acesso a ativos de renda fixa com retorno mais alto. Como por exemplo, debêntures, CRI e CRA.
  • Fundos. Fundos que aplicam no exterior (FIEX), FIDCs e fundos multimercado.
  • FIIs. Alguns FIIs são exclusivos para esse tipo de investidor.

Por fim, vale destacar que várias dessas categorias acima têm títulos para os investidores no geral. Mas alguns ativos dentro dessas categorias são exclusivos para o investidor qualificado.

Enfim, agora que você sabe como se tornar um investidor qualificado, confira o que é um investidor de varejo.

Fontes: Btg pactual digital; Nubank; Clear; e, por fim; Rico.

Conte-nos a sua opinião...