Corporação: o que é, como funciona e características

3 de junho de 2024, por Sidemar Castro

Tempo de leitura médio: 5 min, 8 seg


Uma corporação é uma empresa com controle acionário pulverizado, sem um acionista controlador definido.

Diferente de uma sociedade empresarial tradicional, em uma corporação o controle não fica concentrado em um grupo seleto de acionistas ou proprietários. Estima-se que cerca de 21% das empresas listadas na bolsa brasileira sejam corporações.

Alguns exemplos desse tipo de empresa no Brasil incluem Vale, BRF, Embraer, Localiza e B3. Nos EUA, a maioria das grandes empresas de tecnologia como Apple, Microsoft e Amazon também possuem estrutura de corporação.

Quer saber mais sobre corporações? Leia!

O que é corporação?

Ela é uma organização composta por indivíduos responsáveis pelo governo da própria entidade. Em termos jurídicos, caracteriza uma forma específica de pessoa jurídica na qual proprietários possuem responsabilidades limitadas, a administração é feita de maneira centralizada e voltada ao lucro de seus proprietários, com ações transferíveis.

As corporações podem ser grandes empresas que geralmente contêm ou reúnem outras de menores dimensões. Elas podem ser empresas ou um grupo de pessoas atuando como uma única entidade.

Quando uma empresa não pode emitir ações, seus proprietários são membros da organização. Por outro lado, se a empresa emitir ações, seus proprietários são os acionistas.

Principais características

Suas principais características são a separação entre propriedade e gestão. Os acionistas possuem responsabilidade limitada e não estão envolvidos diretamente na administração.

Outra característica importante é uma estrutura organizacional com regras, diretrizes e estatutos para guiar as atividades, com foco na maximização da eficiência e lucro, minimizando custos.

Além de ações transferíveis e facilmente negociadas no mercado, tem governança corporativa com práticas de transparência e responsabilidade.

Como funciona uma corporação?

Uma corporação opera com base em uma estrutura de diretrizes, regras e estatutos para orientar suas atividades. Legalmente, a gestão da corporação é separada dos proprietários e acionistas, funcionando como se fosse uma pessoa jurídica. Ou seja, o controle não fica concentrado nas mãos dos donos ou em um grupo seleto de acionistas. Trata-se de uma gestão pulverizada.

Os acionistas têm participação nos lucros através dos dividendos e das ações, mas não estão envolvidos nas dívidas da companhia. Se é uma corporação com empresas de capital aberto, o número de acionistas é ainda maior.

Sua estrutura é focada na organização da produtividade para obter mais lucro com eficiência, minimizando os custos. Nas corporações, o papel da administração é fundamental. De fato, os gestores da empresa devem atuar da forma mais profissional possível, sempre buscando gerar valor para os acionistas.

Portanto, uma corporação é uma entidade legal que é separada e distinta de seus proprietários. Ela tem a capacidade de entrar em contratos, emprestar e emprestar dinheiro, processar e ser processada, contratar funcionários, possuir ativos, pagar impostos e muito mais.

Para que serve uma corporação?

Elas são uma forma importante de organizar a produção de bens e serviços em uma sociedade capitalista. Elas são formadas para administrar as atividades econômicas e sociais com maior eficiência, em comparação com organizações individuais.

Na área administrativa de uma empresa, o termo corporação é associado ao conceito de construção estrutural com regras e estatutos específicos para guiar suas atividades. As corporações representam a essência do mercado de capitais, que é a ideia de pessoas comuns participarem de projetos empresariais sem precisar se envolverem no dia a dia das operações.

A maior parte das corporações se estrutura para maximizar sua eficiência e minimizar os custos para obter lucro. Nelas, a administração é tão importante, que os gestores da empresa devem atuar da forma mais profissional possível, sempre buscando gerar valor para os acionistas.

Portanto, uma corporação serve para organizar a produção de bens e serviços, além de fornecer uma estrutura de diretrizes que permita a participação no mercado de capitais, maximizando o lucro e promovendo a governança corporativa.

Diferenças entre empresa familiar e corporação

As empresas familiares e as corporações são dois tipos de estruturas de negócios que têm características distintas¹².

  • Empresa Familiar:

A empresa familiar é o empreendimento em que os donos e funcionários do negócio fazem parte de uma mesma família. Os postos de trabalho, principalmente os de gestores e diretores (que envolvem tomada de decisão) são preenchidos por pessoas de confiança, que fazem parte da família.

A estratégia de negócios precisa incorporar a dimensão das necessidades da família, como sucessão, necessidades de dividendos e estruturação fiscal. São empresas com maior controle dos proprietários e consideradas de pouca transparência.

  • Corporação:

Uma corporação é uma empresa “sem dono”, ou seja, sem um controlador único. As corporações representam, em essência, o conceito do mercado de capitais, que é a ideia de pessoas comuns participarem de projetos empresariais sem precisar se envolverem nas operações diárias dos mesmos.

Na corporação, a administração é feita de maneira centralizada e voltada ao lucro de seus proprietários, com ações transferíveis. As corporações são mais transparentes e profissionais, pois o controle não é exercido pela família, mas existe a presença de gestores profissionais, que não sejam necessariamente da família, em cargos de direção.

Portanto, a principal diferença entre uma empresa familiar e uma corporação reside na estrutura de propriedade e controle, bem como na transparência e profissionalismo da gestão.

Fontes: Suno, Você SA, Como Investir, Mais Retorno