Oceano azul: conheça essa estratégia de mercado

A estratégia do oceano azul é uma abordagem de negócios que visa superar a concorrência explorando novas oportunidades. Saiba mais.

22 de abril de 2024 - por Sidemar Castro


A estratégia do oceano azul é um conceito de negócios em que, em vez de competir diretamente com os concorrentes em um “oceano vermelho” sangrento de batalhas e guerras de preços, as empresas devem procurar “óceanos azuis” inexplorados onde não há competição e criar novos mercados.

Para isso, as empresas devem seguir cinco principais fatores, como criar novos valores para os clientes, focar em diferentes compradores, criar novas categorias de negócios, descompor e recompor os valores da indústria e desenvolver uma estrutura de custos baixa.

Quer ter maiores detalhes de como aplicar a estratégia do oceano azul? Continue a leitura e explicaremos.

O que é a estratégia do oceano azul?

É uma abordagem de negócios revolucionária que combina a arte da diferenciação e da relação custo-benefício para abrir espaços de mercado inexplorados, gerando uma demanda sem precedentes.

Essa estratégia propõe a superação da concorrência por meio da exploração de novos mercados e oportunidades, ao invés da competição acirrada. Na metáfora, o oceano azul representa a imensidão de mercados inexplorados, enquanto o oceano vermelho ilustra o tradicional cenário de disputa entre empresas.

Em vez de enfrentar a saturação dos mercados consolidados, a estratégia do oceano azul incentiva as organizações a navegar em outras direções e criar negócios inéditos, mirando em nichos de mercado e demandas que a concorrência não identificou. Assim, as empresas podem criar valor com ideias inovadoras, que se revelam muito mais lucrativas.

Ao contrário das táticas convencionais, que se concentram em competir em mercados já saturados, o oceano azul busca criar novos espaços de mercado e oportunidades inexploradas. Isso envolve inovação, não necessariamente tecnológica, mas com um negócio nunca visto.

Em essência, a estratégia é como um navio que foge do mar vermelho de competitividade e desbrava o imenso oceano azul de oportunidades, buscando suas próprias rotas de inovação. Ela oferece uma alternativa para as empresas que desejam escapar da competição intensa e encontrar novas fontes de lucratividade em meio às águas inexploradas.

Quais são as características da estratégia oceano azul?

A estratégia do oceano azul possui várias características distintas que a diferenciam das abordagens tradicionais de negócios e lhe fornecem vantagens competitivas.

Uma das principais características é a inovação e criação de novos espaços de mercado. A estratégia incentiva as empresas a criar novos espaços, em vez de competir nos mercados já saturados. Concentra-se na inovação, seja em produtos, serviços ou modelos de negócios, para atender a necessidades não atendidas pelos concorrentes.

Outra característica é que, em vez de competir com base no preço, a estratégia busca criar valor único para os clientes. Ela se preocupa em entender profundamente as necessidades dos clientes e oferecer soluções que os surpreendam.

A estratégia do oceano azul também encoraja a eliminar elementos desnecessários que não agregam valor ao cliente. Isso permite que as empresas se concentrem no que realmente importa para os clientes e evitem desperdícios.

Além disso, a estratégia combina a diferenciação (oferecendo algo único) com a relação custo-benefício (fornecendo valor a um preço acessível). Assim, as empresas podem criar um espaço de mercado sem competição direta, onde podem obter margens de lucro saudáveis.

Mais uma característica: o foco na estratégia, não na competição. A estratégia se concentra em criar e moldar o mercado, em vez de apenas reagir à concorrência. Ela incentiva as empresas a pensar além dos limites tradicionais e a explorar oportunidades inexploradas.

Alguns exemplos notáveis de empresas que adotaram a estratégia do oceano azul incluem a Cirque du Soleil, que reinventou o circo, e a Nintendo Wii, que atraiu um novo público para jogos eletrônicos.

Como elaborar a estratégia oceano azul?

