Política cambial: o que é ecomo funciona essa política econômica?

A política cambial é um conjunto de ações do Banco Central que estabelecem as taxas de câmbio e definem as operações de câmbio.

21 de outubro de 2021 - por Jaíne Jehniffer


A política cambial é um conjunto de ações realizadas pelo Banco Central do Brasil (Bacen). Ou seja, ela é uma ferramenta usada pelo Bacen para adotar taxas de câmbio que ajudem no constante crescimento econômico de forma sustentável e equilibrada.

Sendo que o seu objetivo principal costuma ser a manutenção do equilíbrio entre a saída e entrada de moeda estrangeira do país. A taxa de câmbio, por sua vez, aponta o valor da moeda nacional frente às moedas de outros países. 

Nesse sentido, o preço da moeda pode passar por valorização ou desvalorização. Com a valorização da moeda fica mais cara e as exportações podem cair. Por outro lado, na desvalorização, o país pode perder parte do seu poder de compra. Por isso, a ideia é manter um patamar de equilíbrio e evitar variações bruscas.

O que é política cambial?

A política cambial é um conjunto de ações do Banco Central que estabelece a taxa de câmbio e as operações de câmbio. Para a sua definição, o Bacen leva em conta alguns fatores do país, tais como:

  • Dependência de financiamento externo;
  • Interesse em atrair capital especulativo;
  • Importação de commodities agrícolas e energéticas;
  • Exportação de bens de alto valor agregado.

A política cambial representa as ferramentas usadas pelo Banco Central para estabelecer o valor da moeda em relação às moedas estrangeiras. Sendo que o intuito pode ser a apreciação ou depreciação da moeda.

Política cambial: como funciona essa política econômica

Cotação

1- Apreciação: Ocorre quando o governo opta por valorizar a moeda nacional frente às moedas de outros países. Isso faz com que o país tenha que pagar mais pela moeda de outro país. Isso costuma ocorrer quando o dólar sobe. A tendência é que ela ocorra quando o governo nota que as pessoas estão pagando caro pelos produtos de outros países.

2- Depreciação: Neste caso, é feita a desvalorização da moeda. Isso faz com que os outros países paguem menos pela moeda do país. Ou seja, os produtos ficam mais baratos e mais atrativos. Sendo assim, o governo pode usar a depreciação como uma forma de aumentar a competitividade com outros países. 

Taxa de câmbio

O regime de câmbio é normalizado pela política cambial. Sendo que ela indica o preço da moeda frente às moedas de outros países. Por exemplo, a taxa de câmbio aponta a relação entre o valor do real e o valor do dólar. Os três tipos de câmbio são:

1- Fixo: No câmbio fixo o valor da moeda nacional equivale a uma moeda usada como base. É fixado um preço único para a moeda e o governo age para que não ocorra variação. No Brasil esse tipo de câmbio foi usado no Plano Real.

Política cambial: como funciona essa política econômica

Exame

Isso porque o governo queria tornar a importação de itens dos EUA um processo mais barato e ajudar na redução da inflação. A vantagem desse modelo é a previsibilidade do valor da moeda. A desvantagem é que o país usa uma grande parte da sua reserva em moeda estrangeira para manter o valor da moeda.

2- Flutuante: No câmbio flutuante o valor da moeda varia de acordo com o mercado. Logo, o governo não faz intervenções por meio da compra ou venda de dólares. Uma das vantagens desse regime é a redução dos ataques especulativos. A desvantagem é que as variações da moeda estrangeira são repassadas para a economia.

3- Bandas cambiais: Por fim, as bandas cambiais são um regime onde a moeda varia dentro de uma faixa. Ou seja, neste caso o valor da moeda não varia tanto quanto no câmbio flutuante, mas ele não é tão preso quanto no câmbio fixo.

Influência na economia

A política cambial afeta os investidores e as empresas, mesmo que estas não possuam relações internacionais. A sua importância deriva do fato de que ela impacta os preços dos produtos e bens que o Brasil exporta e importa, o que por sua vez, influencia a economia do país.

Nesse sentido, as variações impactam até os produtos do dia a dia, já que a taxa de câmbio afeta as importações e exportações. Por exemplo, quando são exportados muitos produtos, pode ocorrer o aumento do preço do mercado nacional o que gera a inflação e a perda do poder de compra da população.

Já a alta da moeda nacional pode desaquecer a indústria nacional, já que os estrangeiros não se sentem encorajados a comprar produtos do país. Nessa situação, as empresas podem fechar e a taxa de desemprego aumentar. Os investimentos também são afetados pela polícia cambial.

Andre bona

No Brasil nós temos a flutuação suja. Em resumo, o câmbio flutuante é o usado no país. No entanto, em alguns momentos, o Bacen realiza intervenções para apreciar ou depreciar a moeda. Por exemplo, o Banco Central pode fazer uma intervenção quando o dólar passa por uma variação abrupta.

Enfim, as ações do governo são feitas junto com a política monetária e política fiscal, para balancear a influência que o câmbio tem na economia. Leia sobre a Política monetária, o que é? Definição, tipos e instrumentos

10 livros essenciais para entender sobre economia comportamental

10 dicas de como melhorar a sua relação com o dinheiro

Mitos e verdades sobre empreendedorismo que devemos conhecer

8 dicas do que fazer com a restituição do IR