Veja os reflexos de guerras no mercado financeiro

4 de março de 2022 - por Jaíne Jehniffer


Uma guerra pode causar os mais diversos tipos de impactos em diversas áreas. Mas você já se perguntou quais são os reflexos de guerras no mercado financeiro?

Reflexos de guerras no mercado financeiro

Se levarmos em conta as guerras que já ocorreram, podemos notar que isso afeta a avaliação de risco dos investidores.

Ou seja, existem vários reflexos de guerras no mercado financeiro. Na madrugada do dia 23 para o dia 24 de fevereiro, a Rússia atacou a Ucrânia. Com isso, os índices de bolsas como o Ibovespa e S&P fecharam em queda.

Não demorou para o presidente dos EUA anunciar sanções contra a Rússia. Isso teve uma repercussão positiva nos índices acionários do país.

Não sabemos quanto tempo a guerra na Ucrânia vai durar. Por isso, é difícil prever os impactos que serão causados. Mas é possível analisar os impactos que outras guerras tiveram no mercado financeiro.

Por exemplo, no histórico de guerras dos últimos 70 anos, a Guerra do Golfo, em 1990, foi a que resultou na maior queda do S&P 500. Na época, o índice chegou a cair 20,22%.

Por outro lado, a Guerra do Vietnã, que teve início em 1959, foi o conflito que teve o maior tempo de recuperação. No total, foram necessários 1.017 dias para que o S&P 500 retomasse. Contudo, o tempo de recuperação varia muito.

Por exemplo, com a Guerra do Kosovo, em 1998, a recuperação foi em 4 dias. Em outras palavras, os impactos não são duradouros. Sendo que pode demorar mais ou menos tempo, entretanto o mercado se recupera.

Histórico de guerras e os efeitos no mercado

Os reflexos de guerras no mercado financeiro:

1 – A Guerra do Golfo, em 1990, resultou em uma queda de -20,22% no S&P 500. O tempo de recuperação foi de  211 dias.

 2- A Guerra do Vietnã, em 1959, causou uma queda de -14,62% no índice. Demorou 1.017 dias para que ele se recuperasse.

3 – Na Crise dos mísseis em Cuba, em 1962, o índice caiu -9,06%. Foi preciso 23 dias para se recuperar.

4 – A Guerra da Bósnia, em 1992, resultou em uma queda de -3,21%. Foram necessários 186 dias para o índice se recuperar.

5 – A Guerra do Kosovo, em 1998, causou uma queda de -2,20% no S&P 500. Sendo que foi preciso apenas 4 dias para o índice se recuperar.

6 – Na 2° Guerra na Chechênia, em 1999, o impacto da guerra resultou em uma queda de -10,57% no S&P 500. O tempo de recuperação foi de 77 dias.

7 – O 11 de setembro, em 2001, levou a uma queda de -12,85%. Foram necessários 53 dias para o índice se recuperar.

8 – A Guerra do Afeganistão, em 2001, levou a uma queda de -2,56%. Foi preciso 29 dias para o índice se recuperar.

9 – A Guerra do Iraque, em 2003, causou uma queda de -5,53%. Foi preciso 32 dias para o índice se recuperar.

10 – Guerra Russo-Georgiana, em 2008, resultou em uma queda de -1,92% no índice. Foi preciso 7 dias para que o índice pudesse se recuperar.

11 – Na Invasão na Crimeia, em 2014, o índice caiu -6,01%. Levou 92 dias para ele se recuperar.

12- Por fim, temos a Guerra da Ucrânia que teve início em 2022. A queda foi de -7,62%. Mas ainda não sabemos quanto tempo vai demorar para o índice se recuperar e quais serão os impactos econômicos.

Impactos

Uma das diferenças entre a guerra atual e as anteriores, são os criptoativos. É claro que eles também foram impactados. Mas a expectativa é que eles tenham uma leve queda seguida de uma rápida recuperação.

Contudo, como as criptomoedas ainda não passaram por muitos conflitos, o mercado ainda está tentando entender como elas irão se comportar. Além disso, a guerra pode impactar:

Seja quais forem os impactos, é preciso se lembrar que o mercado sempre se recupera. Sendo assim, os índices podem cair muito ainda, mas em algum momento, eles vão se recuperar.

Ou seja, se você é um investidor, esteja preparado para as grandes quedas. Além disso, tenha em mente que o mercado irá se recuperar.

É claro que o tempo necessário para essa recuperação pode ser maior ou menor. No entanto, a tendência é que o mercado se recupere.

É por isso que momentos de queda podem ser bons momentos para investir. Afinal de contas, se você escolher ativos de qualidade, você poderá comprar mais ativos com menos dinheiro.

Enfim, gostou de aprender sobre os reflexos de guerras no mercado financeiro? Então não deixe de ler também: Rússia ataca e começa guerra na Ucrânia: como isso influencia seus investimentos?

10 livros essenciais para entender sobre economia comportamental

Propriedade privada: o que significa e quando surgiu o conceito?

Escola de Friburgo: escola que originou o ordoliberalismo

Microeconomia: o que é, como funciona e quais são os elementos?