Capital: o que é, tipos, na economia e no mundo dos negócios

Capital é qualquer recurso que consegue gerar rendimentos, através da sua aplicação. Descubra quais são os tipos na economia e negócios.

18 de janeiro de 2021 - por Jaíne Jehniffer


O capital é definido como ativos que podem trazer retornos financeiros a longo prazo, como por exemplo, os investimentos e os estoques.

Sendo assim, ele pode ser financeiro, produtivo ou especulativo. Em contrapartida, no mundo dos negócios, o termo tem o mesmo significado. No entanto, a sua divisão e utilização é diferente da economia.

Resumindo, nos negócios, o termo é usado para se referir tanto aos recursos inicialmente investidos para a criação do negócio, quanto para falar sobre o conjunto de conhecimentos, capacidades e experiências das pessoas que contribuem com uma empresa.

Saiba mais sobre o capital, seus tipos na economina e nos negócios. Leia a seguir!

O que é capital?

Na economia, o termo se refere a qualquer recurso que consegue gerar rendimentos, através da sua aplicação. Ou seja, ele não é apenas o dinheiro, mas também outros ativos como, por exemplo, os investimentos financeiros e os estoques de uma empresa.

Portanto, é importante ressaltar que capital não é sinônimo de dinheiro. Isso porque, o dinheiro é usado sobretudo em trocas, ou seja, em uma proposta mais imediatista.

Já o capital pode servir para geração de riqueza futura. Dessa forma, o termo abrange não apenas o dinheiro, mas também os bens de uma empresa, como por exemplo, o maquinário.

Na teoria econômica clássica, o capital é um dos três fatores de produção. Sendo assim, os outros dois são: terra e trabalho. Juntos, eles formam os elementos essenciais para um processo produtivo.

Contudo, apesar de ser um fator de produção, ele é também um produto da economia. Isso porque, ele é resultado de investimentos, que são gerados a partir da poupança. Sendo que a capacidade de formar uma poupança para investir tem uma relação direta com o acúmulo de capital, que pode ocorrer por meio da criação de riqueza ou pela concentração nas mãos de poucos.

A base do sistema econômico capitalista é justamente o ciclo de: capital, poupança, investimento e geração de mais capital.

Tipos de capital na economia

Existem três tipos considerados principais:

1) Financeiro

São os ativos que podem ser rapidamente convertido em dinheiro, como por exemplo os títulos e obrigações. Vale notar que esse tipo de capital se relaciona apenas com valores, não envolve bens.

2) Produtivo

É o recurso investido com o intuito de gerar lucro através da produção.

Contudo, o capital produtivo consegue gerar mais capital sem necessariamente passar pelo processo produtivo. Isso é possível por meio do pagamento de juros e afins.

3) Especulativo

Por fim, temos ainda o recurso que é investido com o objetivo de ganhos altos e rápidos, por meio de especulações financeiras. Desse modo, um especulador é aquela pessoa que procura prever as altas e baixas do mercado e faz aplicações com o intuito de lucrar com essas oscilações.

O papel do especulador suscita debates, já que para alguns ele é a causa de algumas crises econômicas. Por outro lado, outras pessoas, consideram que ele traz liquidez para o mercado financeiro.

Tipos de capital no mundo dos negócios

O conceito de capital, no mundo dos negócios, é um pouco diferente do termo utilizado na economia. No mundo dos negócios, ele também é visto como um recurso capaz de gerar riqueza.

No entanto, os seus tipos são diferentes:

1) Social

São os recursos que os sócios e acionistas investem na criação de uma empresa. Ele é registrado no contrato social da companhia e pode ser tanto em dinheiro, como em bens (imóveis e carros).

Portanto, todo o recurso aplicado pelos sócios para que a empresa possa funcionar até começar a dar lucros, é o capital social.

Já o capital aplicado por outras pessoas, e que se torna uma dívida da companhia, é chamado de capital de terceiros.

2) Inicial

São os recursos cuja aplicação tem como foco o funcionamento de uma atividade. O que difere o social do capital inicial, é que este não precisa de um contrato, como ocorre no outro.

3) De Giro

O capital de giro são os recursos que a empresa precisa para que ela funcione. Como ele é essencial para as atividades da empresa, normalmente é composto por dinheiro e ativos de alta liquidez.

Afinal de contas, caso necessário, ele deve ser facilmente convertido para arcar com as despesas do negócio.

4) Humano

O capital humano é o conjunto de conhecimentos, capacidades e experiências das pessoas que colaboram com uma empresa. Esse é considerado por muitos como o recurso mais importante para uma companhia, já que ele influencia fortemente no crescimento e desenvolvimento do negócio.

Dessa maneira, é função das empresas valorizar e investir para o desenvolvimento do seu capital humano.

Este investimento pode ser feito por meio da criação de planos de carreira, dando autonomia para a equipe e ainda proporcionando capacitação para os profissionais.

Custo de capital

O custo de capital é também chamado de custo de oportunidade. Em resumo, ele se refere ao rendimento esperado pelos empreendedores ao aplicarem recursos em um negócio.

Quando o empresário investe em uma empresa, ele espera obter lucros com ela. Sendo assim, o retorno do empresário é a remuneração de capital.

Neste sentido, para que o investimento na empresa seja vantajoso, ele deve proporcionar uma remuneração de capital acima do que se o empresário teria se tivesse investido o seu dinheiro em outras alternativas.

O que é Capital Cultural?

Em síntese, o capital cultural é o acúmulo de conhecimento, habilidades e comportamentos que uma pessoa pode usar para demonstrar sua competência cultural e status social.

O sociólogo francês Pierre Bourdieu, desenvolveu, nos anos 1970, a ideia de capital cultural como uma maneira de explicar como o poder na sociedade era transferido e as classes sociais se mantinham.

De acordo com Bourdieu, as três fontes do capital cultural são:

  • Objetivo: São os bens culturais, tais como livros e obras de arte.
  • Incorporado: Trata-se da linguagem, preferências e maneirismos.
  • Institucionalizado: São as qualificações e credenciais de educação.

No entanto, trabalhos mais recentes na área adicionam outras formas técnicas, nacionais, emocionais e subculturais na lista acima.

  • Técnico: São as habilidades comercializáveis.
  • Emocional: É a empatia e a simpatia.
  • O aspecto nacional opera no pressuposto da existência de tradições.
  • Por fim, o subcultural engloba os grupos construídos em torno de especificidades culturais.

Capitalismo

O capitalismo é um sistema econômico que tem como base o capital e a sua aplicação no processo produtivo para produzir lucros.

Sendo que o capitalismo é o sistema adotado pela maior parte dos países do mundo.

As principais características do capitalismo são:

  • Acumulação de renda
  • Propriedade privada
  • Mercado competitivo
  • Por fim, trabalho assalariado

Fontes: Dicionário financeiro;Significados; Edital concursos Brasil; e, por fim; Conceito.

8 dicas do que fazer com a restituição do IR

Como comprar euro mais barato

As dívidas mais comuns entre os brasileiros e como evitá-las

Programa de fidelidade: o que é, como funciona e exemplos