Enriqueça mesmo casado com alguém inútil 


Hoje, resolvi abordar um tema um pouco mais sensível. Na minha experiência como professor de investimentos da escola AUVP, tenho lidado bastante com o seguinte dilema: como posso enriquecer casado com alguém inútil, endividado ou que não quer investir?

Infelizmente, é bem comum encontrar casais em que um dos cônjuges não quer nem saber de mudar de vida e enriquecer.

Muitas vezes, o problema está na própria estrutura do relacionamento.

Como se forma a relação de um casal

A relação do casal com o dinheiro é fator determinante para o sucesso a dois. Se um dos cônjuges ou ambos não estiverem comprometidos com as finanças, tudo pode ruir.

Mas, antes de tudo, é preciso entender como funciona aquela relação, em específico.

Em qualquer relacionamento, tudo começa com um namoro, um caso, uma parceria sexual e por aí vai. Aí, chega num ponto em que ambos decidem juntar as escovas de dente e caminhar juntos.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A partir deste momento, as coisas mudam de lugar.

Casamento é contrato!

Depois que o casal decide morar junto e compartilhar as coisas, a relação deixa de ser puramente afetiva.

Quanto chega neste ponto, o amor e o afeto também dão lugar à parceria. E vira negócio mesmo, um tipo um contrato.

Assim, ambos passam a ter regras para a vida a dois, criação dos filhos, divisão de bens e tudo mais.

E isso inclui o compartilhamento de funções e, claro, das finanças.

Casado com quem não ajuda

O grande problema é quando um dos cônjuges não ajuda e, pior, ainda atrapalha.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Já vi muito marmanjo dizer que a mulher não faz nada porque fica em casa cuidando dos filhos.

Isso é uma grande mentira!

Se ela está cuidando da casa, está, sim, fazendo um ótimo trabalho dentro das responsabilidades do casal.

Então, não é disso que estamos falando aqui.

O cônjuge inútil é aquele que não trabalha, gasta muito mais do que deveria ou, apenas, ganha muito pouco e não tem nenhuma ambição de evoluir.

Aqui também entram os folgados, os viciados – jogo, day trade, apostas esportivas – e os endividados contumazes, que vivem pendurados no cartão de créditotratando o dinheiro como lixo.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Vou te contar uma verdade: você nunca vai enriquecer casado ou casada com alguém assim!

Tenho um cônjuge inútil: o que fazer?

Caso sua relação já tenha se enquadrado aqui, calma! Não é o fim do mundo.

Afinal, pra tudo dá-se um jeito.

É bem verdade que você fez uma escolha ruim e agora tem uma bela bola de ferro presa no calcanhar.

Contudo, vamos pensar no seguinte plano:

Primeiro, você precisa botar todas as cartas na mesa. E fazer isso com sabedoria!

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Ou seja, é preciso ter um diálogo super honesto, para mostrar à pessoa que ela tem uma péssima relação com o dinheiro. Ou, então, que ela é acomodada demais.

Enriqueça mesmo casado com alguém inútil 

Mas, não vá jogando tudo na cara. Isso não vai funcionar.

De forma calma e consciente, mostre à pessoa que do jeito que está não dá mais.

Deixe bem claro que a postura do cônjuge com relação às finanças vai acabar destruindo o casamento.

Dinheiro e os planos do casal

Nessa primeira conversa super franca, você também deve perceber como anda o alinhamento de planos do casal.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Ou seja, ambos devem conhecer bem os planos e sonhos do outro. Ocorre que, muitas vezes, as duas cabeças miram objetivos totalmente opostos.

E pior: nenhum dos dois sequer sabe disso!

Neste caso, será difícil manter uma caminhada em linha reta, principalmente nas finanças.

Enriqueça mesmo casado com alguém inútil 

Respeite o seu esforço pelo dinheiro

Muito provavelmente, uma primeira conversa franca sobre responsabilidades, dinheiro e investimentos não surtirá muito efeito.

Para piorar, é até provável que o cônjuge acabe se ofendendo.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Se isso acontecer, siga a velha resenha telefônica: tente novamente mais tarde!

Ao persistirem os sintomas, no entanto, você deve partir pro plano C.

Caso o cônjuge não aceite a mudança de rota e esperneie, proponha o seguinte:

“Amanhã, vamos ao cartório mudar o regime do casamento”.

Parece uma atitude extrema, mas lembre-se: é a sua saúde financeira – e a do casal – que está em jogo.

No fim das contas, não faz nenhum sentido você ficar se matando de trabalhar para entregar seu patrimônio de mão beijada pro outro.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Não resolveu. E agora?

Se mesmo depois de todas essas tentativas você não ver sequer um sinal de fumaça do outro lado, desista.

Isso mesmo! desista.

A bem da verdade é que você nem deveria estar casado(a) com alguém que não quer o melhor pra si, pra você e pra própria família.

Se vocês não tiverem casado na igreja e a religião não for um impeditivo, sério: parta pra outra!

Ou você prefere morrer pobre e infeliz?

No fim das contas, estamos falando de saúde financeira e felicidade.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Infelizmente, a verdade é que você não vai conseguir enriquecer estando ao lado dessa pessoa.

Assim, mesmo que doa, as vezes a partida é o melhor a ser feito.

Vire a página, escolha certinho da próxima, invista, enriqueça e seja feliz!

Se você gostou deste conteúdo um pouco diferente, assista ao vídeo acima, que publiquei no canal do Investidor Sardinha.

Aproveite e faça parte da nossa comunidade no Instagram (@oraulsena) pra ficar sempre por dentro do mundo das finanças e dos Investimentos.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

E não deixe de conferir, também: Porque você NÃO deve criar uma carteira de investimentos para o seu filho.


Conte-nos a sua opinião...