A estratégia do oceano azul é uma abordagem inovadora no campo dos negócios que visa superar a concorrência não através da competição direta, mas sim pela exploração de novos mercados e oportunidades. Vamos explorar os fundamentos dessa estratégia e como você pode aplicá-la no seu negócio, em cada passo:

  1. Usar dados para embasar a estratégia: Comece construindo uma base sólida de dados para embasar suas decisões. Isso envolve análise de mercado, pesquisa de consumidores e compreensão profunda das tendências.
  2. Unir diferenciação e baixo custo: A estratégia busca criar valor de forma diferenciada, ao mesmo tempo em que otimiza os custos. Encontre maneiras de oferecer algo único e valioso para seus clientes sem comprometer a eficiência operacional.
  3. Criar uma brecha no mercado: Identifique oportunidades não exploradas e crie uma oferta que preencha essa lacuna. Pergunte-se: “O que ninguém mais está fazendo? Como posso atender a uma necessidade não atendida?”
  4. Usar ferramentas para identificar as oportunidades: Utilize análises de mercado, pesquisas de tendências e outras ferramentas para identificar áreas onde você pode inovar e se destacar.
  5. Seguir o passo a passo existente: A estratégia tem etapas bem definidas. Siga-as cuidadosamente para maximizar suas chances de sucesso.
  6. Maximizar oportunidades e minimizar riscos: Avalie cuidadosamente os riscos e benefícios de suas decisões estratégicas. Busque oportunidades que ofereçam alto potencial de retorno com riscos controlados.

Lembre-se de que o oceano azul representa a imensidão de mercados inexplorados, enquanto o oceano vermelho simboliza o cenário tradicional de competição entre empresas. Ao adotar essa estratégia, você pode encontrar novas rotas de inovação e conquistar territórios que surpreendem o público-alvo, evitando a competição intensa e alcançando resultados sustentáveis.

Para que serve a estratégia oceano azul?

É uma abordagem empresarial que visa criar novos mercados e tornar a concorrência irrelevante. Foi desenvolvida por W. Chan Kim e Renée Mauborgne, professores da INSEAD (Instituto Europeu de Administração de Empresas, na França), e apresentada no livro “Estratégia do Oceano Azul – Como criar espaços de mercado sem concorrência e tornar a concorrência irrelevante”.

A estratégia baseia-se na ideia de encontrar novos espaços de mercado sem concorrência, em vez de competir em mercados existentes e superlotados (oceanos vermelhos). Para isso, as empresas devem se concentrar em criar valor para os clientes, em vez de apenas derrotar a concorrência. Isso envolve identificar as necessidades e desejos dos clientes que ainda não estão sendo atendidos e desenvolver produtos ou serviços inovadores para atendê-los.

Para implementar a estratégia do oceano azul, as empresas devem seguir um processo específico, que inclui quatro etapas-chave:

  1. Visualizar o estado atual: As empresas devem comparar seu negócio ou estratégia com os de seus concorrentes e identificar áreas para melhoria e diferenciação.
  2. Explorar novas possibilidades: As empresas devem criar novas propostas de valor que sejam diferentes das dos seus concorrentes.
  3. Visualizar o futuro: As empresas devem apresentar sua nova proposta de valor a clientes, não-clientes e clientes de concorrentes para obter feedback e refinar suas ideias.
  4. Comunicar a estratégia: As empresas devem comunicar sua nova estratégia a todos os stakeholders, incluindo funcionários, clientes e investidores.

A estratégia do oceano azul já foi implementada com sucesso por empresas como Apple, Cirque du Soleil e Netflix, entre outras. Essas empresas conseguiram criar novos mercados e dominá-los, em vez de simplesmente competir em mercados existentes.

Fontes: Na Prática, Euax, Sales Force, Br Hubspot, G4 Educação

Economia comportamental: o que é e como funciona?

Daniel Kahneman: biografia e carreira do Nobel de economia

Milton Friedman: vida e carreira do líder da Escola de Chicago

8 dicas do que fazer com a restituição do IR